Comida saudável: 100 alimentos mais saudáveis ​​do planeta

Comprar comida saudável não significa apenas que você estará comendo pratos deliciosos; Quando você come alimentos saudáveis, ajuda a melhorar sua saúde geral, seja construir músculos, aguçar sua mente ou fortalecer seu coração.

Da próxima vez que você deixar o mercado ou pedir uma entrega de comida, certifique-se de que sua lista de compras contenha o maior número possível desses alimentos. Os editores do Eat This, Not That! trituraram os números nutricionais de cada alimento conhecido pelo homem para encontrar esses 100 alimentos mais saudáveis ​​do planeta; Cada alimento denso em nutrientes possui poderes especiais de promoção da saúde para levar a uma vida mais saudável e feliz. E para descobrir as formas mais fáceis do mundo de perder peso, não perca estas 200 melhores dicas de perda de peso!


Twenty20

Newsflash: Legumes podem ajudar você a perder peso!

Ok, ok, nós admitimos que não é exatamente uma notícia de última hora, mas você sabia que, quando se trata de rápida perda de peso, alguns vegetais reina supremo, enquanto outros são relativamente simples? É verdade! Graças a seus perfis nutricionais específicos, algumas picaretas para produzir alimentos ajudam a reduzir o metabolismo, desativar os genes da gordura da barriga e a friabilidade – e isso está no topo de todos os outros benefícios que aumentam a saúde. Leia para saber quais picaretas deliciosas se encaixam na conta e descubra maneiras deliciosas de incorporá-las à sua dieta.

Espinafre
Shutterstock

O veggie favorito do Popeye é uma ótima fonte de proteína, mas também de vitaminas A e C, antioxidantes e folato saudável para o coração. Uma xícara do superalimento verde tem quase tanta proteína quanto um ovo cozido – metade das calorias. Olhando para obter o maior retorno nutricional para o seu dinheirinho? Certifique-se de cozinhar seu espinafre em vez de comê-lo cru. Este método de cozimento ajuda a reter vitaminas e torna mais fácil para o corpo absorver o conteúdo de cálcio do verde. Adicione um punhado de sopas, shakes de proteína, omeletes, massas e legumes, ou simplesmente vaporize e cubra com pimenta, alho, azeite e um pouco de limão.

Mostarda verde
Shutterstock

Outro vegetariano digno de um ponto em sua dieta é mostarda. Quando cozidos no vapor, eles fornecem 922% do seu IDR para vitamina K, 96% de sua vitamina A e 47% de sua vitamina C por xícara, e eles têm uma série de propriedades de combate a doenças graças ao seu alto teor de glucosinolato. Os glucosinolatos são produtos químicos vegetais que o seu corpo converte em isotiocianatos, que têm demonstrado combater o câncer. De fato, de acordo com uma revisão na revista Projeto Farmacêutico Atual, os glucosinolatos podem proteger contra e podem até representar uma estratégia terapêutica contra várias formas da doença mortal.

Couve em um prato
Shutterstock

Kale definitivamente teve seu momento ao sol (e depois alguns), mas no que diz respeito a vegetais saudáveis, é certamente digno de elogios. O verde crucífero (que está disponível até mesmo no McDonald's atualmente) está repleto de nutrientes que aumentam a saúde, como vitamina A, fósforo e vitaminas do complexo B, e duas vezes mais vitamina C do que o espinafre, outro astro nutricional. Além disso, um estudo na revista Doença Cardiovascular JRSM descobriram que um alto consumo diário de verduras folhosas e crucíferas (como couve) reduziu significativamente a incidência de vários tipos de doenças cardiovasculares, a principal causa de morte entre as mulheres nos EUA. E, como os vegetarianos são tão versáteis quanto chegam, sinta-se à vontade. para adicionar um pouco de couve a uma variedade de refeições que vão desde pratos com ovos a tacos e bebidas como sucos e smoothies.

Agrião
Shutterstock

A próxima vez que você estiver fazendo uma salada, por que não jogar um pouco de agrião lá? O veggie verde é uma excelente fonte de folato, que tem demonstrado estimular a perda de peso. De fato, um estudo no British Journal of Nutrition descobriram que aqueles com os níveis mais elevados de folato perdem cerca de 8,5 vezes mais peso quando fazem dieta do que aqueles com os níveis mais baixos de folato. O que mais? Um estudo separado no British Journal of Cancer descobriram que a maior ingestão dietética de folato reduz o risco de câncer de mama. Além do agrião, outras boas fontes de folato incluem espinafre, espargos e mamão.

tomates secos
Shutterstock

Os tomates são embalados com o antioxidante licopeno, que estudos mostram pode diminuir o risco de câncer de bexiga, pulmão, próstata, pele e estômago, bem como reduzir o risco de doença arterial coronariana. Apenas uma xícara da versão seca ao sol lhe dará 6 gramas de proteína saciante, 7 gramas de fibra e 75% de sua RDA de potássio, o que é essencial para a saúde do coração e para o reparo dos tecidos. Eles também são ricos em vitaminas A e K. Use-os como cobertura de pizza, além de saladas ou salgadinhos.

Alcachofras
Shutterstock

A grelina é o hormônio “estou com fome” do seu corpo, que é suprimido quando o estômago está cheio; por isso, comer alimentos ricos em fibras e ricos em proteínas é um acéfalo. A humilde alcachofra é vencedora em ambos os casos: tem quase o dobro de fibra que a couve (10,3 g por alcachofra média, ou 40% da fibra diária que a mulher média precisa) e uma das maiores contagens de proteína entre vegetais. Ferva e coma a coisa toda como uma salada independente (por que não adicionar um pouco de queijo de cabra e tomates secos ao sol?), Misture as folhas com suas verduras e molhos favoritos, ou descasque e pique os corações em pizzas e pães saudáveis ​​e perder gordura da barriga.

Ervilhas verdes
Shutterstock

É o suficiente para fazer Popeye cuspir: apesar de sua reputação fraca, uma xícara de ervilhas contém oito vezes mais proteína que uma xícara de espinafre. E com quase 100% do seu valor diário de vitamina C em um único copo, eles ajudarão a manter seu sistema imunológico em forma. Coloque-os em uma salada ou adicione-os a uma omelete para aumentar o poder de saciedade dos ovos.

pimentões
Shutterstock

Você pode ter ouvido que pimentas picantes picantes podem ajudá-lo a queimar calorias, mas você sabia que pimentas suaves podem ter o mesmo efeito? Graças a um composto impulsionador do metabolismo, diidrocapsiato e seu alto teor de vitamina C, pimentões vermelhos e verdes podem ajudar a perder peso. Uma xícara desses legumes em forma de sino serve até três vezes a recomendação de vitamina C do dia – um nutriente que neutraliza os hormônios do estresse que provocam o armazenamento de gordura ao redor do meio.

RELACIONADO: Aprenda a ativar seu metabolismo e perder peso de maneira inteligente.

Brócolis
Shutterstock

Além de afastar os cânceres de próstata, mama, pulmão e pele, este vegetal florido também pode ajudá-lo a cortar o centro. De acordo com especialistas, o brócolis contém um fitonutriente chamado sulforafano que aumenta a testosterona e combate o armazenamento de gordura corporal. Também é rico em vitamina C (uma mera xícara do material pode ajudá-lo a atingir sua marca diária), um nutriente que pode diminuir os níveis de cortisol durante situações estressantes. A única desvantagem? Isso pode deixar algumas pessoas com estômagos sensíveis um pouco confusas e inchadas – o que não é uma boa ideia se você estiver planejando ir à praia ou arrasar com uma roupa justa. Isso não é motivo para evitar este vegetariano no dia-a-dia, no entanto. Prepare nossa receita de brócolis assado com parmesão para colher os benefícios de achatamento da barriga – talvez não um dia antes de você precisar parecer mais magra.

Cenouras
Shutterstock

As cenouras são uma excelente fonte de vitamina A, vitamina C, vitamina K, potássio e fibras, e essa é apenas a ponta do iceberg nutricional. O beta-caroteno – o composto que dá às cenouras o tom alaranjado – tem sido associado a um risco menor de desenvolver certos tipos de câncer. Por um Revista Americana de Nutrição Clínica Estudo de mais de 3.000 mulheres, aquelas que tinham níveis mais altos de beta-caroteno no sangue tiveram um risco 59 por cento menor de um certo tipo de câncer de mama (câncer de mama com ER negativo) do que mulheres com níveis mais baixos. Outro composto relacionado também encontrado em cenouras, o alfa-caroteno, reduziu o risco de câncer em cerca de 39%.

Outro estudo publicado na revista Nutrição e Câncer O beta-caroteno sugerido pode afastar o câncer de pulmão. Segundo os cientistas, o beta-caroteno e o alfa-caroteno são carotenóides que nossos corpos convertem em vitamina A, que é importante para a função imunológica, manter as células saudáveis ​​e ativar enzimas que metabolizam carcinógenos.

Picles em pote
Shutterstock

Pickles são de baixa caloria, cheios de fibras e cobertos com vinagre – o que é uma boa notícia para a sua cintura. Na verdade, apenas um grande picles tem 15 calorias e 2 gramas de fibra para o enchimento da barriga, por isso, comer três ou quatro pode realmente deixá-lo sentir-se saciado por menos de 100 calorias! Todo nutricionista sabe que comer lanches de enchimento é fundamental para o sucesso da perda de peso, mas como o vinagre ajuda a causa da luta contra a gordura? Estudos mostram que alimentos ácidos ajudam a aumentar a taxa em que o corpo queima carboidratos em até 40% – e quanto mais rápido você queima carboidratos, mais cedo seu corpo começa a incinerar gordura, o que pode ajudá-lo a ter aquela aparência magra. Adicione estes pepinos picantes e em conserva a sanduíches e hambúrgueres ou mastigue-os a solo para começar a sentir-se mais confiante em suas peles.

Batatas assadas
Shutterstock

Se você costuma comer suas batatas quentes fora do forno, você está perdendo as superpotências de combate da gordura da batata. Quando você joga batatas na geladeira e as ingerem frias, seus amidos digestíveis se transformam em amidos resistentes através de um processo chamado retrogradação. Como o nome indica, o amido resistente, bem, resiste à digestão, que promove a oxidação da gordura e reduz a gordura abdominal. Como comer batatas assadas frias não soa muito apetitoso, por que não usar as batatas fritas para fazer uma salada de batatas? Veja como: Asse as batatas vermelhas no forno até que estejam cozidas e deixe-as esfriar completamente. Em seguida, corte-os em fatias pequenas e vista-os com mostarda Dijon, pimenta fresca, cebolinha picada (mais sobre este veggie em seguida), endro e iogurte grego. Misture tudo e coloque na geladeira para esfriar antes de consumir.

Batata doce
Shutterstock

Embora as batatas brancas ofereçam um pouco de potássio e fibras, as batatas-doces realmente reinarão no departamento de nutrição. Uma grande batata-doce contém cerca de 4 gramas de proteína que aumenta a saciedade, 25% da fibra que enche a barriga e 11 vezes a ingestão diária recomendada de vitamina A, que demonstrou ter propriedades de combate ao câncer. Um estudo baseado em Taiwan na Revista de Nutrição Clínica da Ásia-Pacífico descobriram que o maior consumo de vegetais ricos em vitamina A, especialmente crisântemo garland e folhas de batata-doce, pode fornecer proteção potencial contra o câncer de pulmão. Toda essa nutrição e proteção por menos de 200 calorias? Conte conosco!

Cebolas vermelhas fatiadas
Shutterstock

As cebolas são ricas em quercetina, um flavonóide que aumenta o fluxo sanguíneo e ativa uma proteína no corpo que ajuda a regular os níveis de glicose, as tochas armazenam gordura e impedem a formação de novas células adiposas. Para não mencionar, as cebolas são basicamente o herói desconhecido da saúde cardiovascular – uma área importante de bem-estar para todos, mas especialmente para aqueles que acertam o ginásio com dificuldade para acelerar seus esforços de perda de peso. O alimento básico da culinária pode ajudar a reduzir o colesterol, evitar o endurecimento das artérias e ajudar a manter níveis saudáveis ​​de pressão arterial. A melhor parte? Cebolas são super low-cal e fácil de jogar em praticamente qualquer coisa, de sopas, hambúrgueres caseiros, sanduíches e tacos para massas, saladas, lados vegetarianos, arroz e omeletes.

Espaguete de abóbora
Shutterstock

O americano médio consome aproximadamente 15,5 quilos de massa a cada ano – e a maior parte é o refinado material branco. Infelizmente, este tipo de macarrão é geralmente desprovido de fibras e micronutrientes. O spaghetti squash, por outro lado, possui apenas cerca de 40 calorias por xícara – mais de 75% menos calorias do que uma xícara de macarrão simples – e é uma excelente fonte de vitamina A e potássio, que manterá os músculos tonificados e fortes. A cabaça também contém beta-caroteno de combate ao câncer e o dobro da quantidade de ácidos graxos ômega-3 encontrados na abóbora.

Cogumelos
Shutterstock

Fungos são considerados alimentos saudáveis ​​porque são uma grande fonte de potássio, que é vital para a saúde e recuperação muscular e também pode reduzir a pressão arterial e diminuir os efeitos de uma refeição com alto teor de sódio. Além de ser de baixa cal e sem gordura, a pesquisa mostrou que os fungos alimentares podem levar ao aumento da imunidade e proteger contra o câncer. Um estudo impresso na revista 3Biotecnologia que comparou os efeitos do extrato de cogumelo em camundongos, descobriu que aqueles tratados com o extrato experimentaram reduções no tamanho do tumor da próstata e proliferação de células tumorais em comparação com o grupo controle de camundongos que não foram tratados.

Espargos com Limão
Shutterstock

É um diurético natural, portanto, os aspargos, que contêm menos de 5 gramas de açúcar por porção, podem ajudar a aliviar o inchaço e outros sentimentos desagradáveis. O equilíbrio de aminoácidos e minerais do veggie verde também pode ajudar a aliviar os sintomas da ressaca, de acordo com um estudo no Revista de Ciência Alimentar.

Beterraba
Shutterstock

Essas raízes rubi-vermelhas contêm um tipo de antioxidante chamado betalaínas que ajuda a reparar e regenerar células no fígado, o principal órgão de desintoxicação do organismo. A beterraba também é rica em vitamina C, fibras e minerais essenciais, como o potássio, que permite a função saudável dos nervos e músculos, e o manganês, que é bom para os ossos, fígado, rins e pâncreas. O que mais? A beterraba também contém nitratos que, de acordo com um estudo O Journal of Nutrition, reduz a pressão arterial e ajuda aqueles com doença renal crônica.

Talos de aipo
Shutterstock

De acordo com um estudo de 2014 publicado na revista ObesidadeMastigar até que sua comida fique sem volume aumenta o número de calorias que o corpo queima durante a digestão: cerca de 10 calorias extras para uma refeição de 300 calorias, significando que apenas diminuindo a velocidade de mastigação você pode queimar aproximadamente 2.000 calorias. calorias extras a cada mês. O estudo também descobriu que mastigar os alimentos aumenta mais o fluxo sanguíneo para o estômago e intestino, o que pode ajudar a melhorar a digestão e a absorção de mais nutrientes dos alimentos. Considerando que o aipo tem sido há muito elogiado como um dos vegetais mais mastigáveis ​​do mundo, tornando-o praticamente livre de calorias, vale a pena adicionar um pouco à sua dieta. Tente jogar o veggie hidratante em um tomate ou sopa de galinha para um crunch adicionado que facilmente irá diminuir a contagem total de calorias de sua refeição. Além de ser super-mastigável, o aipo também é pobre em carboidratos e relativamente rico em fibras – apenas uma xícara do veggie picado tem 1,6 gramas do nutriente saciante.

Berinjela grelhada
Shutterstock

De acordo com uma revisão publicada na revista Nutrição Molecular e Pesquisa de Alimentos As antocianinas, flavonóides que dão às beringelas sua cor única, proporcionam uma série de benefícios impressionantes. Os referidos benefícios incluem, entre outros, controlo da obesidade, controlo da diabetes, prevenção de doenças cardiovasculares e melhoria das funções visuais e cerebrais, tais como uma memória de curto prazo mais nítida e inflamação reduzida. Vá em frente e jogue um pouco desse veggie gostoso em uma frigideira ou faça um pouco de babaganoush – uma propagação à base de berinjela com menos calorias do que hummus.

Spirulina em pó
Shutterstock

Spirulina é um suplemento de algas altamente proteicas que normalmente é seco e vendido em pó. O material seco é cerca de 60% de proteína e, como a quinoa, é uma proteína completa, o que significa que pode ser convertida diretamente em músculo do corpo e, portanto, é uma ótima ferramenta de perda de peso. Uma colher de sopa de alga verde-azulada fornece 8 gramas de proteína que aumenta o metabolismo por apenas 43 calorias, além de meio dia de vitamina B12, o que por si só pode lhe dar mais energia e aumentar o seu metabolismo. Tente jogar um pouco de spirulina em um smoothie e ver os quilos derramarem.

Chucrute
Shutterstock

Chucrute não é apenas para cachorros-quentes; este repolho lacto-fermentado, que contém compostos naturais, pode ter propriedades potentes contra o câncer e o emagrecimento da barriga. Quando não pasteurizado, o chucrute é rico em bactérias Lactobacillus – mais ainda do que o iogurte – que estimula a flora saudável do trato intestinal, fortalece o sistema imunológico e até melhora a saúde geral. Um estudo de 2013 publicado no Jornal Mundial de Microbiologia e Biotecnologia descobriram que camundongos alimentados com um extrato de chucrute rico em probióticos reduziram os níveis de colesterol.

Faca de metades de abacate
Shutterstock

Embora um pouco vilizado por ser rico em calorias, abacates são mais do que dignos de um papel em sua dieta. Apenas metade de um abacate contém 4,6 gramas de fibra de enchimento da barriga, e os poderes saciantes da fruta verde são tão potentes que um estudo em Revista de Nutrição Descobriram que as pessoas que adicionaram metade de um abacate fresco à sua refeição relataram uma diminuição de 40% no desejo de comer por horas depois. Além disso, o abacate contém gorduras monoinsaturadas que melhoram o metabolismo e reduzem a fome, e gorduras insaturadas, que parecem impedir o armazenamento da gordura da barriga. De fato, de acordo com uma revisão que apareceu na revista Pesquisa FitoterápicaO abacate pode ajudar a combater a síndrome metabólica, que é um agrupamento de fatores de risco, incluindo níveis elevados de açúcar no sangue, colesterol, pressão arterial e índice de massa corporal, que podem levar a um aumento do risco de diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.

Sapote preto
Shutterstock

Conhecida como a “fruta do pudim de chocolate”, a sapotinha preta tem gosto de… pudim de chocolate. Não é de admirar que seja um Eat This, Not That! favorito! Enganosamente rica e cremosa, uma porção de 100 gramas tem 130 calorias e 191 mg de vitamina C, ou o dobro de uma laranja. (Isso é uma gota de mic, pudim de chocolate.) Um estudo publicado em Food Research International descobriram que o sapote preto é uma boa fonte de carotenóides e catequinas, que estimula a liberação de gordura das células adiposas e ajuda o fígado a converter gordura em energia.

Como aproveitar: Originados na América do Sul, os sapotídeos negros podem ser encontrados na Flórida e no Havaí, e certos cultivadores on-line os enviarão para dentro dos EUA. Os devotos juram por eles por tortas e smoothies de baixa caloria.

Toranja
Cayla / Unsplash

Um estudo de 2012 impresso na revista Metabolismo Descobriu que comer metade de uma toranja antes das refeições pode ajudar a reduzir a gordura visceral (barriga) e diminuir os níveis de colesterol. Os participantes do estudo de seis semanas que comeram grapefruit em cada refeição viram suas cinturas encolherem em até uma polegada! Pesquisadores atribuem os efeitos a uma combinação de fitoquímicos e vitamina C na toranja. Considere ter metade de uma grapefruit antes de sua farinha de aveia matinal e corte alguns segmentos em uma salada inicial.

cerejas de Bing
Shutterstock

Tart cerejas foram mostrados para beneficiar a saúde do coração, bem como o peso corporal, em um estudo sobre ratos obesos. Um estudo de 12 semanas realizado por pesquisadores da Universidade de Michigan descobriu que ratos alimentados com rizomas ricos em antioxidantes mostraram 9% de redução na gordura da barriga em comparação com ratos alimentados com uma “dieta ocidental”. Além disso, os pesquisadores observaram que o consumo de cereja alterar a expressão de genes gordurosos. Desfrute de alguns, juntamente com estes melhores alimentos de pequeno almoço para perda de peso.

Framboesas, mirtilos e amoras em caixas
Shutterstock

Bagas – framboesas, morangos, mirtilos – são embalados com polifenóis, substâncias químicas naturais poderosas que podem ajudar a perder peso – e até mesmo impedir a formação de gordura! Em um recente estudo da Texas Woman University, os pesquisadores descobriram que a alimentação de camundongos com três porções diárias de frutas reduziu a formação de células de gordura em até 73%!

Taça de Açaí
Shutterstock

Açaí bagas são tais superstars, eles merecem uma entrada só para si. Precisa de provas? Um estudo no Revista de Química Agrícola e Alimentar descobriu que as bagas roxo-preto contêm níveis mais elevados de antioxidantes do que romãs e mirtilos. E um estudo da Universidade da Flórida descobriu que um extrato de açaí desencadeou uma resposta de autodestruição em até 86% das células de leucemia com as quais entrou em contato – uma descoberta promissora para os cientistas que trabalham para curar o câncer.

kiwi
Shutterstock

Apoiado e inchado? Lanche no kiwi. A fruta verde pode ajudá-lo a entrar em forma, graças à sua capacidade de ajudar na digestão. Embora pequeno, o kiwi contém uma quantidade considerável de actinidina, uma enzima natural que ajuda a facilitar a digestão ao decompor as proteínas no corpo. A fruta tropical também contém fibra prebiótica, que prepara o intestino para uma digestão saudável. De fato, de acordo com um estudo de 2015 publicado em Pesquisa Nutricional, uma porção diária de kiwis verdes ajuda a aumentar os movimentos intestinais.

Maçãs da senhora-de-rosa
Shutterstock

As maçãs são uma grande fonte de fibras, cujos estudos provaram ser essenciais para reduzir a gordura visceral. Um estudo recente do Wake Forest Baptist Medical Center descobriu que, para cada aumento de 10 gramas de fibra solúvel consumido por dia, a gordura visceral foi reduzida em 3,7% em cinco anos. Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Austrália Ocidental descobriu que a variedade Pink Lady tinha o maior nível de flavonóides antioxidantes.

Melancia
Shutterstock

Melancia, por vezes, obtém uma má reputação por ser rico em açúcar, mas a fruta tem alguns benefícios de saúde impressionantes. Comer melancia pode melhorar os perfis lipídicos e diminuir o acúmulo de gordura, de acordo com pesquisadores da Universidade de Kentucky. Melhor ainda, um estudo de atletas da Universidade Politécnica de Cartagena, na Espanha, encontrou o suco de melancia para ajudar a reduzir o nível de dor muscular. E ficar hidratado com alimentos como melancia é apenas uma das maneiras de comer sua água.

uvas vermelhas
Shutterstock

As uvas são outra fruta que muitas vezes é negligenciada devido ao seu alto teor de açúcar, mas não deixe que isso impeça que você coma um punhado desses bebês de vez em quando. Isso porque as uvas e o suco de uva são ricas fontes de resveratrol, um fitoquímico bem estudado para efeitos anti-câncer. A pesquisa sugere que os polifenóis em geral, e o resveratrol em particular, possuem potentes propriedades antioxidantes e antiinflamatórias, e em estudos de laboratório o resveratrol preveniu o tipo de dano conhecido por desencadear o processo de câncer em modelos celulares, tecidos e animais. De acordo com o Centro de Câncer Memorial Sloan Kettering, o resveratrol inibiu a proliferação de células cancerígenas por apoptose e exerceu efeitos anti-estrogênicos, e reduções na migração e invasão de células de câncer de mama foram observadas após a suplementação de resveratrol.

Bananas
Shutterstock

A fruta humilde – botanicamente, na verdade, uma baga! – é talvez o alimento de supermercado menos anunciado. Mas seus poderes são comprovados, e para investigar o quão impactantes eles podem ser, Coma isso, não aquilo! consultamos nossa equipe de nutricionistas para determinar exatamente o que comer uma banana faz ao seu corpo.

Romã
Shutterstock

Não só romãs são embaladas com proteína e fibra de enchimento de barriga (que é encontrada nas sementes comestíveis da fruta), mas eles também contêm antocianinas, taninos e altos níveis de antioxidantes, que pesquisa publicada no Revista Internacional de Obesidade diz que pode ajudar a combater o ganho de peso. Jogue algumas sementes de romã em uma salada para dar uma explosão de sabor ou misture-as em um smoothie para aumentar o conteúdo de nutrientes da bebida.

Limões na tigela
Shutterstock

Além de cheirar bem e bonito, o limão também pode ajudar a estimular a perda de peso. Apenas uma das cítricas contém um dia inteiro de vitamina C, um nutriente que tem o poder de reduzir os níveis de um hormônio do estresse chamado cortisol, que desencadeia a fome e o armazenamento de gordura. Além disso, os limões também contêm polifenóis, que, segundo os pesquisadores, podem evitar o acúmulo de gordura e o ganho de peso. Acredite ou não, até mesmo a casca é benéfica porque é uma fonte potente de pectina – uma fibra solúvel que comprovadamente ajuda as pessoas a se sentirem mais cheias, por mais tempo. De acordo com um estudo publicado no Jornal do Colégio Americano de Nutrição, os participantes que comeram apenas 5 gramas de pectina sentiram mais saciedade.

Fatias de laranja
Shutterstock

Assim como seus parentes amarelos, as laranjas são repletas de vitamina C – apenas uma das frutas saborosas fornece uma espantosa necessidade de 130% de sua vitamina C durante o dia. No entanto, o que diferencia as laranjas dos limões é a sua aparente capacidade de reduzir o risco de AVC das mulheres. Segundo pesquisa relatada em AVC: Revista da American Heart Association em 2012, comer quantidades maiores de um flavonóide chamado flavanona (que é abundante em laranjas e toranjas) pode diminuir as chances de um acidente vascular cerebral isquêmico. O estudo descobriu que as mulheres que comiam grandes quantidades de flavanona tinham um risco 19 por cento menor de acidente vascular cerebral isquêmico do que as mulheres que consumiam menos quantidade.

xícara de chá
Sessões Morgan / Unsplash

Para a maioria dos americanos, o chá é chá. No entanto, em lugares como o Japão, o Reino Unido e grandes áreas do Sudeste Asiático, as folhas de chá são tão diversas e variadas quanto as uvas para vinho. Não só o perfil de sabor muda drasticamente entre uma variedade de chá e a seguinte, mas também os benefícios para a saúde. Não só pode certas cervejas combater várias doenças, chás selecionados também foram mostrados para rev o metabolismo, sufocar a fome, reduzir o estresse de cintura e encolher as células de gordura. Quando pesquisadores taiwaneses estudaram mais de 1.100 pessoas em um período de 10 anos, eles determinaram que aqueles que bebiam chá tinham quase 20% menos gordura corporal do que aqueles que não bebiam nenhum!

Para garantir que você prepare as melhores xícaras para as suas metas de perda de peso, reunimos os chás mais potentes de todo o mundo.

Chá verde
Shutterstock

Conseguir isto: O chá verde literalmente detona a flacidez! Os pesquisadores atribuem as propriedades queimadoras de gordura do chá verde às catequinas, especificamente ao EGCG – o nome de um grupo de compostos antioxidantes que explodem o tecido adiposo acelerando o metabolismo, aumentando a liberação de gordura das células de gordura (particularmente na barriga) e Acelerando a capacidade de queima de gordura do fígado. Fica melhor: Pesquisas sugerem que combinar o consumo regular de chá verde com exercícios pode maximizar os benefícios da perda de peso. Um estudo em O Jornal da Nutrição descobriu que os participantes que combinavam o hábito diário de 4-5 xícaras de chá verde com um treino de 25 minutos perderam mais 2 quilos do que os que não bebiam chá.

Limão chá branco
Shutterstock

De um modo geral, o chá é uma excelente alternativa sem açucar para refrigerantes e sucos repugnantemente doces, e, como você logo descobrirá, cada variedade de chá vem com seus próprios benefícios de perda de peso. Por exemplo, um estudo na revista Nutrição e Metabolismo O chá branco pode estimular simultaneamente a quebra de gordura no corpo, bloqueando a formação de novas células adiposas – um golpe duplo na explosão da barriga!

Chá preto
Shutterstock

Pesquisadores italianos descobriram que beber uma xícara de chá preto por dia melhora a função cardiovascular – e quanto mais xícaras você bebe, mais você se beneficia! Melhor função cardiovascular significa que você pode respirar através dos 5K que você se inscreveu. E um estudo publicado no Anais da Academia Nacional de Ciências revelou que beber 20 onças de chá preto diariamente faz com que o corpo secrete cinco vezes mais interferon, um elemento-chave do arsenal de proteção contra infecções do seu corpo.

chá vermelho
Shutterstock

O chá de rooibos é feito das folhas da planta “arbusto vermelho”, cultivada exclusivamente na pequena região de Cederberg, na África do Sul, perto da Cidade do Cabo. O que torna o chá de rooibos particularmente bom para sua barriga é um flavonóide único e poderoso chamado aspalatina. De acordo com pesquisadores sul-africanos, os polifenóis e flavonóides encontrados na planta inibem a adipogênese – a formação de novas células adiposas – em até 22%. Os produtos químicos também ajudam no metabolismo da gordura. Além disso, o Rooibos é naturalmente doce, então você não precisa adicionar açúcar. Também não é tecnicamente um chá – é uma infusão de ervas.

Chá Pu erh
Shutterstock

Outra estrela de O chá de 7 dias com barriga lisa limpa, este chá chinês fermentado pode literalmente encolher o tamanho de suas células adiposas! Para descobrir os poderes de fermentação de gordura da bebida, os pesquisadores chineses dividiram os ratos em cinco grupos e os alimentaram com dietas variadas ao longo de um período de dois meses. Além de um grupo de controle, houve um grupo que recebeu uma dieta rica em gordura, sem suplementação de chá e três grupos adicionais que foram alimentados com uma dieta rica em gordura, com doses variadas de extrato de chá pu-erh. Os pesquisadores descobriram que o chá reduziu significativamente as concentrações de triglicérides (gordura potencialmente perigosa encontrada no sangue) e gordura da barriga nos grupos de dieta rica em gordura.

Chá oolong
Shutterstock

Para não ficar para trás, o chá oolong – uma bebida chinesa – pode ajudar aqueles que bebem até 450 gramas por semana. De acordo com um estudo de 2009 no Revista Chinesa de Medicina IntegrativaOs participantes que bebiam regularmente chá oolong perderam seis libras ao longo de seis semanas. O que mais? Acredita-se que os antioxidantes do chá removem os radicais livres nocivos e melhoram a saúde dos ossos.

kombucha
Shutterstock

Kombucha é uma bebida fermentada levemente efervescente feita com chá preto ou verde e uma cultura simbiótica de bactérias e leveduras, conhecida como SCOBY. Este chá fermentado é preenchido com probióticos intestinais saudáveis ​​que podem ajudar a equilibrar boas bactérias intestinais e ajudar a impulsionar o sistema imunológico. De fato, pesquisadores da Universidade de Cornell descobriram que a bebida da moda pode promover a imunidade por causa de suas poderosas propriedades antimicrobianas, que podem combater as bactérias patogênicas. O que mais? Kombucha ainda tem as propriedades saudáveis ​​do chá, incluindo antioxidantes superstar.

Contador de carne
Shutterstock

Embora o peito de frango seja o padrão ouro de grelhar saudável que pode ajudar na perda de peso – baixo teor de gordura, alta proteína – a chave para qualquer plano alimentar bem-sucedido é a variedade, e a pesquisa indica que agora você tem opções. Embora você ainda queira se afastar do tradicional chuck de supermercado, há maneiras de aproveitar um hambúrguer de carne de boi sabendo que você está bem na sua cintura. Além disso, você também pode abrir sua grade para opções mais criativas, repletas de nutrientes e proteínas que manterão seus objetivos de condicionamento físico atualizados sem sacrificar o sabor.

Bife de corte central na placa de corte
Shutterstock

Quando se trata de bife ou hambúrgueres, vá à grama. Pode acabar com a sua carteira, mas vai amassar o seu abs. Carne alimentada com capim é naturalmente mais magra e tem menos calorias do que a carne convencional: um bife de carne convencional de 7 gramas tem 386 calorias e 16 gramas de gordura. Mas um bife de 70 gramas alimentado com capim tem apenas 234 calorias e cinco gramas de gordura. Grass-fed meat also contains higher levels of omega-3 fatty acids, according to a study published in Nutrition Journal, which have been shown to reduce the risk of heart disease.

Bison
Shutterstock

While grass-fed beef is an excellent choice, bison’s profile has been rising in recent years, and for good reason: It has half the fat of and fewer calories than red meat. According to the USDA, while a 90%-lean hamburger may average 10 grams of fat, a comparatively sized buffalo burger rings in at 2 grams of fat with 24 grams of protein, making it one of the leanest meats around. But wait, taking a chance on this unexpected meat will earn you two healthy bonuses: In just one serving you’ll get a full day’s allowance of vitamin B-12, which has been shown to boost energy and help shut down the genes responsible for insulin resistance and the formation of fat cells; additionally, since bison are naturally grass-fed, you can confidently down your burger knowing it’s free of the hormones and pollutants than can manifest themselves in your belly fat.

Ostrich meat
Shutterstock

Lower that eyebrow you’re raising. Ostrich meat is the rising star of the grill. While it’s technically red and has the rich taste of beef, it has less fat than turkey or chicken. A four-ounce patty contains nearly 30 grams of the muscle building nutrient and just six grams of fat. Plus, one serving has 200% of the daily recommended allowance of vitamin B-12. This exotic meat can also help whittle your middle: Ostrich contains 55 milligrams of choline, one of these essential nutrients for fat loss. And it’s not as hard to find as it sounds—ostrich is increasingly available in supermarkets around the country.

Bone broth
Shutterstock

While bone broth might not be for everyone, it’s hard to deny the warm beverage’s numerous health benefits. The broth is made when animal bones (usually beef or chicken) are left to simmer in water for an extended period of time, which breaks down their collagen and other nutrients. Some of that broken down material from the cartilage and tendons is glucosamine (which you may have seen sold as a supplement for arthritis and joint pain). According to a study published in the journal PLOS One, when overweight, middle-aged adults took a glucosamine supplement, they were able to decrease serum CRP (inflammation biomarker) levels by 23 percent more than those who didn’t take a supplement. The stock is also full of anti-inflammatory amino acids (glycine and proline), and the ample levels of gelatin will help rebuild your gut lining to further assist with your anti-inflammatory gut microbes. In other words, drink up!

Pork tenderloin
Shutterstock

A longtime enemy of doctors and dieters, pork has been coming around as a healthier alternative of late—as long as you choose the right cut. Your best bet is pork tenderloin: A University of Wisconsin study found that a three-ounce serving of pork tenderloin has slightly less fat than a skinless chicken breast. It has 24 grams of protein per serving and 83 milligrams of waist-whittling choline (in the latter case, about the same as a medium egg). In a study published in the journal Nutrients, scientists asked 144 overweight people to eat a diet rich in fresh lean pork. After three months, the group saw a significant reduction in waist size, BMI and belly fat, with no reduction in muscle mass! They speculate that the amino acid profile of pork protein may contribute to greater fat burning.

Salmon lox toast
Shutterstock

Regularly eating seafood as part of a healthy diet can do wonders for your weight loss goals—so long as you choose the right kind. That’s where the waters get murky again. So we had our research team here at Eat This, Not That! dive into the science behind your seafood. Let’s see if we can’t clear things up with this list of the best fish for losing weight.

Halibut
Shutterstock

You already knew fish was rich in protein but you might be surprised to learn that halibut tops fiber-rich oatmeal and vegetables in the satiety department. The Satiety Index of Common Foods ranks it the number two most filling food—bested only by boiled potatoes for its fullness factor. Study authors attribute the filling factor of white fish like halibut to its impressive protein content and influence on serotonin, one of the key hormones responsible for appetite signals.

Wild salmon fillet
Caroline Attwood/Unsplash

Don’t let salmon’s relatively high calorie and fat content fool you; studies suggest the oily fish may be one of the best for weight loss. In one study, participants were divided into groups and assigned one of three equi-caloric weight loss diets that included no seafood (the control group), lean white fish, or salmon. Everyone lost weight, but the salmon eaters had the lowest fasting insulin levels and a marked reduction in inflammation. It’s likely due to salmon’s high levels of anti-inflammatory omega-3 fatty acids.

Tunafish crackers snack
Shutterstock

As a primo source of protein and docosahexaenoic acid (DHA), canned light tuna is one of the best and most affordable fish for weight loss, especially from your belly! One study in the Journal of Lipid Research showed that omega 3 fatty acid supplementation had the profound ability to turn off abdominal fat genes. And while you’ll find two types of fatty acids in cold water fish and fish oils—DHA and eicosapentaenoic acid (EPA)—researchers say DHA can be 40 to 70 percent more effective than EPA at down-regulating fat genes in the abdomen, preventing belly fat cells from expanding in size. Canned chunk light tuna, harvested from the smallest fish, is considered a “low mercury fish” and can be enjoyed two to three times a week (or up to 12 ounces), according to the FDA’s most recent guidelines.

Baked cod
Shutterstock

Fish and chips won’t help you lose weight, at least not out of the fryer. But research suggests a regular serving of Pacific cod, the fish that’s typical of fish sticks, may keep you stick thin. One study in the journal Nutrition, Metabolism & Cardiovascular Diseases found that eating five servings of cod per week as part of a low-calorie diet for eight weeks resulted in an extra 3.8 pounds of weight loss compared to a diet with the same amount of calories but no fish. Researchers attribute the satiating and slimming properties to cod’s high protein content and amino acid profile, which can help regulate the metabolism. No wonder Captain Birdseye looks so smug!

Oysters
Shutterstock

Speaking of weight loss oysters have also been shown to contribute to help you shed pounds thanks to their impressive zinc content. One study found that obese people who consumed 30 milligrams of zinc per day—the equivalent of just six raw oysters—had lower BMIs, weighed less, and showed improvements in blood cholesterol levels. What’s more? That same six-oyster helping will give you 28 g of protein and 2,064 mg of omega-3s.

Sardines
Shutterstock

The smaller the fish, the smaller the amount of harmful mercury. These tiny fish typically come from the Pacific. Despite their diminutive size, they pack a nutritional punch. A mere 3 ounces provides 12 percent your recommended daily intake of vitamin D, 835 mg of omega-3s, and 64 percent of selenium, a mineral that plays a key role in metabolism, immunity, and reproductive health. Plus, they’re packed with bone-building calcium. Canned versions are known to be high in sodium, so be sure to consume them in moderation or look for low-sodium canned versions.

Cooking egg from carton
Twenty20

Although there are numerous sources of protein available, ranging from beans and veggies to fish and beef, chicken is by far one of the most popular sources—and it’s easy to see why: it’s affordable, easy to prepare and lower in fat than many other types of meat. But here’s the dilemma: There are only so many grilled chicken breasts you can eat before you get bored and turn to more flavorful recipes that come with a slew of unwanted calories. That’s why we searched the web for the the most delicious, slimming poultry recipes out there, and we’re pretty excited about what we’ve found! Add some of these delicious, filling recipes to your weekly lineup to lose weight and ditch chicken boredom once and for all.

Turkey roasted
Shutterstock

Lean and protein-rich, turkey is no longer an automatic substitute for red meat–this bird deserves props on its own. A quarter-pound turkey burger patty contains 140 calories, 16 grams of protein and eight grams of fat. Additionally, turkey is rich in DHA omega-3 acids—18 mg per serving, the highest on this list—which has been shown to boost brain function, improve your mood and turn off fat genes, preventing fat cells from growing in size. Just make sure you buy white meat only; dark contains too much fat. And know that you’re doing your health a double solid by grilling at home: Restaurant versions can be packed with fatty add-ins to increase flavor. Not your problem, since it’s going straight from the grill to your plate (ideally with the best spices to burn fat and peppers mixed in).

Cooked chicken breast
Shutterstock

A 3 oz. cooked chicken breast contains only 142 calories and 3 grams of fat, but packs a whopping 26 grams of protein — more than half of the day’s recommended allowance. But the go-to protein can be a fail on the taste front. (Our casual poll on the taste of plain breast elicited answers ranging from “air you cut with a knife” to “wet sock.”) The good news: With just a little creativity, you can make it a savory post-gym dinner or an impressive date-night meal.

Eggs in pan
Shutterstock

Eggs might just be the easiest, cheapest and most versatile way to up your protein intake. Beyond easily upping your daily protein count, each 85-calorie eggs packs a solid 7 grams of the muscle-builder! Eggs also boost your health: They’re loaded with amino acids, antioxidants and iron. Don’t just reach for the whites, though; the yolks boast a fat-fighting nutrient called choline, so opting for whole eggs can actually help you trim down. When you’re shopping for eggs, pay attention to the labels. You should be buying organic, when possible. These are certified by the USDA and are free from antibiotics, vaccines and hormones. As for color, that’s your call. The difference in color just varies based on the type of chicken—they both have the same nutritional value, says Molly Morgan, RD, CDN a board-certified sports specialist dietician based in upstate New York.

Legumes
Shutterstock

From time to time it’s beneficial to replace animal proteins with plant-based sources of the nutrient in your diet—doing so can reduce your risk of chronic conditions like cancer, cardiovascular disease, diabetes, and obesity. In one Spanish study, participants who ate a calorie-restricted diet that included four weekly servings of legumes lost more weight than those on a calorie-equivalent diet that didn’t include beans—likely due to their belly-filling fiber content. A study published in the journal Obesity backs that assumption: The researchers found that eating 160 grams—or a little more than a half cup—of legumes led people to feel 31 percent fuller. It doesn’t matter what types of beans you eat (so long as they aren’t re-fried), just be sure to work them into your diet to reap the benefits. Mixing some into a smoothie is just one of the ways to lose weight in 4 seconds!

Black beans onions peppers
Shutterstock

Beans are good for more than just your heart. They’re loaded with proteins, antioxidants, vitamins and minerals that can benefit your brain and muscles, too. Not to mention, they digest very slowly, which can help you feel fuller, longer, and fuel weight loss efforts without causing feelings of deprivation. Look for easy-to-use, pre-cooked BPA-free varieties that come in a pouch or a box. Add them to soups and salads or mix them with brown rice and steamed vegetables to create a hearty—yet healthy—dinner. Big into snacking? Mix black beans with some salsa and corn, and serve with some whole grain crackers (just make sure they are one of our go-to low carb snacks.

Tofu
Shutterstock

Vegetarians rejoice! Soy protein, such as tofu or tempeh, might not be as popular as chicken or fish, but it boasts its own set of impressive nutritional benefits that include protecting lean body mass and reducing LDL (“bad”) cholesterol. In fact, a review published in the journal Nutrients found that soy, in addition to lowering bad cholesterol, can also improve cardiovascular health through mechanisms that have nothing to do with its protein content. Thanks to additional components—namely isoflavones, lecithins, saponins, and fiber—numerous studies have shown that soy can alleviate cardiovascular disease risk factors such as hypertension, hyperglycemia, inflammation, and obesity beyond cholesterol lowering. A 2016 study even found that the vegetarian-safe food can also improve kidney function among older adults.

lentilhas
Shutterstock

Here are some pretty amazing proportions: One cup of lentils has the protein of three eggs, with less than one gram of fat! Their high fiber content makes them extremely satiating, and studies have shown that they speed fat loss: Spanish researchers found that people whose diets included four weekly servings of legumes lost more weight and improved their cholesterol more than people who didn’t. Eat them on their own as a side or simmer them into a soup.

Toast with peanut butter
Shutterstock

This creamy spread is downright addictive. While eating too much peanut butter can wreak havoc on your waistline, a standard two-tablespoon serving provides a solid dose of muscle-building protein and healthy fats. According to a 2014 study published in The American Journal of Clinical Nutrition, consuming peanuts can prevent both cardiovascular and coronary artery disease—the most common type of heart condition. Look for the unsalted, no sugar added varieties without hydrogenated oils to reap the most benefits. If you’re tired of plain old PB&J sandwiches, try stirring the spread into hot oatmeal, smearing it on fresh produce, or blending it into your post-workout smoothie.

Hummus celery carrots
Shutterstock

Hummus is made from the mighty garbanzo bean, also known as a chickpea. This satiating dip is higher in fiber, healthy fats, and protein than your average ranch dip, making it a healthier alternative for your crudite platter.

Pantry staples beans grains
Denise Johnson/Unsplash

A wise man once said: “A good reputation is more valuable than money.” And in the food realm, the grain that carries the most clout is undoubtedly quinoa. Known for its high protein and fiber content, the ancient grain has been said to aid weight loss and improve health—and Americans can’t get enough of the stuff. In fact, we imported 69 millions pounds of quinoa in 2013 alone. But just because quinoa carries a massive health halo doesn’t necessarily mean it’s the most nutritious grain in the supermarket. In fact, there are a number of grains that pack as many—or more—total health and weight loss benefits.

Sprouted grain bread
Shutterstock

Not all breads are carb bombs waiting to shatter your weight loss goals. This nutrient-dense bread is loaded with folate-filled lentils, protein and good-for-you grains and seeds like barley and millet. To boost the flavor of your slices, make a veggie sandwich overflowing with wholesome nutrients. On two slices of sprouted whole-grain bread combine tahini-free hummus, avocado slices, roasted red peppers, cucumbers, onions, spinach and tomatoes, one of the healthiest foods on the planet.

Teff
Shutterstock

This nutty-flavored gluten-free grain may be small, but it packs a mighty nutritional punch. It’s loaded with fiber, essential amino acids, calcium and vitamin C — a nutrient not typically found in grains. To reap the benefits, trade your morning oatmeal in for a protein-packed teff porridge. Combine a half cup of teff with one a half cups of water and a pinch of salt in a medium saucepan. Let it come to a boil before turning the heat down to low and letting it simmer for 15 to 20 minutes. Remove from heat and top with apples, cinnamon and a dollop of natural peanut butter.

Triticale
Shutterstock

While you may have never heard of this hearty whole grain before, it may become your new favorite. This wheat-rye hybrid packs 12 grams of protein per half cup, and is also rich in brain-boosting iron, bloat-busting potassium, magnesium and heart-healthy fiber. Use triticale berries in place of rice and mix it with soy sauce, fresh ginger, cloves, shiitake mushrooms and edamame to make a healthy, Asian-inspired dish. If you prefer to firing up the oven to using the stove, use triticale flour in place of traditional flour in your baking.

Overnight oats
Yanina Trekhleb/Unsplash

The wonderfood: People who eat oatmeal for breakfast feel full longer—even four hours after they put spoon to mouth! That’s sure to keep you out of the snack drawer mid-morning, boosting your weight loss efforts. The instant varieties often have added sugars and artificial flavors and making slow-cooking oatmeal on the stove can add stress to your already rushed morning routine. The solution: overnight oats. All you have to do to whip up a bowl is fill a mason jar or Tupperware container with grains, toppings, add-ins and a liquid like milk or water. Then you throw it in the refrigerator overnight. While you’re sleeping, the flavors fuse together so all you have to do is scarf it down next morning—no cooking required! Check out our favorite mouthwatering combos right here, with the 50 Best Overnight Oats Recipes

Amaranth porridge
Shutterstock

Like quinoa, amaranth is not technically a grain, but the seed of an amaranth plant. Naturally gluten-free, amaranth is higher in muscle-building protein than wheat and brown rice—with more than 9 grams per cup—and surprisingly high in other nutrients such as calcium and fiber as well. Amaranth is also an excellent source of manganese, iron, and selenium, which keeps your thyroid in check and preserves elastin in the skin, helping your skin stay supple, smooth and tight. What’s more? Cooked amaranth leaves are a rich source of vitamin A, vitamin C, calcium, manganese, and folate.

Kamut grain
Shutterstock

Kamut is an ancient grain native to the Middle East that is an excellent source of heart-healthy omega-3 fatty acids, protein, and fiber, while simultaneously being low in calories. In fact, a half-cup serving of the stuff has 30 percent more protein than regular wheat and just 140 calories. What’s more? A study published in the European Journal of Clinical Nutrition found that eating kamut reduces cholesterol, blood sugar, and cytokines (which cause inflammation throughout the body). Kamut’s ability to stabilize blood sugar and reduce inflammation make it a great weight loss staple, especially if it is used in place of nutritionally lacking refined grains.

Dairy products
Shutterstock

Not around your waist, but on your plate: A new report from the Credit Suisse Research Institute found that more and more of us are choosing whole-fat foods over skim, lite, fat-free or other modern monikers of leanness. And while many health organizations like the American Heart Association still want us to cut down on fat—particularly saturated fat—this full-fat trend may be a healthy rebellion against those decades-old credos, according to recent studies. Take a look at our favorite dairy products.

Gruyere cheese
Shutterstock

Here’s an excuse for a wine-and-cheese hour: The fancy Swiss cheese contains 30% more protein than an egg in one slice, plus one-third of your RDA of vitamin A. If you’re looking to indulge, keep your serving to the size of four dice, and moderate your vino to one glass for women, two glasses for men, to get the bad-cholesterol-lowering benefits of the antioxidant resveratrol. And better yet, stick to the #1 wine for rapid weight loss.

Parmesan and grater
Shutterstock

Most cheeses are naturally very low in sugar due to the fermentation process that produces it, and Parmesan cheese has the added benefit of actually reducing belly-bloating sugar cravings. Parmesan contains the amino acid tyrosine (a building block of protein) which has been shown to encourage the brain to release dopamine and another neurotransmitter, norepinephrine, eliminating the desire for sweet stuff. What’s more? Parmesan is also low in carbs but packed with other key nutrients. One ounce of the Italian cheese contains about 31 percent of your daily recommended intake of bone-building calcium and 11 g of satiating protein.

Fruit yogurt nuts
Peter Hershey/Unsplash

Yogurt may be one of your key allies in weight-loss efforts. A study printed in the British Journal of Nutrition found that probiotics like the ones found in creamy, delicious yogurt helped obese women lose nearly twice the weight compared to those who did not consume probiotics. Both sets of subjects were on low-calorie diets, but after 12 weeks, the probiotic poppers lost an average of 9.7 pounds, while those on placebos lost only 5.7. Bonus: the subjects who were given the good bacteria continued to lose weight even after an additional 12 weeks, an average of 11.5 pounds to be accurate! Probiotics can help ramp up your metabolism and improve your immune system, but it pays to be picky about your sources. Yogurt’s a great way to get a.m. protein and probiotics, but to get the healthiest yogurt you’ll have to read labels; most are packed with added sugars that exceed their protein levels.

Drinkable yogurt kefir
Shutterstock

Kefir, fermented milk produced from grains, has been a rising nutritional superstar over the past few years thanks to the myriad of health benefits it offers. Though the smoothie-like dairy drink is similar to yogurt, it’s ideal for those with a dairy-intolerance because it has been found to counteract the effects of the milk’s stomach-irritating lactose.  Furthermore, a review published in Nutrition Research Reviews found that regular consumption of kefir has been associated with improved digestion, antibacterial effect, hypocholesterolaemic effect, control of plasma glucose, anti-hypertensive effect, anti-inflammatory effect, antioxidant activity, anti-carcinogenic activity, anti-allergenic activity, and healing effects.

Glass of milk
Shutterstock

Organically raised cows are not subject to the same hormones and antibiotics that conventional cows are; no antibiotics for them means no antibiotics for you. Grass fed cows have been shown to have higher levels of omega-3 fatty acids (good) and two to five times more CLA (conjugated linoleic acid) than their corn and grain fed counterparts. CLA contains a group of chemicals which provides a wide variety of health benefits, including immune and inflammatory system support, improved bone mass, improved blood sugar regulation, reduced body fat, reduced risk of heart attack, and maintenance of lean body mass. While skim milk may be lowest in calories, many vitamins are fat-soluble, which means you won’t get all the benefits of the alphabetical nutrients listed on your cereal box unless you opt for at least 1%.

Pistachios
Shutterstock

Hang out at a local bar and you’re sure to come across a variety of nuts (the food, not the people hanging out in the corner)—and guys popping them like they’re diet freebies. It’s the perfect example of good food gone bad. Nuts, like avocados, are loaded with heart-healthy fats. But healthy doesn’t always mean lean. A couple of beers and a few handfuls of nuts and you’ve racked up some serious calories—and diet damage. “A one-ounce serving of nuts contains 135 calories, and how many nuts you get in a serving will depend on your nut of choice,” says Tanya Zuckerbrot, RD. “Think about it: Would you rather have 12 cashews or 22 almonds?” Here are our favorite nuts and seeds.

Chia seeds
Shutterstock

One of the hallmarks of a balanced diet is to have a good ratio of omega-6 fatty acids to omega-3s. A 4:1 ratio would be ideal, but the modern American diet is more like 20:1. That leads to inflammation, which can trigger weight gain. But while eating a serving of salmon every day isn’t exactly convenient, sprinkling chia seeds—among the most highly concentrated sources of omega-3s in the food world—into smoothies, salads, cereals, pancakes or even desserts is as easy a diet upgrade as you can get.

Ground flaxseed in bowl
Shutterstock

Flaxseed is nutritious at any age, but they may be especially beneficial as you get older seeing as how it has been shown to reduce high blood pressure, thus lessening your chances of having a heart attack or stroke. According to a study in Natural Medicine Journal, participants were split into two groups and both ate a variety of foods, including bagels, muffins, and buns. While one group received added flaxseed totaling 30 g of milled flaxseed each day for one year, the other group was given a placebo. After six months, both systolic and diastolic blood pressure were lower in the flaxseed group, Furthermore, flax group participants who started with elevated blood pressure had more pronounced decreases in blood pressure than those who were not given flaxseed.

Sesame seeds
Shutterstock

Sesame seeds likely aren’t one of those foods you pay any mind to, but the crunchy little buggers have been shown to play a crucial role in weight maintenance and deserve to be tossed into a salad or whole wheat noodle dish. Researchers suspect its the lignans—plant compounds—found in sesame seeds (and flax seeds) that makes them so special. In a 2015 study, women who consumed high levels of lignans tended to weigh less and gain less weight over time when compared to women who didn’t consume these compounds in high amounts. Not a fan of that seedy texture? Try slathering some sesame-based tahini on a piece of bread instead.

Musard seed grain
Shutterstock

Researchers at England’s Oxford Polytechnic Institute found that by eating 1 teaspoon of prepared mustard (about 5 calories) can boost the metabolism by up to 25 percent for several hours after eating. Not only that, a study published in the Asian Journal of Clinical Nutrition found that visceral adipose tissue of rats fed a diet of pure lard was lowered when the diet was supplemented with mustard oil. Scientists attribute mustard’s belly-blasting abilities to allyl isothiocyanates, phytochemicals that give the popular condiment its characteristic flavor.

pumpkin seeds
Shutterstock

Dr. Lindsey Duncan, a nutritionist who’s worked with Reggie Bush, is a big fan of pumpkin seeds. “A handful of raw pepitas or dry roasted pumpkin seeds can give you a natural jolt to power through a workout,” he says. “They’re a good source of protein, healthy fats and fiber, keeping you feeling full and energized longer, and contain manganese, magnesium, phosphorus and zinc, which provide additional energy support to maximize gym time.” Throw them into salads and rice dishes, or eat them raw.

Almonds
Tetiana Bykovets/Unsplash

Think of each almond as a natural weight-loss pill. A study of overweight and obese adults found that, combined with a calorie-restricted diet, consuming a little more than a quarter-cup of the nuts can decrease weight more effectively than a snack comprised of complex carbohydrates and safflower oil—after just two weeks! (And after 24 weeks, those who ate the nuts experienced a 62% greater reduction in weight and BMI!) For optimal results, eat your daily serving before you hit the gym. Almonds, rich in the amino acid L-arginine, can actually help you burn more fat and carbs during workouts, a study printed in The Journal of the International Society of Sports Nutrition found.

Pistachios
Shutterstock

As it turns out, almonds aren’t the only superstar nuts around. Studies have shown pistachios aren’t bad to snack on either. UCLA Center for Human Nutrition researchers divided study participants into two groups, each of which were fed a nearly identical low-cal diet for three months. One group was given 220-calories of pretzels as an afternoon snack, while the other sect munched on 240-calories worth of pistachios. About a month into the study, the pistachio group had reduced their BMI by a point and improved their cholesterol and triglyceride levels, while the pretzel-eaters stayed the same.

Walnuts
Shutterstock

You know those heart-healthy omega-3 fatty acids you keep hearing so much about? Walnuts have more of those nutritious compounds than any other nut, which is reason alone to toss a handful of ’em onto a salad or eat them as part of a protein-packed snack, and they’re not lacking in other nutrients either. In fact, research has shown they might be especially beneficial to consume as you age. According to the Walnuts and Healthy Aging (WAHA) study, which is currently being conducted by researchers from the Hospital Clinic of Barcelona and Loma Linda University, preliminary findings suggest daily walnut consumption positively impacts blood cholesterol levels without adverse effects on body weight among older adults. Researchers instructed 707 healthy older adults to add daily doses of walnuts ( approximately 15 percent of caloric intake) to their typical diet or to consume their usual diet without nuts. After one year, the study found that both diets had minimal effect on body weight, triglycerides, and HDL cholesterol, however, the walnut-diet resulted in significant LDL cholesterol reductions compared to the control, nut-free diet.

Brazil nuts
Shutterstock

Like many other nuts, Brazil nuts are an excellent source of fiber, protein, and calcium, but they’ve also been shown to be especially beneficial in fighting prostate cancer thanks to their impressive magnesium and selenium content. In fact, a study that appeared in the Journal of the National Cancer Institute found that the inverse association between baseline plasma selenium levels and risk of advanced prostate cancer suggests that higher levels of selenium may slow prostate cancer tumor progression.

Cashews
Shutterstock

Cashews are good source of protein, phosphorus, magnesium, calcium and copper, and shouldn’t be overlooked as one of your go-to nuts. Magnesium boasts a myriad of health benefits such as helping your body relieve various conditions like constipation, insomnia, headaches and muscle cramps, as well as regulating the immune system and supporting brain function. They also contain a good amount of biotin, which will help keep your locks shiny and lustrous.

Various cooking oils
Shutterstock

Here’s your new mantra: Eat fat to lose fat.

It’s true: Our bodies need dietary fat—particularly healthy oils—in order to lose weight and function properly. The right kinds of fats and oils help quash hunger, maximize your metabolism, and speed nutrients through your body. But not all oils are created equal: Some are downright bad (like trans fats in margarines), while some fats are simply confusing (what’s a canola look like, anyways? And what’s this about an extra virgin?).

These oils have the highest levels of heart-healthy omega-3 fatty acids, monounsaturated fats, and lauric acid (all good for you), lower levels of omega-6 fatty acids and saturated fats (not so good for you), and zero trans fats (avoid at all costs).

Coconut oil melted
Shutterstock

Why It’s Great: Extracted from the meat of fresh coconuts, this tropical oil is a great source of the medium-chain saturated fat, lauric acid, which converts into energy more easily than other types of fat. Picking coconut oil over other less healthy fats, like lard and margarine, means less flubber is apt to be stored on your frame. (Swapping your standard cooking oil for this exotic version is one of our weight loss tricks you haven’t tried

How to Use It: This trendy oil can be used for anything you might use butter for, from frying to baking; use it for cookies, cakes, and pancakes. It’s so healthy, you’ll find it in some of the Zero Belly Diet smoothies. It also tastes great on toast and drizzled over homemade baked sweet potato “fries” with a bit of garlic powder, salt and pepper. Coconut oil breaks down when exposed to super high temperatures, so don’t deep-fry with it.

Oil
Shutterstock

Why It’s Great: Peanut oil is loaded with a monounsaturated fat called oleic acid (OEA) which can help reduce appetite and promote weight loss. Plus, research out of the University of California, Irvine, found that this particular type of fat boosts memory. Don’t forget it next time you cook.

How to Use It: Because of its high smoke point, peanut oil should be your go-to oil for frying and many high-heat tasks like wok-cooking and pan-searing.

Avocado oil
Shutterstock

Why It’s Great: Made from pressed avocados, this oil is rich in heart-healthy monounsaturated fats that may help improve cholesterol and ward off hunger. It also contains vitamins B and E and bloat-banishing potassium—it’s no surprise that it’s one of the preferred Paleo diet fats.

How to Use It: Like a salad oil. The oil has a mild nutty taste and a light avocado aroma. It works well drizzled over breads, fish, and homemade pizzas. It also pairs nicely with watermelon, grapefruit and oranges. Add some to your fruit salad to create a new twist on a classic dish.

Macadamia nut oil
Shutterstock

Why It’s Great: You’ll have to hunt around in the specialty stores for it, but this bold and buttery oil may be the healthiest you’ll find: Eighty-four percent of the fat in macadamia nuts is monounsaturated, and it has a very high percentage of omega-3s fatty acids. It’s also a source of phytosterols, a plant-derived compound that has been associated with decreased cancer risk.

How to Use It: Due to its medium to high smoke point, macadamia nut oil is best suited for baking, stir frying and oven cooking. For a quick snack, toss slices of sweet potatoes with the nut oil and bake in the oven on 350 degrees for 20 minutes or until crispy.

Olive oil
Roberta Sorge/Unsplash

Why It’s Great: Extra virgin olive oil may increase blood levels of serotonin, a hormone associated with satiety. Plus, olive oil is also loaded with polyphenols, antioxidants that help battle many diseases such as cancer, osteoporosis and brain deterioration.

How to Use It: Expensive extra-virgin, with its robust flavor, should be saved to dress salads, vegetables and cooked dishes. For cooking purposes, regular or light olive oil is sufficient.

Walnut oil
Shutterstock

Why It’s Great: Recently making a splash on restaurant menus and grocery store shelves, this oil has a rich nutty, roasted flavor. A small Pennsylvania State study found that a diet rich in walnuts and walnut oil may help the body respond better to stress and can also help keep diastolic blood pressure levels down. Walnut oil is also rich in polyunsaturated fatty acids which may increase diet-induced calorie burn and resting metabolic rate (the calories we use to keep our heart pumping and body running). And walnuts have more omega-3 fatty acids than any other nut.

How to Use It: Mix with sherry vinegar, olive oil, cumin and a pinch of salt and pepper to make a salad dressing. This oil doesn’t do well under heat, so it shouldn’t be used for hot surface cooking or high temperature baking.

Rapeseed canola oil
Shutterstock

Why It’s Great: Canola, derived from the seeds of a plant in the broccoli family, comes in toward the top of our list with its near-perfect 2.5:1 ratio of omega-6 to omega-3 fats. According to a study review published last year in Experimental Biology and Medicine, people who achieve a dietary ratio similar to this have been able to battle cancer, arthritis and asthma more effectively. It’s also rich in alpha-linolenic acid (ALA), an essential omega-3 fatty acid that may play a role in weight maintenance, according to a recent study.

How to Use It: This is the best option for everyday cooking situations. Canola oil can withstand relatively high levels of heat, and its flavor is fairly neutral, so it won’t dominate a dish.

Flaxseed oil
Shutterstock

Why It’s Great: Also known as linseed oil—yes, the stuff you used in art class—this fat contains ALA, an an essential omega-3 fatty acid that can aid weight maintenance and may reduce heart disease risks by promoting blood vessel health and reducing inflammation. This oil can also be used topically to fight carpal tunnel syndrome, according to a 2014 Iranian clinical trial.

How to Use It: Flaxseed oil doesn’t hold up well when exposed to heat. Drizzle it on top of salads or use it instead of olive oil or mayo when whipping up pestos, tuna salads and sauces. Or pour into a smoothie!

Spices in jars
Shutterstock

Wars were fought over them, best-selling pop groups were named after them and new continents were discovered in search of them. But before they were money or symbols of Girl Power, spices were medicines—healers that date back to the world’s first civilizations.

The 21st century brings a new chapter to the spice world story: one of scientific exploration. Today’s researchers are discovering incredible health and nutritional riches in spices. From balancing blood sugar to boosting brain power, and even promoting weight loss, here are five of the healthiest spices on the planet—plus helpful tips for making the best purchase for the ultimate healing spice rack!

Dark chocolate and cocoa powder
Shutterstock

How sweet it is! Dozens of studies show that people who consume cocoa–as a hot drink or eaten as dark chocolate–are in much better cardiovascular shape than those who don’t. One nine-year study in the journal Circulation Heart Failure found women who ate one to two servings of high-quality chocolate per week had a 32 percent lower risk of developing heart failure than those who said no to the cocoa. Researchers attribute cocoa’s health benefits to polyphenols and flavanols, anti-inflammatory compounds that help protect the heart in a number of ways. The benefits don’t stop at the heart, though. Studies have shown this sweet spice can help control inflammation-related diseases such as diabetes, liver cirrhosis, and degenerative diseases of the brain like Alzheimer’s.

Get the benefits: The most healthful dark chocolate contains 74 percent or more cocoa solids, but if you’re serious about a healthier heart, don’t buy anything under 60 percent cacao. We like Lindt’s 85% Cocoa Excellence bar. The chocolate in this bar isn’t alkalized–a process that strips out the bitterness at the cost of the cocoa’s natural, healthy compounds–and you can enjoy four indulgent squares for just 230 calories and 5 grams of sugar. The rule of thumb for buying cocoa: The more bitter, the better!

Cinnamon sticks
Shutterstock

Ironically, (or perhaps nature’s way of cutting us some slack) cinnamon–the warm spice that gives sugary baked goods extra flavor–can help control blood sugar and prevent against diabetes. One study found that adding a heaping teaspoon of cinnamon to a starchy meal is as effective as older generation diabetes drugs at stabilizing blood sugar and warding off insulin spikes. There are other health benefits of cinnamon: studies have shown the spice may improve cholesterol, ward off the effects of Alzheimer’s, and provide treatment for women with Polycystic Ovary Syndrome (PCOS).

Get the benefits: Will the real cinnamon spice please stand up? Cassia cinnamon is the variety you’re most likely to find at the grocery store, but it’s ceylon cinnamon, a milder, pricier variety that’s touted by health experts. You can find true cinnamon online or in Indian marketplaces and spice shops. It’s an essential part of the 150+ recipes for weight loss in Zero Belly Cookbook!

Turmeric
Shutterstock

Once referred to as “Poor Man’s Saffron” because of its deep yellow hue, turmeric is now touted by health experts as the “Golden Spice of Life.” Traditional to Indian cooking, turmeric owes its health benefits to the active ingredient curcumin, a powerful antioxidant shown to release its anti-inflammatory goodness to almost every cell in the body, boosting the immune system and treating a host of maladies from indigestion to cancer. The most recent research shows turmeric may be an effective treatment for brain disease. One recent study found that people at risk of cognitive impairment who added one gram of turmeric to breakfast showed significantly improved working memory after just six hours. There’s also a growing body of research into the role of curcumin in the prevention and treatment of Alzheimer’s disease.

Get the benefits: Turmeric is the only edible source of curcumin, so you want to sneak it into your diet as much as possible. While the spice is typical of curries, it’s not to be confused with curry powder—a blend of spices that includes turmeric. Look for turmeric from Alleppey, which has twice the curcumin than turmeric from Madras. The raw spice is rather harsh, so it’s best enjoyed cooked in dishes like stir-frys and stews, or as a seasoning for meat, poultry, and fish.

Ginger root
Shutterstock

Used for thousands of years to tame troubled tummies and aid digestion, ginger is mentioned in Chinese medical texts from the fourth century BC! And for the past few decades, scientists have been proving ginger works at quieting that queasy feeling. A significant body of research paints ginger as a powerful muscle relaxant which helps reduce soreness brought on by exercise by as much as 25 percent, as well as banishes bloat. Researchers attribute ginger’s health benefits to gingerols, compounds that are antioxidant, anti-inflammatory, antibacterial—and anti-disease. In fact, studies suggest ginger may reduce symptoms of arthritis, improve cholesterol, and prevent cancer.

Get the benefits: Fresh ginger is richest in gingerol—the compound that contributes to many of the spice’s health benefits. When buying the dried spice, researchers say you’ll get the most gingerol from organic varieties. Ginger is just one of amazing IBS remedies !

Garlic bulbs and cloves
Shutterstock

If you were to ask yourself, “Is there anything garlic can’t do?” the short answer to that question would be “No.” A review in Nutrition Journal showed the spice responsible for bad breath can also prevent and treat a myriad of cardiovascular and metabolic diseases, such as thrombosis, hypertension, and diabetes. More specifically, garlic has been shown to help reverse early heart disease by removing plaque buildup in arteries. A 2016 study published in the Journal of Nutrition involved 55 patients, aged 40 to 75 years, who had been diagnosed with metabolic syndrome. The results of the study showed that aged garlic extract effectively reduced plaque in coronary arteries (the arteries supplying blood to the heart) for patients with metabolic syndrome.

Cilantro leaves
Shutterstock

Though technically not a spice, cilantro is more than just a pretty garnish. The herb, though polarizing in terms of taste, contains a unique blend of oils that work much like over-the-counter meds to relax digestive muscles and alleviate an “overactive” gut. A study published in the journal Digestive Diseases and Science found that patients with IBS benefited from supplementing with cilantro as opposed to placebo because their bellies weren’t as bloated.

Rosemary
Shutterstock

Again, though it’s not technically a spice, rosemary deserves recognition beyond being sprinkled over a roast chicken. That’s because this flavorful herb is a powerful anti-inflammatory thanks to its high concentration of antioxidant compounds. Scientists believe the anti-inflammatory activity comes from the presence of carnosic acid and carnosol, two polyphenolic compounds in rosemary which a BMC Complementary and Alternative Medicine study discovered could effectively inhibit the production of pro-inflammatory cytokines.

Pour apple cider vinegar
Shutterstock

Apple cider vinegar, or ACV for short, is a type of vinegar made from fermented apples that has a distinct amber hue and a multitude of health benefits. For starters, it has been shown to quiet hunger hormones. According to a Bioscience, Biotechnology, & Biochemistry study, consuming apple cider vinegar each day can lead to weight loss, reduced belly fat, waist circumference, and lower blood triglycerides. More specifically, the study of obese Japanese participants found that those who consumed 1 tablespoon of ACV over a three month period lost 2.6 pounds, and those who consumed 2 tablespoons lost 3.7 pounds in the same time frame.

Chili spice
Shutterstock

The health benefits of the red-hot spice range from reducing blood pressure to clearing up sinus inflammation. But the hottest research revolves around weight loss. Fiery capsaicin, the compound that gives chiles their signature kick, has been shown to increase body heat, boost metabolic rate and decrease appetite. In fact, scientists are currently looking at turning capsaicin into an all-natural anti-obesity supplement for its ability to activate our “good,” calorie-burning brown fat stores. Scientists say capsaicin’s weight loss benefits occur at a molecular level by altering key proteins found in fat.

Get the Latest Issue of Our Magazine

Look, feel and live great while getting on the path to better health with the Eat This, Not That! Magazine.

Como aliviar uma dieta vegetariana baseada em plantas

As dietas baseadas em vegetais são mais modernas do que nunca. Todos, desde suas celebridades favoritas até seus colegas de trabalho, estão comendo menos carne, laticínios e ovos – ou desistindo completamente e se tornando vegetarianos ou totalmente vegetarianos. Essa mudança não é apenas benéfica para a sua própria saúde – também faz uma grande diferença em ajudar o planeta e os animais.

Tem havido vários estudos ao longo dos anos que mostraram o quanto comer uma dieta à base de plantas pode melhorar sua saúde geral. Pense nisso: quando você está enchendo seu prato com quase todas as plantas e poucas com nenhum produto animal, como não pode?

Existem inúmeros benefícios para a saúde da transição para uma dieta vegetariana baseada em vegetais.

“As dietas baseadas em plantas estão associadas a inúmeros benefícios para a saúde, incluindo – mas não limitadas a – baixar o IMC e diminuir o risco de obesidade, reduzindo o risco de (e possivelmente revertendo) os efeitos de doenças crônicas como diabetes, doenças cardiovasculares e tipos específicos. de cânceres, como câncer gastrointestinal ”, diz Whitney English, MS, RDN, de Plant-Based Juniors. “Dietas à base de plantas também podem ajudar a diminuir a pressão arterial, colesterol, HbA1C (um marcador de diabetes) e os níveis de açúcar no sangue.”

Embora esses benefícios para a saúde sejam impressionantes, um dos maiores atrativos para as pessoas é a capacidade da dieta de ajudar na perda de peso. Especialmente porque é algo que você pode manter a longo prazo em oposição às dietas da moda, como keto ou low-carb.

“Pesquisas mostram que comer regularmente grampos de uma dieta baseada em vegetais, como pulsos, pode ajudar na perda de peso. Em um estudo em O American Journal of Clinical NutritionPesquisadores descobriram que comer pulsos como grão de bico, feijão branco e lentilhas diariamente pode levar a uma perda de peso próxima a meio quilo em cerca de seis semanas ”, diz Amy Gorin, MS, RDN, proprietária da Amy Gorin Nutrition na área de Nova York. .

“Pesquise de lado, todos os alimentos em que uma dieta baseada em vegetais está concentrada – incluindo vegetais, frutas, nozes, sementes e leguminosas – estão repletos de vitaminas, minerais, antioxidantes e fibras que ajudam a saúde,” Gorin acrescenta.

Tornar-se vegetariano ou começar a comer mais plantas também pode beneficiar o planeta.

Além de beneficiar sua própria saúde, ir mais à base de plantas também pode ajudar a salvar o planeta. A carne não apenas exige muito mais água e energia para produzir do que plantas, mas a carne também é um dos maiores produtores de gases de efeito estufa que contribuem para o aquecimento global. De fato, uma equipe de 30 cientistas de renome mundial publicou recentemente um relatório que determina a dieta mais saudável para as pessoas e o planeta é baseado em plantas.

Cortar carne e laticínios também está salvando animais e tornando o mundo um lugar mais amável. A indústria de carnes e laticínios tem práticas cruéis envolvidas na obtenção de produtos da fazenda ao prato, incluindo manter os animais em fazendas industriais superlotadas por toda a vida, onde há pouco ou nenhum espaço para se movimentar e se envolver em seus comportamentos naturais, fazendo-os suportar e mortes dolorosas no matadouro.

Ao iniciar uma dieta baseada em vegetais, você fará bem a você e ao mundo. Aqui estão algumas dicas aprovadas por especialistas sobre como iniciar uma dieta baseada em vegetais e talvez você eventualmente queira abandonar completamente os produtos animais!


Shutterstock

Uma das maneiras mais fáceis de fazer a transição para uma dieta baseada em vegetais é participar das segundas-feiras sem carne: um dia designado da semana em que você promete abandonar a proteína animal e ficar com as plantas. Ele não apenas permite que você experimente pratos vegetarianos e veganos, mas também permite que seu corpo se ajuste a absorver fibras extras.

“A segunda-feira sem carne permite que você crie o hábito de fazer essas refeições e fique mais confortável com os métodos de preparação das proteínas vegetais”, diz Gorin. “A beleza de muitas proteínas vegetais é que muitas delas têm uma vida útil muito longa, então você pode acabar tendo mais flexibilidade no planejamento de suas refeições. E se você não está acostumado a ingerir uma quantidade saudável de fibras, é melhor diminuir lentamente de qualquer maneira: o aumento gradual das fontes de fibras – como feijões, frutas e vegetais – pode diminuir o risco de sintomas como inchaço ”.

Gorin diz que se você começar com uma refeição de segunda-feira sem carne por semana, pense em aumentar para um dia inteiro. Em seguida, adicione mais algumas refeições à base de plantas por semana até alcançar um status completo de fábrica.

Leite de amêndoa
Shutterstock

Pode parecer difícil desistir de laticínios: o queijo está incluído nessa categoria, afinal. Uma vez que você começa a reduzir, você pode ver sua pele começar a clarear, diminuir o risco de múltiplos tipos de câncer, melhorar sua saúde óssea e se tornar dona de um coração saudável, diz o Physicians Committee for Responsible Medicine. A maneira mais fácil de começar é substituir todos os produtos lácteos da sua geladeira por uma versão não láctea assim que ela acabar.

Em vez de leite de vaca, pegue amêndoa, soja ou uma das dezenas de outras alternativas de leite à base de plantas disponíveis, experimente o iogurte não lácteo, pegue um creme de leite à base de leite de castanha e encontre o seu queijo vegano favorito. “Experimentar alternativas não lácteas pode ser um ótimo primeiro passo, porque elas oferecem uma sensação na boca e paladar muito parecidas com suas contrapartes leiteiras”, diz o inglês. Existem várias opções para cada tipo e você pode experimentar até encontrar uma que adore.

Couve-flor do búfalo morde o rancho de aipo
Shutterstock

Se você está pensando em largar carne, laticínios e ovos, isso não significa que você ainda não pode ter suas comidas favoritas. Ir mais à base de plantas só lhe dá a oportunidade de refazê-las de maneira mais criativa e saudável.

“Antes de plantar, achei que teria que parar de comer todas as minhas comidas favoritas, mas aprendi rapidamente que esse não é o caso”, diz Hilary Hinrichs, treinadora de nutrição certificada e fundadora da Holistic Hilary. “Por exemplo, você pode fazer um molho de queijo e macarrão à base de vegetais a partir de uma mistura de castanhas de caju, cenoura, batata e levedura nutricional.”

Você também pode substituir a carne em seus pratos favoritos com plantas: “Há muitas variedades de plantas, mas meu favorito tem que ser asas de cauli”, acrescenta Hinrichs; “Eles estão preenchendo, saborosos e saudáveis ​​do que o original. Quem sabia que comer vegetais seria divertido? ”

Sopa de feijão branco
Shutterstock

Com medo de nunca se sentir satisfeito quando come principalmente plantas? Esse problema será resolvido rapidamente assim que você começar a garantir que está incluindo uma proteína à base de vegetais em todos os pratos.

“Uma das maneiras mais rápidas de ficar frustrado com uma dieta baseada em vegetais é sentir-se enforcado ou ter o estômago roncando. Proteína, juntamente com gorduras e fibras mono e poliinsaturadas mais saudáveis, ajudam a mantê-lo satisfeito por mais tempo ”, diz Gorin. “Em todas as refeições, não se esqueça de incluir uma fonte de proteína vegetariana e centralizar sua refeição em torno dela. Por exemplo, você pode misturar o grão-de-bico em macarrão com vegetais, fazer uma pizza de feijão branco ou fazer um tofu cacciatore. ”

Mulher, cortar, legumes, para, fazer, planta, baseado, tigela vegetariana
Shutterstock

Muitas vezes, quando se pensa em iniciar uma dieta baseada em vegetais, você fica zoneado com tudo o que está removendo do seu prato. “Em vez de se concentrar no que subtrair do seu prato, concentre-se no que você pode adicionar”, diz o inglês. “Há tantas opções diferentes para escolher, e você deve procurar obter de 5 a 7 porções de frutas e vegetais por dia.”

A próxima vez que você estiver no supermercado, passe algum tempo vagando para estimular algumas ideias. Vá até a seção de produtos e tome nota de coisas que você ainda não experimentou (ou não comeu há anos!) E explore as muitas opções de grãos e massas, tipos de nozes e proteínas vegetais como tofu, tempeh, seitan, grão de bico. e feijão. O único problema será tentar decidir o que cavar primeiro.

Vegetais de meia placa
Shutterstock

Se você está tentando descobrir como organizar seu prato quando está comendo mais vegetais, a maior coisa a ter em mente é garantir que metade dele esteja repleta de legumes.

“Esta é uma ótima dica para quem quer comer mais plantas. Legumes são um dos ingredientes de plantas de menor caloria lá fora e fornecem tantas vitaminas, minerais e antioxidantes ”, diz Gorin. “Assar um pouco de aspargo limão e alimá-lo com tofu e arroz selvagem. Ou fazer uma tigela de grãos de verão com feijão e legumes grelhados.

bife de tofu picante
Shutterstock

Falando em proteína vegetal, você provavelmente não vai gostar se não souber como prepará-lo adequadamente. O que provavelmente explica por que você abandonou o tofu desde aquela vez em que você tentou anos atrás, quando era definitivamente mal cozida e underseasoned.

“Algo que eu ouço com mais frequência do que qualquer outra preocupação é não gostar de tofu ou tempeh. Mas quando você aprende a temperá-los, tudo muda ”, diz Hinrichs. “A melhor coisa sobre o tofu, em particular, é que ele é bastante insípido, permitindo que você o use de muitas maneiras diferentes. Você pode misturá-lo com um prato de ovos mexidos e jogar fatias ou cubos na fritadeira ou no forno para obter pedaços crocantes. ”

Não importa qual seja a sua escolha de proteína vegetal, leve algum tempo para aprender a cozinhar e prepará-la. Assim como quando você aprendeu a cozinhar carne com perfeição, fazer o mesmo com as plantas vai levar um pouco de prática. Depois de dominá-lo, você entenderá por que as pessoas os amam muito e se perguntará por que você não pensou em se tornar vegetariano anos atrás.

cliente fazendo perguntas ao servidor sobre o menu
Shutterstock

Em sua busca para se tornar mais baseada em vegetais, você pode entrar em situações em que não sabe exatamente o que deve comer ou pedir. Nesses casos, especialmente quando você está em um restaurante com opções limitadas, não tenha medo de falar e sair do menu.

“Uma das coisas mais rápidas que você aprende ao adotar uma dieta mais baseada em vegetais é que você pode ter que pedir o menu algumas vezes. Como vegetariano, eu encontrei muito poucos garçons que ficam chateados com meus pedidos ”, diz Gorin. “Por exemplo, você pode pedir para adicionar ovos cozidos ou feijão a uma salada de proteína em vez de carne. E os restaurantes chineses devem ser capazes de adicionar tofu cozido no vapor a quase qualquer prato. ”Felizmente, existem inúmeras opções de fast food vegan se você quiser pedir uma refeição rápida em qualquer lugar.

Refeição prep café da manhã almoço jantar salmão salada panquecas frutas
Shutterstock

A maioria das pessoas cresce comendo a mesma Dieta Americana Padrão – algo baseado em carne, alimentos embalados e altamente processados, manteiga, laticínios ricos em gordura, ovos e muito açúcar. Quando você vai à base de plantas, você tem que repensar a maneira como você constrói suas refeições. Leva tempo para a sua mente se ajustar, mas sua saúde será melhor para ela.

“Comece fazendo carne um papel de apoio, em vez de a estrela do prato”, diz o inglês. “Há proteína em todos os alimentos vegetais, como leguminosas, nozes e sementes – não apenas produtos de origem animal”.

Legumes congelados
Shutterstock

Em vez de se sentir como você sempre tem que comprar vegetais frescos para viver essa vida #plantbased, estoque em opções congeladas. Eles ainda são ótimos para você, além de durarem mais e serem mais acessíveis.

“Legumes congelados são uma opção incrível quando você começa a transição para uma dieta baseada em vegetais por muitas razões”, diz Hinrichs. “Primeiro, eles são congelados em flash e podem reter mais nutrientes do que novas opções, especialmente quando eles vêm de uma fazenda que não fica nem perto de onde você compra suas compras. Quanto mais tempo o seu produto viaja, mais nutrientes são perdidos. Veggies congelados também são muito convenientes. Eles já estão cortados e tudo o que você precisa fazer é jogá-los em um prato de massa, servi-los com arroz ou adicioná-los aos seus smoothies. ”

Bagas de abacate bagas chia no liquidificador para smoothie
Shutterstock

Assim como vegetais, comprar sua fruta congelada também pode ser uma maneira acessível e conveniente de fazer a transição para uma dieta baseada em vegetais. Porque quem quer gastar US $ 7 em um pequeno contêiner de mirtilos frescos quando você pode obter um saco inteiro na seção do freezer pelo mesmo preço?

“Parte de comer uma dieta baseada em vegetais é adicionar mais plantas às suas refeições. Nem todos os produtos que você come precisam ser frescos, no entanto ”, diz Gorin. “Eu aconselho manter vários sacos de fruta congelada sem açúcar na mão. Minha opção favorita é blueberries silvestres congelados. Isso porque essas gemas oferecem mais antioxidantes que ajudam a saúde do que os mirtilos comuns e podem ajudar com tudo, desde aumentar a capacidade cognitiva até controlar os níveis de pressão arterial. Para uma refeição rápida, vou adicioná-los a um batido de manteiga de amendoim ou de couve-flor. ”

RELACIONADO: Encontramos as melhores receitas de smoothie para perda de peso e saúde total.

Batata-doce assada de grão de bico recheado
Shutterstock

Ir à base de plantas significa poder brincar com a comida mais do que nunca. Em vez de usar a lista padrão de ingredientes com os quais você cresceu, você começa a sair da caixa e descobre como criar pratos que adora com uma mentalidade completamente diferente. É um desafio divertido.

“Há tantas receitas e opções de plantas para tentar”, diz o inglês. “Divirta-se testando novas receitas, ou até mesmo tente recriar seus pratos favoritos, mas em forma de fábrica. Considere também experimentar opções baseadas em vegetais em restaurantes ou opções prontas disponíveis na mercearia. ”

Couve-flor assada
Shutterstock

Ninguém gosta de verduras crescendo – provavelmente porque, quando crianças, elas normalmente são servidas sem todas as maravilhosas especiarias e técnicas culinárias que as tornam tão saborosas. Quando você aprende como fazê-los corretamente, eles são algo que você deseja – não algo que você despreza.

“Uma das minhas coisas favoritas a fazer é mostrar aos vegetarianos que eles são maravilhosos”, diz Hinrichs. “Existem muitos métodos para cozinhar legumes, mas o meu favorito é definitivamente assá-los em papel manteiga e adicionar um pouco de óleo, sal e pimenta. Isso cria um bom exterior crocante. Eu também nunca esqueço de fazer um ótimo molho para os meus legumes. Meu go-to é uma simples pasta à base de tahine. ”

Para criar a pasta, Hinrichs compartilha sua receita favorita:

  • ⅓ xícara de tahine
  • 1 colher de sopa de molho de soja ou aminos líquidos
  • 2 a 3 colheres de sopa de levedura nutricional
  • Pitada de sal marinho
  • ¼ xícara de água, para diluir

Depois de mexer tudo em uma tigela pequena, você pode regá-lo em seus vegetais para aumentar o sabor, quer estejam fora do forno ou em uma salada ou tigela.

Mulher derramando suco de laranja em um liquidificador
Shutterstock

Outra maneira de aumentar o sabor em pratos à base de vegetais é cozinhar com suco de frutas. Pode parecer estranho, mas aumenta os benefícios para a saúde, adicionando micronutrientes. (Também faz você querer devorar tudo no seu prato.)

“Adicionar 100% de suco a receitas pode ajudar a aumentar o conteúdo nutricional do que você come, pois fornece vitaminas e minerais essenciais, incluindo vitamina C, potássio, folato e magnésio”, diz Gorin. “Costumo fazer um molho de salada saudável com suco de uva, mas você pode usar qualquer suco de fruta a 100%, como laranja, maçã ou romã. Você também pode refogar legumes no suco.

Mulheres comprando comida congelada
Shutterstock

Nas noites em que você não sente vontade de cozinhar, há muitas opções saudáveis ​​pré-fabricadas à base de plantas na mercearia. Algumas das escolhas mais fáceis de encontrar vêm da Amy's (como a General Tso's Bowl), da Sweet Earth Foods (como a Cauliflower Mac), Kashi (como a Sweet Potato Quinoa Bowl) e Gardein (como a Chick'n Florentine Frozen Refeição de Frigideira). É sempre mais saudável fazer sua própria comida, mas pelo menos seu freezer será abastecido com opções deliciosas quando você precisar delas.

Receba a última edição da nossa revista

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o Eat This, Not That! Revista.

Um guia para iniciantes de alimentação intuitiva

Imagine o seguinte cenário: você está no escritório, e um colega de trabalho traz uma variedade de biscoitos e assados ​​para que todos possam desfrutar. São três da tarde, você tem trabalhado duro o dia todo e vê um lindo biscoito de chocolate. Quase imediatamente, seu diálogo crítico de comida interior começa a pensar: “Mas os cookies estão cheios de açúcar e gordura”, “não é meu dia de fraude”, “se eu comer esse biscoito, vou ganhar peso”, e o pior tudo, “Se eu comer esse biscoito, significa que estou sendo ruim”.

Você resiste a comer o biscoito, anda de volta ao seu escritório, ainda pensando no biscoito, mas está determinado a não ceder ao desejo. Agora são 15h15, você está procurando nas gavetas de seu escritório o estoque de bolinhos de arroz de baixa caloria, mastiga alguns e depois mastiga mais. Até o momento 3:18 p. rola ao redor, o pacote se foi. Você se esgueira pela esquina até o pote de doces de seus colegas de escritório e pega algumas peças enquanto conversa amigavelmente. Até o momento 3:23 p. rola ao redor, você se encontra de volta à cozinha do escritório, pegando o biscoito de chocolate, e às 3h25 da tarde. greves, o biscoito se foi e uma onda intransponível de culpa e vergonha chega porque você desabou e se deixou comer o biscoito de chocolate.

Agora, imagine um cenário diferente. Você vê a deliciosa variedade de assados ​​na cozinha da equipe, o biscoito de chocolate parece realmente satisfatório, você escolhe um e leva-lo para um local relaxante que não é seu escritório, sente-se para apreciar o sabor, textura e sabores de o cookie e, quando estiver satisfeito, você volta para o escritório para terminar o resto do dia de trabalho.

Com qual cenário você se identifica mais? Se você se identifica com o primeiro cenário, não está sozinho. Estima-se que cerca de metade dos adultos americanos estejam em dieta para fins de perda de peso. Se o segundo cenário parecer mais atraente para você, então explorar a alimentação intuitiva pode ser bom para você.

Aqui, saiba mais sobre a alimentação intuitiva, seus 10 princípios básicos e se é certo para você.

O que é comer intuitivamente?

A alimentação intuitiva é uma abordagem de saúde mente-corpo baseada em evidências que foi criada por duas nutricionistas registradas, Evelyn Tribole e Elyse Resch, em 1995. A alimentação intuitiva é composta de 10 princípios que servem para cultivar ou remover obstáculos à consciência interoceptiva, ou a própria capacidade de estar em sintonia com as sugestões do corpo. A alimentação intuitiva é um processo muito pessoal, e não há dois indivíduos que experimentem o mesmo modo de comer intuitivamente. O raciocínio por trás disso é comer quando você está com fome, parando quando está cheio, comendo alimentos que realmente satisfazem, tendo permissão incondicional para comer e controlando emoções sem usar comida. Ao fazê-lo, permite que o seu corpo se ajuste naturalmente ao seu peso pretendido e, quando ingerir alimentos verdadeiramente satisfatórios, irá gravitar naturalmente para uma dieta variada e nutricionalmente equilibrada.

Quais são os princípios básicos?

Os críticos da alimentação intuitiva advertem que, se todos começássemos a comer o que quiséssemos quando quiséssemos, perderíamos toda a forma de autocontrole e os princípios nutricionais voariam pela janela. O que os críticos tendem a perder é que a alimentação intuitiva é muito mais sutil do que comer o que você quiser sempre que quiser, e é por isso que existem 10 princípios orientadores da alimentação intuitiva para nos ajudar ao longo do caminho.

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

Princípio 1: Rejeitando a Mentalidade da Dieta

Este princípio chega ao cerne da questão e aborda os perigos da dieta. Desde o início, você é solicitado a se livrar de quaisquer ferramentas de dieta que você está segurando, e deixar de ir a busca da perda de peso. A fim de abraçar totalmente a alimentação intuitiva, as decisões sobre quais alimentos comer, quando e quanto devem ser ditados por sinais internos, em vez de sugestões externas. Se a perda de peso é o objetivo final, as escolhas alimentares serão impulsionadas por estímulos externos.

Princípio 2: Honre sua fome

Este é o primeiro passo para restabelecer a consciência interoceptiva. Aqui, você é instruído a comer quando estiver com fome, o que pode ser diferente do que aprendeu durante a dieta, especialmente se lhe dissessem que precisava “ganhar” o direito de comer (o que significava apenas comer quando estivesse completamente faminto). e voraz com fome). Com a prática, os comedores intuitivos tornam-se muito habilidosos em distinguir entre a fome educada, a fome pelo gosto, a fome emocional e até mesmo algo conhecido como fome prática. Honrar a fome é introduzido no início do processo, pois é uma peça essencial para reconectar a mente com as dicas do corpo.

Princípio 3: Fazer a paz com os alimentos

Isso ajuda você a começar a fazer as pazes com a comida – todos os alimentos. Neste princípio intuitivo da alimentação, você estará fazendo muitas perguntas sobre como e por que rotula os alimentos como “bons” ou “ruins”. De uma maneira sistemática, você irá lentamente navegar através dos mitos que destroem por que certos alimentos se tornou fora dos limites, porque você acredita que não pode confiar em si mesmo em torno desses alimentos, e eventualmente você será solicitado a incorporar esses alimentos de volta à sua rotina alimentar. Algumas pessoas acham que se beneficiam de apoio adicional durante essa etapa, e buscar orientação de um profissional experiente pode ser uma ótima maneira de praticar essa etapa com segurança.

Princípio 4: Desafie a Polícia Alimentar

Esse princípio muitas vezes deixa as pessoas irritadas, porque é tudo sobre empurrar para trás e desafiar seus próprios pensamentos. Durante este princípio, você provavelmente estará despertando memórias antigas da primeira infância que talvez você não tenha pensado por décadas. As regras alimentares são frequentemente transmitidas por membros da família bem-intencionados e, para fazer um inventário das regras alimentares que já não lhe servem, é necessário fazer um trabalho mais profundo aqui. Você também aprenderá sobre os diferentes tipos de “vozes de alimentos” com as quais você pode ser desafiado, como o informante nutricional que o lembra de contagens de calorias e gramas de açúcar adicionado. Você também aprenderá como transformar o diálogo interno inútil em mensagens úteis e estimulantes.

Princípio 5: Respeite sua Plenitude

Este não segue imediatamente o princípio 2 como você poderia esperar. Isso é porque é muito mais fácil reconhecer quando você está com fome e comer quando está com fome, e um pouco mais desafiador para reconhecer os diferentes níveis de saciedade e realmente parar de comer quando você alcançou esse nível confortavelmente completo. Aqui, mais uma vez, encontramos regras familiares bem-intencionadas entrando em cena – se você cresceu com a expectativa de que você deve comer cada última partícula de comida do seu prato antes de ter permissão para sair da mesa ou ter sobremesa, esse princípio Pode levar algum tempo para desfazer esse hábito.

Princípio 6: Descubra o Fator de Satisfação

Este é provavelmente um dos princípios mais fundamentais de todo o conceito de comer intuitivo. Quando escolhemos alimentos baseados em sabor, sabor, textura, aroma e não baseados em gramas de gordura ou calorias, a experiência de comer é mais satisfatória, e é provável que comemos menos alimentos a longo prazo. Durante este princípio, você será solicitado a considerar as motivações por trás da seleção de alimentos, e você será solicitado a ir em uma jornada sensorial com suas escolhas alimentares, reconectando-se com todas as diferentes complexidades dos alimentos que são verdadeiramente satisfatórios para você. Você também pode encontrar-se agradavelmente surpreso ao descobrir que alimentos anteriormente fora do limite não são tão satisfatórios assim!

Princípio 7: Honre seus sentimentos sem usar alimentos

Isso requer que você expanda sua caixa de ferramentas atual de mecanismos emocionais de enfrentamento. Para muitos adultos, quando se deparam com uma situação emocionalmente estimulante, a comida é usada como uma solução para o autossustecimento. Isso faz todo o sentido para aqueles que foram criados em famílias onde a comida era usada como recompensa ou como um substituto reconfortante para sentimentos perturbados. Neste princípio, você aprenderá a melhor identificar e rotular suas emoções, aprender a se sentar com emoções desconfortáveis ​​e aprender a administrar as emoções de maneira produtiva, em vez de silenciá-las com alimentos. Muitas vezes, nesse ponto do processo, algumas pessoas reconhecem que se beneficiariam de apoio adicional para ajudar a lidar com traumas passados.

Princípio 8: Respeite seu corpo

Este princípio da alimentação intuitiva tem a ver com o hábito de abordar seu corpo com gentileza e respeito, e reconhecendo que ele continua a aparecer para você, apesar de anos de abuso corporal de dietas. Os autores e criadores da alimentação intuitiva são muito intencionais sobre enfatizar o fato de que, para cuidar de algo, você deve respeitá-lo primeiro. Respeitar o seu corpo não exige que você o aceite como ele é, mas ajuda a ver toda a maravilha que seu corpo faz.

Princípio 9: Exercício – sinta a diferença

Isso ajuda os leitores a desmascarar os mitos relacionados ao exercício físico e amplia a idéia de exercício no movimento geral. Quando movemos nossos corpos para diversão e não para perda de peso, estamos muito mais motivados a nos movermos com mais frequência durante o dia. Muitos dieters crônicos têm uma reação adversa ao termo “exercício”, então este princípio requer uma reformulação suave de como o movimento pode parecer. Você redescobrirá os tipos de movimento que trazem alegria ao seu corpo, eleva seu humor e faz com que você realmente espere por essa atividade.

Princípio 10: Honre Sua Saúde – Nutrição Suave

Este princípio é salvo até o final, para que o conceito de alimentação intuitiva não caia na categoria de dieta. Neste princípio, os conceitos da ciência da nutrição são discutidos; no entanto, não é necessário se deixar levar pelas minúcias nutricionais, porque as evidências mostram que, quando você está comendo intuitivamente, naturalmente gravitará em direção a uma maneira mais nutricionalmente equilibrada de comer. Sim, a nutrição pode ser assim tão simples!

Quais são os benefícios para a saúde da alimentação intuitiva?

Até o momento, houve mais de 90 estudos investigando os benefícios da alimentação intuitiva. Indivíduos com pontuação mais alta na Escala Intuitiva de Alimentação se beneficiam fisicamente, psicologicamente e emocionalmente.

Para resumir, os comedores intuitivos, em todas as faixas etárias, sexos e etnias, têm em comum o seguinte:

  • Índice de massa corporal inferior (IMC)
  • Triglicerídeos inferiores
  • HDL mais alto (o colesterol “bom”)
  • Maior auto-estima, bem-estar, otimismo, apreciação e aceitação do corpo, habilidades de enfrentamento proativas, resistência psicológica, auto-estima incondicional, prazer de comer e comer uma variedade de alimentos
  • Ideal menos internalizado de ser magro, distúrbios alimentares, comer emocional e auto-silenciamento

Os críticos da alimentação intuitiva avisam que, se você comer o que quiser, quando quiser, perderá todo o senso de controle e não se sentirá motivado a comer uma dieta nutricionalmente adequada ou equilibrada. No entanto, o oposto é verdade! Um estudo de 2006 descobriu que os comedores intuitivos faziam uma dieta mais diversificada sem se voltarem para a junk food, tinham mais prazer em comer e comiam uma dieta mais saudável do que aqueles que não comiam intuitivamente.

RELACIONADO: Estas são as receitas caseiras fáceis e saudáveis ​​que você vai adorar.

Existe alguém que não deva tentar comer intuitivamente?

A alimentação intuitiva tem se mostrado benéfica e eficaz em todo o mundo em crianças, adolescentes, adultos e em pessoas com diferentes doenças crônicas, como diabetes. O ponto-chave a ter em mente é que a alimentação intuitiva é um processo muito pessoal. Por exemplo, alguém nos estágios iniciais de recuperação de um distúrbio alimentar pode não estar pronto para confiar nos sinais de fome ou satisfação, mas pode começar a trabalhar em outros princípios, como desafiar a polícia de alimentos e respeitar seus corpos.

Como alguém pode começar a comer intuitivamente?

Felizmente, existem muitos recursos excelentes para aqueles que estão interessados ​​em começar a comer intuitivamente! Você pode obter uma cópia do Alimentação Intuitiva livro e livro de acompanhamento. Existem grupos de apoio online e grupos de apoio em pessoa surgindo em todo o mundo. Você também pode encontrar um conselheiro de alimentação intuitivo certificado em sua área, e alguns até fornecem treinamento virtual.

Esta é uma maneira eficaz de perder peso?

Os autores da alimentação intuitiva deixam muito claro desde o início que a alimentação intuitiva NÃO é um programa de perda de peso e que, para abraçar totalmente a alimentação intuitiva, as metas de perda de peso devem ser colocadas em segundo plano ou então as escolhas alimentares serão feitas. a motivação para perda de peso e não com motivação para satisfação. Um estudo de 2012 mostra que os indivíduos com pontuação mais alta na Escala Intuitiva de Alimentação tendem a ter IMC mais baixos. Isto sugere que as pessoas que comem em resposta a sinais de fome e saciedade têm permissão incondicional para comer e lidar com emoções sem usar comida, e elas são menos propensas a se envolver em comportamentos alimentares que levam ao ganho de peso. No entanto, a maioria das pessoas que embarcam na jornada intuitiva de comer percebem rapidamente que os benefícios obtidos vão muito além da perda de peso, e que a perda de peso logo se torna um problema.

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

30 buzzwords sobre comida e saúde e o que significam

Escolha um dos corredores do supermercado e você os verá: os chavões dos alimentos saudáveis: orgânicos, livres de transgênicos, antioxidantes, multigerais, sem glúten, sem xarope de milho rico em frutose e muito mais. Estas frases estão coladas em produtos de todos os níveis do espectro de alimentos saudáveis, variando de barras energéticas a refrigerante.

A questão é que muitos de nós estão se tornando cada vez mais conscientes da saúde sem realmente saber o significado por trás dessa linguagem nutricional. Como resultado, muitas vezes estamos comprando alimentos aparentemente bons para você, que na verdade são tão ruins quanto alimentos “não saudáveis” estereotipados.

Simplificando, estas palavras de ordem enganosas são muitas vezes ferramentas de marketing destinadas a destacar o bem enquanto distraí-lo do mal da dieta. Nós não estamos dizendo que essas palavras são somente buzzwords; estamos dizendo que eles estão frequentemente em pacotes para incentivar você a comprar o produto dessa empresa. Não queremos que você simplesmente descarte essas frases como truques (isso seria ainda mais imprudente!), Mas queremos ajudar você a entender quais termos serão os melhores guias para promover sua jornada de perda de peso.

Então, descobrimos os fatos e definições (ou a falta deles) das palavras-chave mais comuns dos alimentos saudáveis.


Shutterstock

Vacas com certificação orgânica são obrigadas a passar pelo menos quatro meses por ano pastando em pastagens, sua alimentação é cultivada sem fertilizantes químicos, pesticidas ou sementes geneticamente modificadas, e as vacas não são tratadas com hormônios ou antibióticos. Quanto ao produto, as plantas são tratadas apenas com fungicidas, pesticidas ou herbicidas que o USDA considera seguros (sim, alimentos orgânicos podem ser tratados com pesticidas) e não usam fertilizantes sintéticos, lodo de esgoto, organismos geneticamente modificados ou radiação. .

Pode ser caro, mas vale a pena o dinheiro? Um estudo de 2016 publicado no British Journal of Nutrition descobriram que os laticínios e a carne orgânicos contêm cerca de 50% mais ácidos graxos ômega-3 imunológicos, cardio e neuroprotetores do que os animais alimentados com grãos convencionais. Um estudo separado publicado em 2014 no mesmo jornal descobriu que as culturas orgânicas têm concentrações substancialmente mais elevadas de antioxidantes e outros compostos potencialmente benéficos. Isso conferirá algum benefício nutricional ou de saúde ao consumidor? A Anais da Medicina Interna O estudo diz que sim – os pesquisadores descobriram que comer produtos orgânicos e carne reduz a ingestão de pesticidas e reduz sua exposição a bactérias resistentes a antibióticos.

Faca de manteiga de amêndoa
Shutterstock

Um produto não merece um lugar automático no seu carrinho de compras apenas por ostentar este rótulo. O termo “natural” é comumente mal entendido e mal interpretado – provavelmente porque a alegação não é realmente regulada pelo FDA. “Com isso dito, a FDA parece bem em usar este termo se os alimentos não contiverem cores adicionais, sabores artificiais ou substâncias sintéticas”, diz Maria-Paula Carrillo, MS, RDN, LD. Então, basicamente, apenas nada que você não faria Espero encontrar na comida. Tudo que você precisa saber é isto: Natural não significa necessariamente saudável. Dê uma olhada na lista de ingredientes se você realmente quiser saber se o que você está colocando na sua boca realmente veio da natureza.

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

Corante
Shutterstock

Quando você vê produtos que dizem algo como “sem aditivos artificiais”, isso significa que realmente não há ingredientes “artificiais” incluídos em sua comida saudável – hooray! Segundo a FDA, ingredientes artificiais são aqueles que “não são encontrados na natureza e, portanto, devem ser sinteticamente produzidos como ingredientes artificiais”. Eles também explicam que alguns desses ingredientes são “encontrados na natureza”, mas podem ser produzidos “mais economicamente”. ”Quando são produzidos artificialmente. A FDA defendeu o fato de que esses aditivos não são prejudiciais à saúde, mas recentemente aprovaram a remoção de sete sabores artificiais do suprimento de alimentos até outubro de 2020, após um grupo ambiental processá-los, citando ligações com o câncer em animais.

Açúcar branco em colher de pau, descansando em açúcar mascavo
Shutterstock

A única coisa sem açúcar significa que um produto não tem açúcar de cana refinado. Não significa que a comida não tenha outros adoçantes “naturais”, como xarope de agave ou arroz integral, adoçantes artificiais ou álcoois de açúcar. Embora alguns desses adoçantes estejam bem (nós lhe diremos quais em nosso relatório exclusivo, adoçantes classificados por saúde), é certamente enganador descobrir que um produto “sem açúcar” tem 15 gramas de açúcar.

Alimentos probióticos
Shutterstock

Os probióticos são culturas bacterianas vivas que consumimos naturalmente em alimentos fermentados não pasteurizados. Acredita-se que eles sejam benéficos para nossa saúde geral por meio de sua suposta capacidade de restaurar um equilíbrio adequado às nossas entranhas. Embora, a ciência por trás disso ainda tenha que provar como ou mesmo se eles são eficazes; probióticos vivos muitas vezes não sobrevivem ao ambiente hostil do estômago. Na verdade, a FDA ainda não aprovou o uso de suplementos probióticos para tratar problemas de saúde, o que significa que os profissionais de marketing podem ficar loucos com suas alegações probióticas – especialmente quando estão adicionando uma “cepa probiótica” não encontrada naturalmente na comida. ameixas secas, “granola probiótico” e “misturas de panificação probiótica”.) Alimentos fermentados não pasteurizados – como chucrute, iogurte, miso e kefir – que dizem “culturas ativas vivas” são provavelmente a melhor fonte de probióticos, em vez de um item enriquecido com insetos do intestino.

Alimentos pré-bióticos para a saúde intestinal - espargos alho-poró cebola alho morangos bananas
Shutterstock

Agora que você sabe sobre probióticos, é hora de aprender sobre prébióticos. Este é um grupo de carboidratos, especificamente fibras solúveis, que passam pelo intestino grosso não digerido, indo até o intestino. Aqui, eles são digeridos pelas bactérias que vivem no seu intestino (os probióticos). Os prebióticos promovem a saúde intestinal apoiando a saúde dos probióticos, o que pode, por sua vez, ajudá-lo a absorver os nutrientes essenciais, manter o apetite controlado, diminuir a inflamação e regular o peso corporal. Embora seja recomendável comprar seus prebióticos a partir de alimentos integrais, você também os verá listados nos rótulos dos alimentos como fibras funcionais, como isomaltooligosaccharides (IMO), fibra de tapioca, fibra de raiz de chicória ou inulina.

Despeje sementes de chia sobre iogurte
Shutterstock

No entanto, outro termo não regulamentado que os profissionais de marketing usam para fazer com que você compre um produto. Alimentos funcionais são apelidados de “funcionais” por especialistas, simplesmente porque eles têm benefícios para a saúde além do preenchimento de calorias. É uma boa distinção se você os estiver comparando com fast food, mas, de outra forma, quase todos os alimentos integrais podem ser considerados funcionais. No entanto, os profissionais de marketing alegarão que esses alimentos promovem a saúde ajudando a reduzir o risco de doenças, ajudando na digestão. melhore a absorção de nutrientes, aumente seu metabolismo ou ajude a perder peso. Muitos deles podem, mas certifique-se de fazer sua própria pesquisa antes de comprá-los.

galinhas vagando em pastagem de grama levantada
Shutterstock

Embora essa afirmação certamente pareça ser regulamentada – como você verá em tudo, de produtos de carne a embalagens de ovos -, o termo foi tecnicamente criado por uma marca de alimentos. Os produtos criados em pasto não exigem verificação de terceiros nem inspeção na propriedade, de acordo com o manual Greener Choices do Consumer Reports, uma organização independente sem fins lucrativos que reúne uma lista de termos comuns de rótulo e o que eles significam. Embora as alegações de “pastagem elevada” pareçam como o animal viveu toda a sua vida pastando no pasto, isso nem sempre é o caso. Muitas vacas e galinhas criadas em pastagens ainda podem receber grãos suplementares, tanto durante a estação de pasto quanto nos meses de inverno. Se você quiser comprar laticínios ou carne bovina de vacas que foram 100% alimentadas com capim, a Consumer Reports sugere que você procure por uma alegação verificada em pastagem. Quanto aos ovos, você terá que confiar nas informações fornecidas pela empresa. Se você ver “pasto criado” emparelhado com “orgânico” e “humano certificado”, pelo menos você saberá que as galinhas foram bem tratadas.

Homem, segurando, recentemente, colhido, cenouras, por, a, caule, com, sujeira, neles
Shutterstock

Por enquanto, você provavelmente encontrará essa certificação apenas nos produtos Kashi, já que o programa é patrocinado pela marca de alimentos saudáveis. O objetivo é apoiar os agricultores que estão fazendo a transição para a certificação orgânica – um processo que leva três anos. Como menos de um por cento de toda a terra das fazendas americanas é orgânica, Kashi espera apoiar fazendas que lutam para obter essa certificação orgânica, já que é necessário muito tempo, esforço e dinheiro para adquiri-la. O selo “Certified Transitional” simboliza os bens produzidos nos mais altos padrões durante a transição de um agricultor para a agricultura biológica, ao mesmo tempo que lhes paga salários justos. Soa bem para nós!

pós superalimento
Shutterstock

Conjurando imagens de blueberries em capas e meias-calças lutando contra os males da dieta, o termo “superalimento” é, na sua raiz, principalmente um termo de marketing. Basicamente, os superalimentos são alimentos densos em nutrientes que são frequentemente aclamados como não apenas benéficos para a saúde, mas também possuem o poder de prevenir ou curar muitas doenças. De acordo com o Cancer Research UK, uma instituição de caridade e pesquisa sobre câncer, “O termo 'superalimento' [has] pouca base científica. É certamente verdade que uma dieta saudável, equilibrada e variada pode ajudar a reduzir o risco de câncer, mas é improvável que qualquer alimento individual faça uma grande diferença sozinho. ”Mas, ei, isso não significa isso. Você vai se machucar para colocá-los em sua “dieta saudável, equilibrada e variada”. Comece com estas melhores receitas de sementes de chia!

Pão branco na tábua de madeira
Shutterstock

Produtos sem glúten estão inundando os corredores dos supermercados mais rápido do que o iPhone mais recente. Mas as pessoas realmente sabem do que sua comida é livre? O glúten é o termo geral para armazenar proteínas encontradas em certos grãos de cereais. Essas proteínas – especialmente a glutenina e a galiadina – ajudam a manter a forma da comida, e são a razão pela qual o seu pão está cheio de bolsinhas de ar leves e fofas. Se você não tem a doença celíaca ou uma sensibilidade ao glúten, não há nenhuma razão real para você evitar o glúten, além do fato de que aqueles que fazem uma dieta sem glúten frequentemente cortam muitos pães refinados brancos ultraprocessados. – que é ótimo para perda de peso e redução da inflamação.

RELACIONADO: Seu guia para a dieta anti-inflamatória que cura seu intestino, retarda os sinais de envelhecimento e ajuda a perder peso.

Vacas alimentadas com capim
Shutterstock

Embora os livros de seus filhos sugiram que todas as vacas pastam na grama, isso nem sempre é o caso da agricultura animal. Normalmente, as vacas são mantidas em gaiolas, alimentadas com uma dieta artificial de milho e soja, ficam doentes e são injetadas com hormônios de crescimento, esteróides e antibióticos. O resultado é um corte de carne ou leite que é rico em gorduras saturadas inflamatórias. Mas os cortes de vacas alimentadas com capim são naturalmente mais magros (menos gordura por grama), têm menos calorias que a carne convencional e contêm níveis mais altos de ácidos graxos ômega-3 saudáveis ​​e duas a cinco vezes mais CLA (conjugados linoleicos). ácido). O CLA, um tipo de ácido graxo, tem sido conectado a uma variedade de benefícios à saúde, incluindo suporte ao sistema imunológico e inflamatório, melhor regulação do açúcar no sangue, redução da gordura corporal, redução do risco de ataque cardíaco e manutenção da massa corporal magra.

Pulverizador de pesticidas
Shutterstock

Embora o OGM – Organismos Geneticamente Modificados – tenha se tornado um termo mainstream, a maioria das pessoas ainda não sabe exatamente o que isso significa. Se você vir um produto rotulado como “Não-GMO” ou “Livre de OGM”, significa que os ingredientes usados ​​não são de organismos que tiveram seu material genético manipulado ou alterado em um laboratório. O termo não é regulado pelo governo, mas por uma organização sem fins lucrativos chamada “The Non-GMO Project”. A Academia Nacional de Ciências concluiu recentemente em um documento de 400 páginas que não há evidências para apoiar os OGMs. no entanto, o relatório não mencionou o fato de que os OGMs resistentes a pesticidas – milho e soja – permitem que os agricultores pulverizem suas lavouras sem abandonar. O resultado é que vários estudos descobriram que esses pesticidas contendo carcinógenos são passados ​​para os consumidores. Resumindo: os alimentos não OGM costumam ser melhores para você, se contiverem milho ou soja, mas isso não lhe dá um passe livre para cobrir o rótulo nutricional. Se você deseja aprofundar o rótulo de OGM, veja qual é a diferença entre não-OGM e orgânico.

caixa de ovo livre de gaiola
Shutterstock

Evoca fotos de galinhas soltas, mas isso nem sempre é o caso. Geralmente, sem gaiolas significa apenas que as galinhas estão dentro de um celeiro sem acesso ao exterior. Ar livre significa que o celeiro tem uma porta que permite que as galinhas saiam, mas elas raramente o usam. Se você estiver preocupado com o tratamento de animais e com ovos de maior qualidade, procure por ovos criados em pasto e orgânicos.

Snacks de frutas
Shutterstock

Muitas vezes você verá isso em guloseimas orgânicas ou até em sucos de frutas, mas isso não deve fazer você pensar que o produto é um retrato da saúde. Muitas vezes, isso se traduz em concentrado de suco de fruta, que não possui quase os mesmos benefícios que a fruta inteira. Os concentrados de suco de frutas são ricos em frutose – uma molécula de açúcar que nosso corpo transforma em compostos gordurosos e inflamatórios mais facilmente do que com a glicose. Você pode estar se perguntando: “Por que isso é tão ruim se é naturalmente encontrado em frutas?” A resposta é que os frutos contêm muito menos por porção (lembre-se, este é um concentrado). E alguns contêm ainda menos que outros; confira quanto açúcar está na fruta.

Pacote de pergaminho de abobrinha de salmão cenoura
Shutterstock

É provável que você esteja familiarizado com o termo em referência ao peixe e ao óleo de peixe, mas provavelmente também o viu usado com sementes e verduras. O que da? Aqui estão os princípios básicos: os Ômega-3 são uma classe de ácidos graxos poli-insaturados, o que basicamente significa que eles são líquidos à temperatura ambiente. (Pense óleo de peixe em comparação com uma gordura principalmente “saturada” como manteiga.) Os famosos ácidos graxos ômega-3 vêm em 11 formas diferentes, mas apenas três são essenciais para os seres humanos: ALA à base de plantas e DHA à base de peixe e EPA . Eles provaram ajudar na redução da inflamação, níveis de colesterol, gordura corporal e fome, podem ajudar a aliviar os sintomas de artrite e asma, proteger o cérebro de danos causados ​​por uma dieta rica em açúcar e minimizar o risco de Alzheimer e depressão. Onde nos inscrevemos? Bem aqui: as melhores fontes alimentares de ômega-3.

Garrafas de vinagre de cidra de maçã Braggs
ThamKC / Shutterstock

Ou, em termos leigos, o vinagre de maçã. Este grampo de despensa não só pode ser usado para preparar curativos de gordura e marinadas, mas também é uma ferramenta inestimável no seu arsenal de perda de peso. O ACV é cheio de ácido acético, um composto que retarda o esvaziamento gástrico para mantê-lo mais cheio por mais tempo. Pegue um com a “mãe do vinagre” para obter um impulso adicional de ferro, vitaminas B de energia, desintoxicação de compostos fenólicos, enzimas de digestão e pectina prebiótica, um tipo de carboidrato que promove a digestão saudável, incentivando o crescimento de boa bactérias em seu intestino.

Pão integral
Shutterstock

Aqui está sua aula de biologia de um minuto do dia: grãos de cereais – como trigo, centeio, aveia e cevada – são realmente apenas sementes comestíveis de gramíneas. Cada semente inteira é composta de várias camadas em torno do germe / embrião (linguagem da ciência para uma plantinha), como o endosperma, o farelo e a casca. Quando um grão é refinado, como é para farinha branca e arroz branco, a casca e as camadas externas do grão são removidas. A questão com isto é que estas camadas protectoras são ricas em nutrientes, particularmente energizando as vitaminas do complexo B e retardando a digestão da fibra. Além da dura casca exterior, os grãos integrais vêm completos com as três primeiras camadas. Se um produto diz “feito com grãos integrais”, ele ainda pode conter a maioria da farinha branca. Certifique-se de que o rótulo tenha especificado “100% de grãos integrais” para colher os benefícios dos alimentos ricos em fibras!

Massa integral
Shutterstock

Infelizmente, ver o rótulo “multigrain” em um produto é tão confiável quanto as promessas de campanha de sua congressista local. O termo significa simplesmente que existem diferentes tipos de grãos presentes, tipicamente aqueles da variedade refinada, como milho e farinha de trigo. Além disso, muitos produtores apenas usam corantes adicionados para tornar seu produto mais natural. Tome Cheerios Multigrain, por exemplo; o cereal tem cor de caramelo adicionado a ele para aumentar as diferenças em grãos, o que quase lhe rendeu um lugar em nossos piores cereais “saudáveis” se não fosse por seus razoáveis ​​fatos nutricionais.

Xarope de milho
Shutterstock

O xarope de milho com alto teor de frutose (HFCS) é um adoçante criado pela adição de enzimas para decompor o milho em açúcar. Como o xarope de milho é tradicionalmente uma porcentagem mais alta de glicose (a molécula de açúcar que seu corpo e cérebro usam principalmente como combustível) do que a frutose (a molécula de açúcar de sabor mais doce), outra enzima é adicionada para converter parte dessa glicose em frutose. mais doce.

O problema aqui é que seu corpo quebra a frutose de forma diferente da glicose, e não pode usar tanto dela para energia. O resultado dessa diferença, conforme destacado em uma revisão do Revista Americana de Nutrição Clínicaé que um alto consumo de frutose está associado a níveis aumentados de lipídios no sangue (que está ligado ao aumento do risco de aterosclerose e doença cardíaca), doença hepática gordurosa, obesidade, menor colesterol HDL “bom” e formação de produtos avançados de glicação final (AGEs, que, coincidentemente, aceleram o envelhecimento). Linha de fundo: evite adoçantes ricos em frutose (não necessariamente alimentos ricos em frutose, como frutas) sempre que puder: HFCS, xarope de agave, suco concentrado de frutas e sucos de frutas.

ossos do caldo de osso
Shutterstock

Você provavelmente já ouviu falar de “colágeno” como palavra-chave comumente associada a cremes faciais antienvelhecimento, mas o que você pode não saber é por que isso é tão cobiçado na comunidade de saúde. A principal proteína encontrada em sua pele, o colágeno é responsável por manter sua pele brilhante e jovem. Mas o colágeno não é apenas para sua pele; também é essencial para a saúde das articulações, dos ossos e dos vasos sanguíneos, e até se descobriu que ele cura o revestimento do intestino, ajudando a evitar que toxinas da dieta vazem para o sistema. Uma das melhores fontes alimentares de colágeno? Gelatina – encontrada em ossos e tendões de animais. Você encontrará em qualquer coisa, desde caldo de osso até essas receitas de colágeno.

Romã
Shutterstock

Este termo aparece em todos os lugares, desde caixas de cereal até bebidas energéticas. Mas você realmente sabe o que são os antioxidantes e por que eles são bons para você? Se não, estamos aqui para explicar. Antioxidantes são compostos que atuam como a melhor defesa do corpo contra os radicais livres causadores de doenças. Os radicais livres são formados como um subproduto da digestão (e outras funções, incluindo a respiração!), Bem como de toxinas ambientais. Quando eles não são regulamentados, esses radicais livres podem danificar as células e o DNA, acelerando qualquer coisa, do envelhecimento ao câncer. Os antioxidantes, em geral, são muito bons para você, mas sugerimos ter como objetivo extrair o máximo de frutas e verduras, chás verdes e até café – e menos de fraudes como “cereais ricos em antioxidantes”.

Spiralizer com pepino
Shutterstock

Não, este termo não se refere apenas a como você se sente depois de fazer um passeio em um parque de diversões. É também um método de fatiar legumes com um aparelho de cozinha específico chamado espiralizador. Acontece quase qualquer vegetariano em macarrão faux com apenas a manivela de um identificador! Nós somos fãs dessa tendência, porque os vegetais espiralizantes são uma das maneiras fáceis de reduzir calorias! Uma xícara de zoodles espirituosos (que é macarrão de abobrinha) tem apenas 25 calorias, enquanto uma xícara de semolina ou espaguete de trigo é de 220.

Chef chapeando um prato
Shutterstock

É só nós, ou a leitura da palavra “artesanal” faz você pensar em artesãos mexendo com martelos para cortar uma cadeira de madeira? Ou, talvez, chefs intrinsecamente medindo e derramando ingredientes em uma tigela, cuidadosamente dobrando a mistura e, em seguida, amassando o pão manualmente? Você também? Isso é exatamente o que eles querem que você pense. O que significa artesanal? Por definição, um produto feito em lotes limitados de maneira tradicional ou não mecanizada. Se você não pode perguntar diretamente à pessoa que criou este produto, não é muito mais do que uma tática de marketing. Nós não colocaríamos muito mérito na reivindicação da embalagem.

aquafaba de grão de bico escorrido
Shutterstock

Você já sabe que há toneladas de maneiras de comer grão de bico, mas adicione mais um à sua lista. Mais recentemente, você pode ter visto esta palavra – aquafaba – na nova maionese vegana de Sir Kensington (criativamente chamada “Fabanaise”) e pegou-a sem pensar duas vezes. Mas você sabe o que é isso? Este novo ingrediente é simplesmente o líquido tenso de uma lata de grão de bico. Na verdade, Sir Kensington ainda recebe sua aquafaba da empresa Hope Hummus, de NY, que ainda usa grão-de-bico enlatado em seus deliciosos homus! Devido à textura amilácea do líquido, é um substituto de ovo vegano perfeito. Nutricionalmente, no entanto, a aquafaba não é tão notável. A nutricionista Christy Harrison, MPH, RD, CDN comentou recentemente que não há muito nela além de pequenas quantidades de proteína, e disse que não há razão real para substituí-lo em coisas que teriam clara de ovo, a menos que você seja vegano.

Conservas de tomate
Shutterstock

A alegação “BPA Free” é frequentemente encontrada em suas garrafas de água e suas latas, mas o que exatamente é isso? O BPA (Bisfenol A) é um produto químico usado para impedir que os alimentos entrem em contato direto com as latas de metal nas quais eles estão armazenados; Dessa forma, você não tem aquele toque picante de gosto de metal com cada mordida de seus grãos. A desvantagem: é ruim para sua saúde. Pesquisas mostram que consumir BPA (um produto químico que imita hormônios) pode fazer com que os homens desenvolvam seios e até aumentar o risco de diabetes, asma, TDAH, certos tipos de câncer, infertilidade e obesidade – mesmo naqueles que ingerem uma pequena quantidade. A melhor maneira de ficar livre de BPA? Sempre que possível, compre produtos vendidos em potes de vidro ou caixas de papelão, e fique longe desses alimentos com BPA.

Produtos locais frescos
Shutterstock

Quando você come alimentos que são locais e sazonais, eles costumam ser mais baratos, frescos e embalados com a maior quantidade de sabor e valor nutricional em comparação ao mesmo produto de todo o país que foi colhido há alguns meses. Você também está fazendo um sólido para sua comunidade! Você está apoiando as fazendas locais e a economia local, ajudando os agricultores a ganhar a vida para que você possa continuar a comprar sua comida boa para você! Tenha cuidado com o termo como um rótulo de alimentos, no entanto. “Local” não é necessariamente regulamentado, mas o Congresso aprovou uma lei em 2008 para defini-lo como “a distância total que o produto é transportado está a menos de 640 quilômetros da origem do produto” ou “O estado em que o produto é produzido”. O que você está esperando? Dirija-se ao seu mercado local para pegar esses alimentos que você só deve comprar no mercado do fazendeiro.

Café liquidificador à prova de balas
Shutterstock

O Bulletproof é um método de beber café, popularizado por Dave Asprey, fundador e CEO da Bulletproof; mas Carolyn Brown, MS, RD da Foodtrainers em Nova York, explica que na verdade tem uma história rica enraizada nas culturas africanas e tibetanas. Adicionar manteiga sem sal, alimentada com capim ou óleo de coco, ajuda a manter a fome sob controle, evita os desejos, estabiliza o açúcar no sangue e até ajuda a retardar a liberação de cafeína em seu corpo, para que você tenha um fluxo constante de energia. . Essa combinação é perfeita para uma experiência inesquecível quando você sabe que vai participar de reuniões durante toda a manhã. No entanto, Lisa Moskovitz, RD, CDN adverte: “Embora a gordura, em geral, ajude a satisfazer o apetite, pois tem uma estrutura que é mais difícil de quebrar no estômago, ainda não é uma tendência que eu recomendaria a qualquer um para ajudá-los. alcançar seus objetivos de perda de peso. ”Cada caneca tem quase 400 calorias!

Fermentação a frio
Shutterstock

Cerveja gelada não é apenas café velho e gelado. Em vez de moer os grãos, amontoá-los em água quente e servir a bebida sobre o gelo, as cervejas frias são preparadas em água fria por um longo período de tempo, geralmente durante a noite. A teoria por trás disso é que as temperaturas quentes extraem certos elementos de sabor indesejáveis ​​- em particular, óleos e ácidos amargos. Unforunately, dois compostos muito procurados no café – cafeína e antioxidantes – também exigem altas temperaturas para ser extraído, para que seu copo frio irá conter menos do material de promoção da saúde. Uma solução de especialista em café? Preparar quente para extrair completamente os nutrientes e arrefecer instantaneamente para proteger o sabor. Soa bem para nós!

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

40 melhores alimentos para combater a artrite

Começa com uma dor. Você percebe que sua bolsa parece mais pesada do que você lembra, apesar de não ter virtualmente nada nela. Seus joelhos doem quando chove. Suas articulações estão lentamente piorando e você tem ignorado os sinais por muito tempo. Há uma chance de você estar desenvolvendo artrite. Mas há algo que você pode fazer para ajudar a aliviar esses sintomas e adicionar alimentos que combatem a artrite em sua dieta.

Mudar a maneira de comer – e, sim, o modo como você se movimenta também – pode fazer muita diferença quando se trata de sua saúde comum e do potencial de desenvolver artrite. Quando se trata da maior luta contra a artrite e a imobilidade, o seu prato e capacidade de planejamento são seus dois maiores aliados.

Comece a melhorar a saúde de suas articulações, emagreça e construa um corpo mais forte hoje com esses 40 melhores alimentos que combatem a artrite.


Shutterstock

Carregar sua dieta com alimentos ricos em antioxidantes, como a couve-flor, é uma das melhores maneiras de evitar a inflamação das articulações e aliviar os sintomas da artrite se você já estiver com dor. Pesquisadores do VU Medical University Center, na Holanda, descobriram que a suplementação com antioxidantes reduziu significativamente os sintomas de artrite entre os participantes do estudo, sugerindo que os alimentos certos podem ter um papel importante no alívio dos sintomas. Felizmente, a couve-flor embala 85% da sua RDA de vitamina C antioxidante em apenas uma xícara.

Raiz de gengibre
Shutterstock

Spicy, metabolismo impulsionando gengibre é mais do que apenas uma ótima maneira de dar sabor a sua comida. O gengibre é um medicamento potente para quem sofre de condições inflamatórias, como a artrite, graças ao seu principal componente, o gingerol, um poderoso antioxidante que pode reduzir a inflamação em todo o corpo.

suco de limão na tigela ao lado de limões em fatias
Shutterstock

Adicionando um aperto de frutas cítricas para a sua salada ou copo de água pode colocá-lo no caminho para articulações mais saudáveis ​​em nenhum momento. Naringina, um composto de flavonóides encontrado nos limões, pode ajudar a reduzir a inflamação das articulações, diminuindo a quantidade de dor nas articulações que você experimenta e tornando mais fácil permanecer móvel.

Escolha abacate na mercearia
Shutterstock

O abacate é muito mais do que uma deliciosa adição à sua salada favorita. Na verdade, quando se trata de aliviar os sintomas da artrite, é muito difícil de bater. Os resultados de um estudo revelaram que a suplementação com uma mistura de gordura de abacate e soja aliviou significativamente a inflamação artrítica.

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

pacote de manjericão na madeira
Shutterstock

Adicionar algumas folhas de manjericão fresco à sua salada ou ovos, ou espalhar um pouco de pesto caseiro na sua torrada pela manhã pode fazer uma grande diferença quando se trata de sua saúde das articulações. Basil é carregado com flavonóides, que pesquisa publicada no Revista Americana de Nutrição Clínica considerou eficaz em suprimir uma ampla variedade de sintomas de artrite.

Azeite
Shutterstock

Há algo que o azeite não seja bom? Satisfazendo, coração saudável, bom para o cabelo, pele e unhas, e carregado com antioxidantes anti-artrite, não há virtualmente nenhuma desculpa para manter este óleo poderoso fora de sua dieta. Pesquisadores no Japão descobriram que os alimentos ricos em ácidos graxos monoinsaturados, como o azeite de oliva, estão correlacionados com uma redução nos sintomas da artrite reumatóide.

Refogue o espinafre congelado
Shutterstock

O espinafre não é apenas um dos alimentos mais ricos em antioxidantes, também é um dos mais fáceis de incorporar em sua dieta, seja em uma salada, frite ou smoothie. Carregado com antioxidantes como vitamina C, beta-caroteno, zeaxantina, luteína e flavonóides, espinafre pode ajudar a reduzir a inflamação nas articulações e obter de volta em seus pés em nenhum momento.

Talos de aipo
Shutterstock

Mais do que apenas a crise em suas saladas à base de proteína, o aipo pode ser uma arma poderosa na guerra contra a artrite. Pesquisadores da Universidade de Aston, em Birmingham, descobriram que o aipo tem uma série de efeitos antiinflamatórios que podem ajudar a reduzir a quantidade de dor e irritação nas articulações artríticas ou pré-artríticas. Junte isso com baixas calorias e alto fator de saciedade, e você terá uma comida perfeita.

Pimenta preta da terra
Shutterstock

Adicionando um pouco de pimenta preta ao seu prato favorito pode ajudar a aliviar sua dor de artrite em praticamente nenhum momento a todos. A pimenta preta é carregada com sintomas que aliviam os antioxidantes e tem propriedades antibacterianas, o que pode ajudar a reduzir o risco de uma infecção secundária, agravando os sintomas da artrite.

Ervilhas congeladas
Shutterstock

As ervilhas podem ser pequenas, mas seus poderes de combate à inflamação são enormes. Além de ser uma rica fonte de vitamina C antiinflamatória, as ervilhas também são uma fonte de ácidos graxos ômega-3, que os pesquisadores da Arthritis and Metabolic Bone Disease Research Unit da Universidade de Leuven descobriram ser eficazes no controle dos sintomas da artrite.

Cenouras
Shutterstock

Aumentar a sua ingestão de beta-caroteno hoje é o primeiro passo para as articulações mais saudáveis ​​amanhã. Felizmente, as cenouras podem ajudá-lo a atingir esse objetivo. Pesquisadores da Universidade Johns Hopkins descobriram que os indivíduos com artrite são mais propensos a ter níveis insuficientes de beta-caroteno no sangue, por isso, se você está ansioso para manter essas articulações de dar em você mais tarde na vida, até sua ingestão de laranja frutas e vegetais hoje.

Alcachofras na caixa
Shutterstock

Se você está procurando por uma usina de combate à inflamação, não precisa procurar mais do que a alcachofra de confiança. Um dos alimentos mais ricos em antioxidantes, as alcachofras podem ajudar a reduzir a inflamação nas articulações e fazer com que você se mova novamente. Melhor ainda, as alcachofras combinam bem com outros combatentes inflamados embalados com antioxidantes, como azeite de oliva, pimenta preta e suco de limão.

Cabeça de alface iceberg
Shutterstock

Aquela salada que você preparou para o jantar pode fazer mais do que apenas combater a fome; A alface também é uma ótima maneira de reduzir a inflamação nas articulações. Flavonóides, ácidos fenólicos e vitamina C, todos combinados para ajudar a combater a inflamação e manter os sintomas da artrite na baía. Se você está procurando o maior estrondo para sua mordida, procure por verduras mais escuras.

Couve de Bruxelas
Shutterstock

Couves de Bruxelas embalar uma quantidade surpreendente de antioxidantes em um pacote pequeno. Couves de Bruxelas são baixas em calorias, enchimento, uma grande fonte de fibras de reforço imunológico e carregadas com antioxidantes como a vitamina C, que pode manter essas articulações saudáveis ​​a longo prazo. E pensar que você não comeria isso quando criança.

batatas doces
Shutterstock

Um alimento poderoso para o seu intestino e suas articulações, a batata-doce deve ganhar um lugar na sua lista de “comer”. Carregado com antioxidantes, como beta-caroteno e vitamina C, a batata doce pode combater a inflamação nas articulações e mantê-lo em movimento, mesmo após um diagnóstico de artrite.

pimentões
Shutterstock

Outra grande fonte de beta-caroteno, os pimentões são tão saborosos quanto eles são bons para você, combatendo a inflamação em todo o corpo e dando uma pausa nas articulações doloridas. Se você não é fã de comê-los crus, tente adicionar algumas tiras de pimenta à sua salada favorita ou recheie-as com ingredientes como quinoa e grão-de-bico para ter uma visão saudável da tradicional pimenta recheada.

Orégano esmagado secado
Shutterstock

Este tempero italiano onipresente faz mais do que tornar o seu molho de macarrão mais saboroso; orégano também pode trazer alguns benefícios para a saúde. Orégano é tão carregado com antioxidantes que supera muitos dos seus pares, oferecendo até 20 vezes a carga antioxidante de muitas outras especiarias. Ele também embala mais de 12 vezes a contagem de antioxidantes por grama de um laranja repleto de vitamina C e mais de 42 vezes a contagem de antioxidantes de uma maçã média.

Figos em uma pilha
Shutterstock

Secas ou frescas, os figos são uma ótima maneira de aumentar a ingestão de fibras e tornar a inflamação das articulações uma coisa do passado. Os figos são carregados com vitaminas antioxidantes A, C e E, bem como potássio de combate a câimbras e magnésio promotor da saúde óssea, que podem mantê-lo em movimento com a idade. Eles também contêm lupeol, que luta contra a artrite e inflamação.

Amêndoas
Tetiana Bykovets / Unsplash

Combate colesterol alto, fome, doenças cardíacas e artrite com um único alimento: a poderosa amêndoa. As amêndoas são uma boa fonte de vitamina E antioxidante, essencial para a saúde das articulações. Felizmente, você pode não apenas encontrar amêndoas em praticamente todos os supermercados, postos de gasolina e farmácias. Eles também são facilmente adicionados a sopas, smoothies e molhos.

RELACIONADO: Seu guia para a dieta anti-inflamatória que cura seu intestino, retarda os sinais de envelhecimento e ajuda a perder peso.

Alho Germinado
Shutterstock

Seu sabor favorito de comida ficou ainda melhor. O alho não é ótimo apenas para adicionar um sabor sério à sua comida, mas é uma fonte incrível de alicina composto antioxidante que combate a inflamação.

Couve
Shutterstock

Torne a couve parte de sua dieta hoje e desfrute de juntas mais saudáveis ​​no futuro. Kale é carregado com antioxidantes como beta-caroteno e vitamina A e é facilmente incorporado em praticamente qualquer prato, de saladas para envoltórios para smoothies. Kale também passa a ser uma boa escolha para quem quer melhorar sua saúde imunológica, graças à sua riqueza de fibras prebióticas, que podem colocar suas bactérias intestinais em um piscar de olhos.

Espargos na placa de madeira
Shutterstock

Seja grelhado, assado, refogado ou cozido no vapor, o aspargo é um vegetal verde versátil que pode melhorar facilmente a saúde das articulações com seu alto suprimento de antioxidantes. Embalado com beta-caroteno e vitaminas C e E, aspargos podem reduzir a inflamação em seu corpo e manter seus sintomas de artrite ao mínimo.

Pimenta-caiena
Shutterstock

Mantenha sua comida picante e suas articulações saudáveis ​​em uma só penada, fazendo pimenta caiena parte de sua dieta. Uma pesquisa conduzida na Universidade de Toronto revela que a capsaicina, o composto que dá a cayenne sua especiaria, pode reduzir a inflamação e a dor em indivíduos com artrite, por isso não tenha medo de aquecer as coisas!

Abobrinha
Shutterstock

Se você procura alimentos com baixo teor calórico e alto teor de nutrientes para adicionar à sua dieta, não procure mais, além da abobrinha crocante. Abobrinha é embalado com vitaminas antioxidantes A e C e uma abobrinha inteira packs apenas 33 calorias, tornando-se uma maneira fácil de fazer sua comida mais enchimento sem adicionar as principais calorias ao seu prato.

Cebolas vermelhas fatiadas
Shutterstock

Eles podem não ser amigáveis ​​para a sua respiração, mas quando se trata de suas articulações, as cebolas são difíceis de bater. As cebolas são ricas em flavonóides e vitamina C, tornando-as uma ótima maneira de impulsionar o sistema imunológico e combater os sintomas da artrite.

Berinjela
Shutterstock

Este opala é uma potência que aumenta o cérebro, melhora a saúde digestiva e reduz a inflamação. Berinjela é carregado com flavonóides de combate a inflamação e antioxidantes fenólicos, tornando-se a receita perfeita para manter a dor da artrite ao mínimo e manter suas articulações saudáveis ​​no processo.

Repolho picado
Shutterstock

Repolho é um dos melhores alimentos anti-inflamatórios lá fora e uma parte essencial de qualquer plano de refeição de combate a artrite. Felizmente, o repolho também tem baixo teor calórico e alto sabor, tornando-o uma adição fácil às refeições e um substituto fácil para alimentos ricos em carboidratos e com alto teor de gordura. Tente adicionar alguns para aumentar sua sopa ou salada ou até mesmo no lugar do pão em seu sanduíche.

Abóbora Crua
Shutterstock

Outra boa fonte de beta-caroteno, abóboras pode abrir caminho para uma melhor saúde das articulações para você. Felizmente, o seu sabor adaptável, que funciona tanto em pratos doces como salgados, torna mais fácil adicionar mais frequentemente este deleite tipicamente rico em antioxidantes ao seu menu.

Beterraba
Shutterstock

Melhore a sua saúde digestiva, preencha com poucas calorias e reduza os sintomas da artrite de uma só vez adicionando algumas beterrabas ao seu cardápio. A beterraba é uma ótima fonte de vitamina C, beta-caroteno, resveratrol, quercetain e betaína, antioxidantes que podem reduzir significativamente a inflamação nas articulações. A beterraba também demonstrou melhorar a resistência do exercício, aumentar a eficácia do uso de oxigênio e melhorar o desempenho em tarefas físicas.

Mel cru
Shutterstock

Manter suas articulações mais saudáveis ​​pode ser muito doce – literalmente. Adicionar um pouco de mel aos seus alimentos favoritos carregará sua dieta com poderosos polifenóis antioxidantes, que podem ajudar a reduzir a inflamação nas articulações. O mel também tem um efeito antibacteriano no corpo, mantendo a inflamação de outras infecções e doenças na baía.

Fatias de pepino
Shutterstock

Lançar um pouco de pepino na sua salada pode ajudar a afastar os sintomas da artrite rapidamente. Pepinos são uma rica fonte de antioxidantes como o beta-caroteno, vitamina C e uma série de flavonóides, que podem reduzir a inflamação e mantê-lo em movimento e grooving, sem dor.

Lima
Shutterstock

Limes são mais do que apenas um enfeite: acontece que, quando se trata de suas articulações, eles também são remédios poderosos. Limes são uma boa fonte de flavonóides naringina, que foram encontrados para ser eficaz na redução da inflamação das articulações. Felizmente, limes também foram mostrados para ser um complemento eficaz para planos de perda de peso, ajudando a aumentar a taxa metabólica, melhorar a saúde do sistema imunológico e preencher para sabores menos saudáveis, como sal e condimentos de alto teor calórico.

alfafa na tigela
Shutterstock

Melhore a sua saúde das articulações da maneira mais fácil, adicionando um punhado de brotos de alfafa ao seu sanduíche ou salada favorita. Estes rebentos ricos em potássio podem ajudar a reduzir o risco de cãibras musculares, melhorar o sistema imunitário e a saúde digestiva e reduzir ao mínimo a inflamação nas articulações, graças à sua riqueza de antioxidantes.

Nabos
Shutterstock

Se você estiver lançando-as no azeite, assando-as para fazer frituras no forno ou transformando-as em purê de purê de batata, não há maneira errada de adicionar nabos à sua dieta. Felizmente, essas saborosas raízes também são carregadas com antioxidantes que promovem a saúde das articulações, tornando-as um ótimo complemento para qualquer arsenal de combate à artrite.

polpa de butternut na placa de corte
Shutterstock

Nada diz que a queda como o cheiro e sabor de abóbora rica, e felizmente, adicionando-o ao seu menu também é uma ótima maneira de melhorar a saúde de suas articulações. Não importa se você está adicionando um pouco de seu refogado ou misturando-o a uma sopa rica, essa fruta rica em beta-caroteno é uma ótima maneira de reduzir sua dor e manter essas articulações fortes.

Canela em pó
Shutterstock

As propriedades antioxidantes da canela há muito fazem parte da medicina tradicional, e essas mesmas propriedades podem torná-la uma boa parte de sua rotina de saúde nas articulações. Mesmo que você não esteja preparado para começar a usar tudo o que é necessário, um pouquinho adicionado ao seu café da manhã ou receita favorita de curry pode ajudar a melhorar sua saúde em pouco tempo.

Vinagre
Shutterstock

O vinagre de maçã é muitas vezes dito ser a cura para praticamente tudo o que afeta o corpo humano. Embora algumas dessas alegações pareçam duvidosas, as propriedades de combate à inflamação da ACV estão bem estabelecidas. As propriedades antiinflamatórias do vinagre de cidra de maçã tornaram-no o alvo de muitas pessoas que sofrem de artrite, muitas das quais reivindicam resultados notáveis ​​adicionando o ACV à sua dieta.

Cerejas na tigela
Shutterstock

Fazer com que as cerejas ricas em resveratrol façam parte de sua dieta regular pode ajudar a reduzir os sintomas da artrite rapidamente. Além de ser uma boa fonte de vitamina C, as cerejas são carregadas com resveratrol, que os pesquisadores da Universidade Inonu, em Malatya, na Turquia, consideraram um meio eficaz de tratamento da artrite inflamatória.

chalotas em uma tigela
Shutterstock

Um saboroso membro da família da cebola, cebolinha adiciona um sabor delicado, ligeiramente doce aos alimentos que os torna complexos e deliciosos. Felizmente, para quem sofre de artrite, cebolinha também pode fazer uma grande diferença na saúde da sua articulação. As chalotas são carregadas de flavonóides, potentes substâncias anti-inflamatórias que reduzem a sua dor. e ajude a proteger suas articulações contra mais danos.

Açafrão
Shutterstock

Amplamente utilizado como um tratamento para tudo, desde condições da pele até úlceras estomacais, não é surpresa para os fãs de açafrão que este poderoso tempero anti-inflamatório também pode ajudar a tratar os sintomas da artrite. A pesquisa sugere que a cúrcuma embalada com antioxidantes pode ajudar a reduzir a inflamação em todo o corpo, tornando-se um ótimo complemento para sua dieta de combate à artrite.

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

30 razões pelas quais você está sempre com fome

Enquanto algumas pessoas podem verificar novamente para ter certeza de que têm as chaves quando saem de casa, você tem que ter certeza que você tem um lanche. E se você esquecer? Vamos apenas esperar que ninguém esteja por perto para testemunhar como você se sente enforcado. Você acha que está comendo o suficiente, mas não importa o que você coloque em seu corpo, você sempre parece desenvolver desejos enlouquecedores.

Então, o que exatamente está acontecendo aqui? Acontece que a fome é uma função bastante complicada e é influenciada por fatores biológicos e psicológicos. (E também há as comidas diabólicas que fazem você mais faminto também!) Encontramos algumas das razões mais comuns e cientificamente fundamentadas por que alguns de nós são constantemente vorazes. Também combinamos cada motivo pelo qual você está sempre com fome com uma dica que pode ajudá-lo a preencher e finalmente se sentir satisfeito.


Shutterstock

Mesmo que você esteja comendo alguma coisa em cada refeição, se o seu dia se parecer com isso – uma xícara de cereal açucarado e em flocos no café da manhã, uma fatia de pizza ou um sanduíche no pão branco para o almoço, batatas fritas para um lanche ou arroz branco ou macarrão para o jantar, e depois um biscoito de chocolate para a sobremesa – seu problema é que você está constantemente se abastecendo com carboidratos refinados com deficiência nutricional. Sem a fibra saciante da sua forma original, os carboidratos simples e refinados queimam rapidamente em seu corpo, o que aumenta seu nível de açúcar no sangue e faz com que ele se quebre. Baixos níveis de glicose são o que desencadeia seus hormônios da fome, como detalhado em um Modelos e Mecanismos da Doença revisão, deixando você com um desejo por mais carboidratos!

Coma isso! Gorjeta:

Para fontes de energia limpas e de queima lenta, escolha carboidratos complexos, como grãos como arroz integral, quinoa e triticale, vegetais crucíferos, frutas e pão germinado integral.

Copo de água - sempre com fome
Shutterstock

Ver aquela foto da água apenas faz você esquecer o que você acha que era uma barriga faminta? Um estudo na revista Fisiologia e Comportamento sugere que as pessoas respondam inadequadamente à sede em 62% das vezes comendo em vez de beber. Isso porque o seu hipotálamo regula a fome e a sede e, às vezes, mistura seus sinais. Apenas beber H2O é a solução para reprimir suas dores de fome e, finalmente, ajudá-lo a perder peso. De fato, o pré-carregamento de refeições com água pode eliminar centenas de calorias de sua ingestão diária. Um estudo publicado em Obesidade descobriram que beber duas xícaras de água antes de comer levou as pessoas a consumirem 75 a 90 calorias a menos ao longo de uma refeição.

Coma isso! Gorjeta:

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

Da próxima vez que você estiver com vontade de fazer um lanche, primeiro retire um copo de água e espere 20 minutos. Se você ainda estiver com fome, coma alguma coisa. E se você está cansado de usar H2O, prepare algumas dessas melhores águas desintoxicantes para acelerar seu metabolismo e aumentar seu potencial de queima de gordura!

Assistindo TV e comendo pipoca - sempre com fome
Shutterstock

Todo mundo sabe que você come com os olhos, mas acontece que seus ouvidos também desempenham um papel. Um novo estudo, publicado na revista Qualidade e Preferência Alimentartestamos como nossa percepção do som de comer alimentos afeta nossos hábitos alimentares. Eles tiveram dois grupos de participantes que comeram alimentos crocantes, um com fones de ouvido que produzem ruído branco e o outro sem. Esses fones de ouvido tinham a intenção de imitar comportamentos cotidianos de comer distraídos, como assistir TV ou ouvir música enquanto você come. Acontece que os participantes que estavam menos conscientes do som da comida, por causa dos níveis de ruído branco, comiam mais do que aqueles que podiam ouvir a comida que estavam comendo.

Coma isso! Gorjeta:

Afaste-se da TV (ou computador, para todos os cortadores de cabo lá fora) e abaixe a música durante o jantar. E se você estiver fora para jantar em um restaurante movimentado, talvez pense em pedir algo crocante! Contanto que você possa ouvir a comida que está comendo, isso o fará perceber que você está realmente comendo comida. Quando você não tem consciência, basicamente esquece que está comendo, o que pode levar a um aumento no consumo de alimentos.

Mulher estressada - sempre com fome
Shutterstock

Embora o estresse possa interromper o apetite a curto prazo – bombeia o hormônio epinefrina (também conhecido como adrenalina) que aciona a reação de luta ou fuga do corpo e coloca a comida em espera – se o estresse persistir, é uma história diferente, explica Carta de saúde mental de Harvard. Suas glândulas supra-renais então liberam um hormônio diferente chamado cortisol, que não só desencadeia seus hormônios da fome, mas também extrairá lipídios da corrente sanguínea para armazená-los em nossas células adiposas.

Coma isso! Gorjeta:

Talvez você não consiga controlar exatamente o que está acontecendo em sua vida que está deixando você estressado, mas pode controlar o que está colocando em seu corpo. Faça os chás que combatem o estresse!

homem comendo tarde da noite no escritório - sempre com fome
Shutterstock

Se você acha que está sempre entrando no lanche do seu escritório, talvez seja possível culpar sua falta de sono. Quando você não dorme o suficiente, os níveis de leptina (o hormônio “estou cheio”) diminuem, de acordo com um PLoS Medicine estudo, que por sua vez aumenta o apetite e torna o alimento mais atraente. Além de estimular o apetite, a falta de sono suficiente pode fazer com que você queime menos calorias, não tenha controle do apetite e aumente os níveis de cortisol, que armazenam gordura.

Coma isso! Gorjeta:

Tendo dificuldade em adormecer? Obtenha as 7-8 horas de fechamento recomendadas seguindo este plano de um dia para dormir melhor.

Contando calorias - sempre com fome
Shutterstock

Não são calorias que saciam sua fome, são nutrientes: fibras, proteínas e gorduras saudáveis. Infelizmente, carboidratos simples e refinados estão faltando em todos os três e assim são muitos lanches de 100 calorias; Eles apenas enchem seu corpo com calorias rápidas e baratas. Portanto, não importa o quanto você coma, seu corpo irá em busca de mais comida. O resultado: um lento, mais faminto você – aquele que tem mais probabilidade de mergulhar na gaveta de salgadinhos.

Coma isso! Gorjeta:

Comece o dia com alimentos ricos em proteínas e com alto teor de gordura, como iogurte grego, omelete recheado com vegetais ou pudim de chia, e você reduzirá a fome em geral.

Colegas de trabalho rapidamente pegando fatias de pizza no trabalho - sempre com fome
Shutterstock

Os hormônios da fome levam de 20 a 30 minutos para chegar ao seu cérebro, de acordo com Cara Stewart, RD, LDN, então se você devorar sua refeição inteira em menos de 5 minutos, provavelmente você comerá mais do que o seu preenchimento. Os cientistas acreditam que é porque seus hormônios da fome agem em um revezamento, transmitindo sentimentos de plenitude entre eles antes de dizer ao seu cérebro. Esse sistema leva algum tempo para funcionar, e é por isso que é melhor comer devagar. Ainda outra razão pela qual o fast food faz você engordar.

Coma isso! Gorjeta:

Quando sua entrada chegar, mergulhe e coma metade, espere pelo menos 10 minutos antes de sair para a rodada 2. Enquanto conversa e saboreia água, seu estômago terá a chance de digerir e decidir se você já teve o suficiente – não importa o que a placa está dizendo.

Homem no telefone - sempre com fome
Shutterstock

Acontece que, percorrer seus feeds sociais é tão ruim para o seu intestino quanto procurar essas tendências em si. Uma revisão publicada na revista Cérebro e Cognição Descobrimos que quando vemos “pornografia alimentar”, isso exacerba nosso desejo por comida por meio de um canal de respostas neurais e físicas chamado “fome visual”. Em outras palavras, mesmo que não precisemos de comida fisicamente, nossos corpos enviarão um sinal para nossos cérebros que queremos comer. Então, o que exatamente está acontecendo aqui? Os cientistas descobriram que a concentração da grelina do “hormônio da fome” aumenta em resposta à visualização de imagens de alimentos.

Coma isso! Gorjeta:

Olhar para aquelas imagens de “pornografia alimentar” de gemas úmidas driblando com hambúrgueres de queijo vai deixá-lo com fome – mesmo se você não estivesse antes de começar a rolar – o que o coloca em risco de consumir e consumir a mesma energia. alimentos para acabar com a barriga. Se você estiver tentando perder peso, deixe de seguir algumas contas que postam imagens de pratos não saudáveis ​​e comece a seguir as contas que destacam as melhores escolhas para você: um estudo em Pesquisa Experimental do Cérebro Descobrimos que nossos cérebros não ficam tão alertas em resposta a ver fotos de alimentos saudáveis ​​e de baixa energia, como vegetais.

splenda - sempre razões de fome
Dana Leigh Smith

Seja uma dieta regular ou refrigerante, é um dos alimentos mais açucarados que você pode consumir. E enquanto muitos de nós sabemos que o açúcar faz você desejar açúcar, produtos adoçados artificialmente e alternativas de açúcar (como aspartame, acessulfame K e sucralose) podem aumentar o seu apetite ainda mais do que o açúcar real, aumentando o consumo de calorias ao longo do tempo. De acordo com um estudo no British Journal of NutritionPesquisadores descobriram que enquanto bebidas adoçadas com glicose e frutose (dois componentes do açúcar de mesa regular) aumentavam a saciedade e diminuíam o hormônio da fome, a grelina, bebidas adoçadas com um adoçante artificial não eram capazes de afetar a sinalização do hormônio da saciedade.

Coma isso! Gorjeta:

Se você está bebendo refrigerante para energia, confira esses melhores alimentos como energia. A maioria desses alimentos que aumentam a energia são reais, real alimentos e adequadamente diminuir os níveis de seus hormônios de fome, dando-lhe combustível duradouro para ajudá-lo a enfrentar o resto seu dia.

Mulher não quer comer pizza pula refeição - sempre com fome
Shutterstock

Isso pode parecer óbvio, mas é mais do que apenas o fato de você não estar alimentando seu corpo. O hábito de pular as refeições foi mostrado para ser capaz de fazer você se sentir mais faminto quando a próxima refeição rola ao redor, de acordo com pesquisadores do Instituto Nacional sobre Envelhecimento Intramural Research Program. Quando você não come, seu corpo pode esgotar suas reservas de glicose no sangue, o que promove um aumento no hormônio da fome, a grelina, aumentando o apetite.

Coma isso! Gorjeta:

Tente não deixar passar mais de 4 ou 5 horas entre as refeições, e mantenha sempre à mão lanches saudáveis ​​o tempo todo para ajudar a reduzir a fome antes que ela se exceda.

Mulher bebendo suco de smoothie - sempre com fome
Shutterstock

Pode ser o resultado de anos de trabalho dedicado no ginásio, mas para alguns, você acabou de nascer com isso. De qualquer forma, sua fome constante pode ser devido ao fato de que você acabou de queimar calorias em um ritmo mais rápido (mesmo em repouso), o que significa que seu corpo precisará reabastecer continuamente suas reservas de energia. De acordo com pesquisadores da Universidade de Vermont, cerca de 32% das pessoas têm metabolismos que são mais de oito por cento superiores ou inferiores à média da população. Como ter um metabolismo mais rápido do que o normal pode significar que você queima de 100 a 400 calorias extras por dia, seu corpo tentará alertá-lo para comer com mais frequência.

Coma isso! Gorjeta:

Antes de justificar um lanche extra com um metabolismo rápido, certifique-se de não estar com fome por causa de quaisquer outras razões que mencionamos – sede, comer os alimentos errados, etc. E, depois de ter feito isso, não ter um metabolismo rápido justifique-se com opções insalubres. Pegue um punhado de nozes, iogurte grego ou lanche em alguns legumes e hummus.

Recipiente de iogurte - sempre com fome
Shutterstock

Se você é um ávido Coma isto, não aquele! leitor, você já sabe que alimentos embalados com pouca gordura tendem a ser preenchidos com açúcar para compensar a falta de sabor – mas adicionar desejos de açúcar à sua fome não é a única razão pela qual você pode querer ficar longe. Guloseimas com baixo teor de gordura não são tão satisfatórias quanto suas contrapartes mais gordas, de acordo com uma pesquisa recente publicada na revista Sabor. Enquanto você morde um alimento cheio de gordura, sua língua envia ao seu cérebro um sinal de que algo está se acumulando no caminho até seu estômago. No entanto, esta mensagem não é enviada quando você opta por alimentos com baixo teor de gordura, e é por isso que você ainda quer mais – mesmo que tenha consumido apenas uma boa quantidade de calorias.

Coma isso! Gorjeta:

Comer gorduras saudáveis ​​não vai engordar. Na verdade, o oposto pode ser verdade! Uma recente revisão publicada no Revista Européia de Nutrição descobriram que as pessoas que comem laticínios integrais não têm mais probabilidade de desenvolver doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2 do que as pessoas que adotam produtos lácteos com baixo teor de gordura. Pesquisas adicionais ligaram comedores de gordura total a taxas mais baixas de obesidade em comparação com aqueles que evitavam a gordura. Ao optar por produtos lácteos, certifique-se de ir com as opções de gordura completa.

mulher bebendo vinho pela janela - como o álcool afeta o cérebro - sempre razões de fome
Shutterstock

Tomar uma bebida antes de uma refeição na esperança de que isso reduza seu apetite pode, na verdade, estar fazendo o oposto. Um estudo publicado no American Journal of Nutrition mostrou que o álcool é um dos maiores responsáveis ​​pelo excesso de ingestão de alimentos. Outro estudo publicado na revista Obesidade sugeriu que isso pode ser porque o álcool aumenta nossos sentidos. Os pesquisadores descobriram que as mulheres que receberam o equivalente a cerca de duas bebidas na forma de uma infusão de álcool comeram 30% mais comida do que aquelas que receberam uma solução salina. Mesmo intoxicação leve ativou a atividade cerebral nas regiões do hipotálamo das mulheres. Isso, dizem os autores do estudo, os tornou mais sensíveis ao cheiro da comida, levando-os a comer mais. Não só isso, mas o álcool pode desidratá-lo, o que, novamente, pode causar sentimentos de fome.

Coma isso! Gorjeta:

Além de reduzir suas dores de fome, há muitos benefícios em desistir de álcool, incluindo perder peso e dormir melhor. Mas se você ainda não está disposto a desistir do happy hour, não deixe de comer alimentos saudáveis ​​se for comer – não pizza gordurosa.

Sopa enlatada - razões sempre famintas
Shutterstock

Além de serem acessíveis, para muitos, eles são uma arma secreta culinária que ajuda a preparar o jantar na mesa em apenas alguns minutos. Sim está certo; estamos falando de comida enlatada. Mas, como se constata, há algo assustador à espreita nesses frascos – bisfenol A ou BPA. O BPA é um químico que imita hormônios usado para impedir que os alimentos entrem em contato com as latas de metal nas quais eles são armazenados, e é encontrado em 67% de todos os alimentos enlatados. A desvantagem: é ruim para sua saúde e para suas dores de fome. De acordo com um estudo recente no Jornal de Endocrinologia Clínica e Metabolismo, aqueles que tinham níveis mais altos de BPA no sangue também tinham níveis mais altos de leptina e estavam em maior risco de desenvolver síndrome metabólica.

Coma isso! Gorjeta:

Então, qual é o seu plano de jogo se você quiser minimizar os desejos? Evite alimentos enlatados sempre que possível e, em vez disso, compre produtos vendidos em potes de vidro ou embalagens de papelão para reduzir sua exposição. Uma das nossas marcas para “alimentos enlatados” seguros é a Pacific Foods. Ele é vendido na maioria das compras de alimentos saudáveis ​​e transporta sopas, feijões, tofu, purês, molhos e molhos em caixas de papelão sem produtos químicos.

Mulher infeliz não quer comer salada ou uma dieta saudável - sempre com fome
Shutterstock

De acordo com as Diretrizes Dietéticas do USDA de 2015, o americano médio não está comendo vegetais suficientes. Este é um problema porque a maioria dos verdes folhosos é rica em vitamina K, um micronutriente que os estudos descobriram regula os níveis de insulina. Verificou-se que a vitamina K aumenta a sensibilidade à insulina, o que torna mais fácil para o seu corpo absorver açúcar da corrente sanguínea. Se seu corpo está consumindo açúcar de forma mais eficiente a partir de sua corrente sanguínea, ele não precisará ingerir mais dele através da comida, ajudando a anular seus desejos. Melhor ainda, os vegetais são alguns dos alimentos mais ricos em fibras existentes, e a fibra é o que retarda a absorção dos alimentos que ingerimos do estômago para a corrente sanguínea. Em um estudo canadense, pesquisadores descobriram que aqueles cujas dietas foram suplementadas com fibras insolúveis apresentaram níveis mais baixos de grelina.

Coma isso! Gorjeta:

Para obter as melhores fontes de fibras insolúveis e vitamina K, prepare suas saladas com espinafre, couves de bruxelas raspadas, couve e brócolis.

Mulher, comer, doce, de, jarro vidro, no trabalho
Shutterstock

Fora da vista, fora da boca? De acordo com pesquisadores do Google, simplesmente reorganizar sua despensa para esconder qualquer criptonita pode ajudar a acabar com os desejos. Um estudo, conduzido no escritório de buscas em Nova York chamado “Project M & M”, descobriu que colocar bombons de chocolate em recipientes opacos, em oposição aos de vidro, reduziu o consumo de M & M em 3,1 milhões de calorias em apenas sete semanas. Os pesquisadores de Cambridge explicam que isso acontece porque a nossa “fome visual” – o desejo humano inato de ver imagens de comida – programou nossas entranhas para liberar a grelina com a mera visão da comida, o que pode levar à fome falsa.

Coma isso! Gorjeta:

Sabemos que lanches são importantes para manter seu metabolismo, mas isso não significa que eles devam estar constantemente sentados em sua mesa. Mantenha os lanches longe da vista e só os alcance quando a barriga estiver roncando.

Dieta rica em proteínas - sempre com fome
Shutterstock

Empilhar seu prato com proteína magra pode ajudar a manter as dores da fome na baía. A proteína leva mais tempo para digerir, o que significa que fica no estômago e promove sentimentos de plenitude. Mas isso não é tudo – também foi demonstrado que tem um efeito de supressão do apetite. Em um estudo com 21 homens publicados na revista Pesquisa Nutricionalmetade foi alimentada com um café da manhã com bagels enquanto metade comia ovos. Observou-se que o grupo dos ovos teve uma resposta mais baixa à grelina, teve menos fome três horas depois e consumiu menos calorias nas próximas 24 horas!

Coma isso! Gorjeta:

Além das fontes óbvias de proteína como carne e peixe (que você não pode necessariamente comer o dia inteiro), carregue fontes vegetarianas ao longo do dia polvilhando sementes de chia em smoothies, coma quinoa em suas barras de granola e mergulhe cenouras em homus. ou maçãs em manteiga de amendoim.

Mulher olhando para o relógio de fitness em uma corrida - sempre com fome
Shutterstock

Se você está suando todos os dias para aumentar a perda de peso, não é surpresa que seu corpo precise de mais calorias. O bombeamento de ferro faz com que seu corpo aumente seu metabolismo e queime as reservas de energia e glicose, o que, por sua vez, desencadeia a liberação de grelina.

Coma isso! Gorjeta:

Depois de um treino, certifique-se de repor as reservas de glicose perdidas com um batido de shake de proteína! Pegue um dos nossos pós de proteína favoritos para fornecer nutrientes saciantes, e misture com um pouco de leite de amêndoa e sua fruta favorita para fornecer carboidratos de reabastecimento.

Cara entediado deitado no sofá comendo batatas fritas e bebendo uma cerveja - sempre com fome
Shutterstock

Sentir fome realmente pode ser causado por algo tão simples como o tédio. Quando você está entediado, perde sua capacidade de fazer escolhas inteligentes de alimentos; você se torna um “comedor emocional”, de acordo com um novo estudo no Revista de Psicologia da Saúde. E o tédio transforma você no pior tipo de comedor emocional, porque você não apenas faz as escolhas erradas de comida, você come muito mais daquelas comidas gordurosas do que normalmente faria. Na verdade, “Porque estou entediado” (ao contrário de “Estou com fome”) é uma das principais razões pelas quais as pessoas dão quando perguntam sobre suas emoções antes de comer.

Coma isso! Gorjeta:

Você se sente entediado quando está insatisfeito, inquieto e incontestado, de acordo com um estudo Fronteiras na psicologia. A melhor maneira de vencer o tédio é encontrar algo para fazer que seja proposital e desafiador. Comece com essas dicas para motivação que realmente funcionem.

Homem assistindo TV - sempre com fome
Shutterstock

Os cortadores de cordas estão em algo maior do que apenas economizar dinheiro – eles também estão protegendo sua saúde. Eis o porquê: serviços de streaming, como o Netflix, oferecem uma maneira de ver televisão sem comerciais. E de acordo com dois estudos recentes, essa é uma boa notícia para a sua cintura, porque você não será submetido a locais de 30 segundos de um Big Mac rotativo e suculento. As duas meta-análises, publicadas nos periódicos O American Journal of Clinical Nutrition e Obesidade Opiniões, descobriu uma conexão impressionante entre publicidade de alimentos e consumo de alimentos; Pesquisadores descobriram que a exposição a esses comerciais e outdoors dignos de babar funciona como uma “sugestão de comida”, que aumenta os desejos e leva a um comportamento alimentar (mesmo que seu corpo não esteja fisicamente com fome) e ao ganho de peso.

Coma isso! Gorjeta:

Ainda usando cabo? DVR seus programas favoritos para que você possa avançar rapidamente através de comerciais para evitar a tentação – ou tente uma dessas maneiras para parar de pensar em comida.

Mulher almejando junk food com salada - sempre com fome
Shutterstock

Eles soam como eles significam a mesma coisa, mas fome e apetite são processos separados. A verdadeira fome é a necessidade física de comida quando o corpo sente uma queda no nível de açúcar no sangue ou nos receptores de estiramento no estômago, está vazio. O apetite, por outro lado, é o desejo condicionado de comer em vez da necessidade de sustento – freqüentemente descrito como aquele sentimento de “desejo” que você experimenta quando vê um pedaço de bolo de chocolate logo depois de ter comido um recheio jantar.

Coma isso! Gorjeta:

Negue aquele cardápio de sobremesas, afaste-se da geladeira e passe os donuts do escritório! A fome percebida muitas vezes pode resultar do tédio ou da mera presença de comida. Como os exercícios têm sido relacionados à redução do apetite por comida, caminhar ou correr pode ajudar a limpar e distrair sua mente por tempo suficiente para perceber que você não está realmente com fome e pode banir seu desejo por junk food.

Mulher trabalhando na mesa - sempre com fome
Shutterstock

Sentar-se o dia todo é apenas uma das maneiras que o seu trabalho está engordando, mas você sabia que também poderia ser um motivo para sua constante ressonar na barriga? Segundo pesquisa publicada nos periódicos Diabetes Care e BMJ Open, quando adultos de meia-idade com sobrepeso e obesidade interromperam longos períodos de tempo sentado com pequenos períodos de caminhada a cada 30 minutos, eles conseguiram minimizar picos de açúcar no sangue e baixar os níveis de insulina após as refeições. Ambos os mecanismos controlam em quanto tempo você começará a sentir fome depois de comer. Sem levantar-se para andar, seu corpo pode ter dificuldade em controlar sua sensibilidade à glicose, e isso pode levá-lo a sentir fome logo após o nariz.

Coma isso! Gorjeta:

Defina um temporizador para desligar a cada 20 ou 30 minutos durante o dia de trabalho para lembrá-lo de se levantar e andar, mesmo que seja apenas ir para a sala de descanso para pegar um copo de água.

Café com açúcar - sempre razões de fome
Shutterstock

É a queda nos níveis de açúcar no sangue que desencadeia a liberação de hormônios para dizer ao seu corpo que você está com fome. Além de carboidratos refinados, a queda no nível de açúcar no sangue também é resultado da ingestão de alimentos com açúcares adicionados e nenhuma fibra ou proteína para ajudar a retardar a digestão desses açúcares. Além do seu café da manhã, você ficaria surpreso ao saber dos alimentos onde o açúcar está à espreita – como pão, condimentos, refeições congeladas, cereais matinais e molhos de salada. Mesmo esses alimentos “saudáveis” têm mais açúcar que um donut Dunkin.

Coma isso! Gorjeta:

A maneira mais fácil de reduzir os açúcares adicionados é deixar os alimentos ultraprocessados ​​nas prateleiras das lojas e preparar seus próprios lanches caseiros. De acordo com um estudo recente publicado na revista BMJ Openalimentos ultraprocessados ​​- como pão, saladas, entradas congeladas e condimentos – contribuem, em média, com 90% da ingestão diária de açúcar.

A barriga da mulher com barriga inchada - sempre motivos de fome
Shutterstock

Anos de uso excessivo de antibióticos e alimentação pouco saudável, centrados em gorduras saturadas e açúcares, podem deixar seu sistema digestivo tão fora de sintonia que poderia estar diminuindo seus esforços de perda de peso. Isso porque essas condições fortalecem as bactérias nocivas que vivem em seu intestino e enfraquecem os insetos benéficos. Como resultado, os mocinhos não podem efetivamente fazer seu trabalho: parte dos quais é regular seus hormônios da fome. Segundo pesquisadores da Universidade de Nova York, uma bactéria do estômago chamada Helicobacter pylori pode realmente alterar os níveis do hormônio estimulante da fome, a grelina, em seu corpo. Pesquisadores descobriram níveis médios de H. pylori diminuíram em nossos biomas de barriga com a ascensão da sociedade fast-food. E isso significa menos de seu efeito inibidor sobre nossos apetites – talvez a razão pela qual muitos de nós estão sempre com fome.

Coma isso! Gorjeta

Para consertar sua barriga, corte os açúcares que alimentam os insetos de sua dieta e carregue-os em ambos os prebióticos e probióticos. Prebióticos são uma fonte de alimento para os mocinhos em seu intestino para ajudá-los a construir força, e os probióticos agem como reforços, ajudando a expulsar os vilões. Boas fontes de prebióticos são legumes, cebolas, alcachofras, espinafre e aveia, e os probióticos podem ser encontrados em alimentos fermentados, assim como no iogurte grego.

mulher bebendo suco - sempre com fome
Shutterstock

Smoothies e sucos podem ser a última moda agora, mas se você já engoliu uma bebida substituta de refeição e sentiu fome quase imediatamente, veja o porquê: seu corpo não registra calorias líquidas da mesma maneira que faz com os sólidos. De fato, estudos mostraram que a energia obtida a partir de fluidos é menos satisfatória do que as calorias de alimentos sólidos, então bebemos mais antes de nos sentirmos satisfeitos, de acordo com um estudo realizado no Reino Unido. Revista Americana de Nutrição Clínica. Especialistas acreditam que o ato físico de mastigar aumenta as respostas fisiológicas da saciedade – um estudo recente em Qualidade e Preferência Alimentar atribuímos o sinal da saciedade ao fato de que ouvir o crocante da comida pode servir como uma forma de monitorar seu consumo – ou que alimentos integrais são digeridos mais lentamente do que líquidos, um processo conhecido como esvaziamento gástrico, que faz com que seu estômago realmente sentir mais cheio por mais tempo.

Coma isso! Gorjeta

Nós certamente amamos nossos smoothies por aqui, mas se você se tornar vítima de estar sempre com fome, seria melhor se você se demitisse nas refeições combinadas. Ou siga o conselho de descobertas recentes: publicado no Revista Americana de Nutrição ClínicaUm estudo constatou que o espessamento de um smoothie fazia as pessoas se sentirem mais cheias, independentemente de quantas calorias ele tinha. Engrossar suas bebidas misturadas, substituindo o leite de amêndoa por iogurte grego e água.

Doutor medindo peito do homem para gordura com sobrepeso bmi - sempre com fome
Shutterstock

Apenas o fato de você estar carregando peso extra pode ser o suficiente para induzir a fome incontrolável – mesmo depois de você ter acabado de comer. Uma nova pesquisa de uma equipe multidisciplinar da UT Southwestern Medical Center descobriu que mulheres com obesidade severa continuam a responder a dicas de comida mesmo depois de terem comido e não estão mais com fome física, ao contrário de suas contrapartes magras. Usando uma ressonância magnética, os pesquisadores descobriram que os cérebros de mulheres gravemente obesas mostraram que ainda estavam excitados com a idéia de comer, apesar de terem acabado de consumir uma refeição e relataram sentir-se saciados. Os resultados, publicados na revista Obesidade, sugerem que algumas pessoas com obesidade grave têm uma motivação subjacente para continuar comendo apesar de não sentirem fome.

Coma isso! Gorjeta:

Não é tarde para começar! Reduzir drasticamente as calorias só vai piorar a fome, pois isso coloca o seu corpo em um modo de sobrevivência inanimado e acelera a produção de hormônios da fome, ao mesmo tempo em que diminui o metabolismo. Para ver a ponta da escala a seu favor, confira nossa lista de dicas de perda de peso melhor do que contando calorias.

Comer misto de grelha grande prato - sempre com fome
Shutterstock

Você pode tê-los comprado como presente de casamento, mas esse conjunto de louças extra-grandes tem que ir. Quando você se serve em um prato maior, uma porção típica de comida pode parecer menor e pode levar seu cérebro a pensar que você não está comendo comida suficiente. Ao contrário, as placas menores fazem com que as porções de alimentos pareçam significativamente maiores, o que engana sua mente, fazendo com que você pense que está prestes a consumir mais calorias do que realmente é. De fato, um estudo publicado em Apetite As pessoas descobertas ficaram satisfeitas por períodos de tempo mais longos depois que os pesquisadores mostraram aos participantes uma grande porção de frutas em seu batido, comparados aos participantes que receberam um pequeno pedaço de fruta – embora os dois grupos recebessem o mesmo tamanho para beber. Os autores do estudo sugerem que sentir-se satisfeito ou com fome pode basear-se na percepção da quantidade de alimentos, e não apenas na ingestão calórica.

Coma isso! Gorjeta

Experimente o truque em casa usando pratos e copos menores que fazem com que suas porções pareçam mais generosas, é apenas uma das maneiras fáceis de cortar mais de 50 calorias. Dessa forma, você vai enganar seu cérebro para se sentir mais completo, mesmo que você tenha comido menos!

Prescrição medicina remédio - sempre razões de fome
Shutterstock

Se lhe foi receitado um novo medicamento e subsequentemente notou um aumento insaciável do seu apetite, o seu risco pode ser o culpado. Antidepressivos, esteróides, pílulas anticoncepcionais, beta-bloqueadores, medicação anti-convulsiva e enxaqueca, e tratamentos para artrite reumatóide têm sido encontrados para aumentar o apetite em pacientes.

Coma isso! Gorjeta

Isso não significa que você deveria se livrar da droga, no entanto. Confirme com seu médico que a medicação é de fato a culpada e discuta quais outros tratamentos estão disponíveis. O seu médico pode prescrever uma medicação diferente que não tenha os mesmos efeitos colaterais de inchaço da barriga.

fast food drive thru - sempre com fome
Shutterstock

Pode ser uma poupança de tempo, mas comer fora ou pegar um lanche processado na mercearia não vai ajudá-lo a reduzir sua fome tanto quanto você pensa. Restaurant food—even the desserts—is typically loaded with salt, which research has found can release the feel-good hormone, dopamine, making sodium-laden fare pretty addictive. (Which means you’ll constantly crave it!) As for processed junk? These foods are often made with appetite-revving additives like MSG, which encourage you to continue noshing beyond your fill.

Eat This! Gorjeta:

Try cooking a majority of your own meals and snacks at home. You’ll not only be able to control the addictive sodium levels and leave out the appetite-revving additives—both will help to curb your seemingly insatiable hunger pangs—but you’ll also consume nearly 200 fewer calories than those who cook less, according to Johns Hopkins researchers.

Doctor and patient - always hungry reasons
Shutterstock

There are many reasons why you’re constantly hungry, but if none of the reasons above sound like your problem, it might be something you’re unaware of. A few possible medical reasons:

    • Women who experience premenstrual syndrome (PMS) often have food cravings, as do women during early stages of their pregnancy.
    • If your sudden hunger is also paired with an unquenchable thirst, you may want to talk to your doctor about being tested for diabetes. What may be happening is that you’re developing an insulin resistance, which means your body can’t as effectively funnel the glucose in food to be used as energy, and instead it stays in your bloodstream. As a result, you can experience “insulin resistant hunger” characterized by craving sugars or starches rather than being physically hungry.
    • Sometimes, excessive hunger is the sign of a parasitic infestation in your intestine, which can occur after eating undercooked meat from infected animals. For example, tapeworms act by noshing on the essential nutrients from your food. (Yikes!) Because your body is missing out on these satiating nutrients, it can cause you to feel hungry and thus overeat.
    • You may be suffering from a chronic, autoimmune health condition called hyperthyroidism—a condition in which your metabolism-running thyroid gland is running in overdrive. When your metabolism is constantly stimulated, it can result in feeling hungry all the time.

Eat This! Gorjeta:

If you suspect any of the issues above, consult your doctor for a diagnosis and treatment options.

Editor’s Note: This article was originally published April 7, 2016, and has since been updated to add additional sourcing.

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

18 Melhores e Piores Comidas para Churrasco

Existe alguma coisa melhor do que um churrasco ao ar livre e noshing na boa comida com seus amigos durante os meses de verão? Nós não pensamos! Mas você provavelmente já sabe até que ponto alguns alimentos podem ser tóxicos. Não sabe quais são as boas notícias para o seu intestino e o que melhor deve ser deixado na prateleira? É para isso que estamos aqui!

Abasteça-se de nossas barracas (e fique longe de nossas pizzarias Not That!) E você estará preparado para jogar um churrasco matador a qualquer momento. Melhor ainda, você poderá manter seu abdômen plano sem sacrificar os alimentos clássicos de verão que adora. Falando de comidas de verão, não perca nossas escolhas para a comida de verão número 1 em todos os estados.

Coma isso
Aidells Estilo Cajun Andouille
Por 1 link (85 g): 160 calorias, 11 g de gordura (4 g de gordura saturada), 690 mg de sódio, 1 g de carboidratos (0 g de fibra, 1 g de açúcar), 15 g de proteína

Isso não!
Bratwurst defumado da fazenda de Hillshire
Por 1 link (66 g): 220 calorias 19 g de gordura (7 g de gordura saturada), 520 mg de sódio, 4 g de carboidratos (0 g de fibra, 2 g de açúcar), 7 g de proteína

Mais de 75% das calorias da salmoura defumada da Hillshire Farm vêm da gordura, e esses pirralhos têm menos da metade da quantidade de proteína comparada à salsicha Aidells Cajun Style. Para não mencionar, a Fazenda Hillshire enche sua carne com nitritos de sódio prejudiciais à saúde – eca. Vamos aproveitar a carne de porco magra e saborosa da Aidells durante todo o verão.

coma isso não que cachorros-quentes

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

Coma isso
Applegate Farms O Grande Cachorro-Quente Não-curado Orgânico
Por 1 elo (50 g): 110 calorias, 9 g de gordura (4 g de gordura saturada), 530 mg de sódio, 0 g de carboidratos (0 g de fibra, 0 g de açúcar), 7 g de proteína

Isso não!
Oscar Mayer seleciona Francos Angus Beef
Por 1 elo (50 g): 170 calorias, 15 g de gordura (6 g de gordura saturada), 370 mg de sódio, 1 g de carboidratos (0 g de fibra, 1 g de açúcar), 6 g de proteína

Esta é uma escolha fácil. Applegate usa carne magra, sem conservantes, para criar um cão com mais proteína, menos calorias e menos gordura do que a franquia de Oscar Mayer. Para não mencionar, a carne Angus não é mais magra – e sem dúvida não é mais saborosa – que a carne comum.

comer isso não que hambúrguer vegetariano

Coma isso
Amy's All American Veggie Burger
Por patty (71 g): 130 calorias, 4 g de gordura (0 g de gordura saturada), 430 mg de sódio, 13 g de carboidratos (4 g de fibra, 2 g de açúcar), 11 g de proteína

Isso não!
Gardenburger o hamburguer original do vegetariano
Por patty (71 g): 110 calorias, 3 g de gordura (1,5 g de gordura saturada), 490 mg de sódio, 16 g de carboidratos (4 g de fibra, 0 g de açúcar), 5 g de proteína

A Amy embala muita proteína em seus hambúrgueres enquanto mantém as calorias baixas, o que é exatamente o que você quer em um substituto de carne. Infelizmente para Gardenburger, não podemos dizer o mesmo sobre seus hambúrgueres. Além disso, Gardenburger adiciona gomas e extrato de levedura à sua mistura.

comer isso não que carne moída

Coma isso
Patty de carne magra de 95% de grama-alimentados, 4-onça
Por 113 g: 136 calorias, 5 g de gordura (2 g de gordura saturada), 66 mg de sódio, 0 g de carboidratos (0 g de fibra, 0 g de açúcar), 18,5 g de proteína

Isso não!
Convencional 85% Lean Beef Patty, 4-onça
Por 113 g: 215 calorias, 15 g de gordura (5,5 g de gordura saturada), 66 mg de sódio, 0 g de carboidratos (0 g de fibra, 0 g de açúcar), 22 g de proteína

Optar por 95% de redução de peso acima de 85% não economiza apenas 10 gramas de gordura – ele também reduz a gordura saturada e mantém o excesso de calorias sob controle. Mantenha a carne de hambúrguer magra de secar misturando-a com cogumelos, pimentas, cebolas ou uma combinação dos três. Para cada xícara de carne, use um quarto de xícara de legumes. Claro, é mais caro, mas escolher a carne de vaca em vez da carne convencional é a melhor aposta para a sua saúde. A carne destas vacas especialmente cuidadas fornece mais ômega-3 saudáveis ​​para o coração.

comer isso não que esfregar churrasco

Coma isso
McCormick Grill Mates Applewood Rub
Por 2 colheres de chá (5 g): 15 calorias, 0 g de gordura (0 g de gordura saturada), 340 mg de sódio, 3 g de carboidratos (0 g de fibra, 1 g de açúcar), 0 g de proteína

Isso não!
Esfoliante All Natural Steak do Emeril
Por 2 colheres de chá (6 g): 20 calorias, 0 g de gordura (0 mg de gordura saturada), 1.920 mg de sódio, 0 g de carboidratos (0 g de fibra, 0 g de açúcar), 0 g de proteína

Um esfregar é ótimo para adicionar sabor a clássicos de jantar de família como costeletas, frango e bife. Somos grandes fãs do esfregar de McCormick porque tem um toque de doçura e é relativamente pobre em sódio – uma raridade nessa categoria. Basta olhar para o Emeril's: ele serve quase um dia inteiro de sal em apenas duas colheres de sopa! Só de pensar nisso nos deixa com sede.

comer isso não que molho de churrasco

Coma isso
Molho Bar-B-Q Original da Stubb
Por 2 colheres de sopa (32 g): 25 calorias, 0 g de gordura (0 g de gordura saturada), 240 mg de sódio, 6 g de carboidratos (1 g de fibra, 4 g de açúcar), 0 g de proteína

Isso não!
Molho Barbecue Original do Sweet Baby Ray
Por 2 colheres de sopa (37 g): 70 calorias, 0 g de gordura (0 g de gordura saturada), 290 mg de sódio, 18 g de carboidratos (0 g de fibra, 16 g de açúcar), 0 g de proteína

O xarope de milho com alto teor de frutose (um aditivo que aumenta o apetite) é o ingrediente principal do molho Sweet Baby Ray, e é por isso que ele embala quase três vezes mais calorias do que o da Stubb’s. O Stubb também oferece um sabor robusto sem embalar em uma tonelada de açúcar ou sal, um atributo do qual somos grandes fãs. Sabemos qual garrafa usaremos.

coma isso não que ketchup

Coma isso
Ketchup Vegetal True Made Foods
Por 1 colher de sopa (17 g): 10 calorias, 0 g de gordura (0 g de gordura saturada), 135 mg de sódio, 3 g de carboidratos (0 g de fibra, 2 g de açúcar), 0 g de proteína

Isso não!
Ketchup de tomate Heinz
Por 1 colher de sopa (17 g): 20 calorias, 0 g de gordura (0 g de gordura saturada), 160 mg de sódio, 5 g de carboidratos (0 g de fibra, 4 g de açúcar), 0 g de proteína

Pode custar-lhe alguns dólares a mais, mas vá em frente e pegue o True Made Foods Vegetable Ketchup. Ao contrário do xarope de milho de alta frutose encontrado em Heinz, True Made Foods naturalmente adoça seu condimento com frutas e legumes, tornando este ketchup mais ameno.

coma isso não que a mostarda de mel

Coma isso
Mostarda de mel orgânico de Annie
Por 1 colher de chá (6 g): 10 calorias, 0 g de gordura (0 g de gordura saturada), 45 mg de sódio, 2 g de carboidratos (0 g de fibra, 1 g de açúcar), 0 g de proteína

Isso não!
Mostarda de Mel Doce Inglehoffer
Por 1 colher de chá (5 g): 15 calorias, 0 g de gordura (0 mg de gordura saturada), 35 mg de sódio, 2 g de carboidratos (0 g de fibra, 2 g de açúcar), 0 g de proteína

Quando o açúcar e a água aparecem antes das sementes de mostarda na lista de ingredientes, ele deveria ser rotulado como mostarda? Nós não pensamos assim. Opte por mel mostarda orgânica de Annie. Pica a receita com vinagre de maçã e usa mel de verdade.

coma isso não que queijo

Coma isso
Kraft solteiros 2% leite Cheddar afiada
Por 1 fatia (19 g): 45 calorias, 2,5 g de gordura (1,5 g de gordura saturada), 250 mg de sódio, 2 g de carboidratos (0 g de fibra, 2 g de açúcar), 4 g de proteína

Isso não!
Kraft Deli Deluxe Cheddar Slices
Por 1 fatia (19 g): 70 calorias, 6 g de gordura (3,5 g de gordura saturada), 300 mg de sódio, 1 g de carboidratos (0 g de fibra, 0 g de açúcar), 4 g de proteína

Pode haver alguns queijos mais leves por aí, mas eles não têm gosto de queijo. Se você estiver procurando por um hambúrguer multiuso, use Kraft Singles 2%. Seu companheiro de prateleira, Kraft Deli Deluxe, possui três quartos de suas calorias de gordura, que não lhe dá nada além de calorias extras. Deixe-o na prateleira se você quiser emagrecer.

coma isso não que pãezinhos de hambúrguer

Coma isso
Ezekiel 4: 9 Pão de grãos inteiros germinados
Por bolo (76 g): 170 calorias, 1,5 g de gordura (0 g de gordura saturada), 170 mg de sódio, 34 g de carboidratos (6 g de fibra, 0 g de açúcar), 9 g de proteína

Isso não!
Sara Lee Artesano Bakery Buns
Por bolo (69 g): 190 calorias, 2 g de gordura (0,5 g de gordura saturada), 350 mg de sódio, 26 g de carboidratos (1 g de fibra, 4 g de açúcar), 6 g de proteína

Os travesseiros de carboidratos vazios da Sara Lee não conseguem competir com os pães recheados de fibras e proteínas de Ezekiel. Você teria dificuldade em encontrar um recipiente de hambúrguer melhor ou mais saboroso.

comer isso não que pães sem glúten

Coma isso
Rolos semeado Brown BFree
Por rolo (60 g): 150 calorias, 5 g de gordura (0 g de gordura saturada), 220 mg de sódio, 19 g de carboidratos (6 g de fibra, 0 g de açúcar), 6 g de proteína

Isso não!
Pães de hambúrguer sem glúten Canyon Bakehouse
Por bolo (85 g): 200 calorias, 4 g de gordura (0 g de gordura saturada), 320 mg de sódio, 39 g de carboidratos (3 g de fibra, 7 g de açúcar), 3 g de proteína

Ambas as opções são livres de glúten, no entanto, os BFree Brown Seeded Rolls têm zero açúcar e duas vezes mais proteína do que a embarcação de hambúrguer da Canyon, o que faz deles o claro vencedor aos nossos olhos. Se você estiver em uma dieta sem glúten para perda de peso, você pode querer ler sobre o porquê de um sem glúten é pior do que nenhuma dieta em tudo.

coma isso não que cachorro quente rola

Coma isso
Ezekiel 4: 9 Sprouted grãos inteiros Hot Dog Buns
Por bolo (76 g): 170 calorias, 1,5 g de gordura (0,5 g de gordura saturada), 170 mg de sódio, 34 g de carboidratos (6 g de fibra, 0 g de açúcar), 9 g de proteína

Isso não!
Rolinhos de batata longos famosos de Martin
Por rolo (53 g): 140 calorias 2,5 g de gordura (0,5 g de gordura saturada), 180 mg de sódio, 24 g de carboidratos (2 g de fibra, 5 g de açúcar), 6 g de proteína

Os detentores de cachorros-quentes de Ezekiel carregam seis gramas de fibra de enchimento e impressionantes nove gramas de proteína, um nutriente que preserva a massa muscular magra e mantém o seu metabolismo em alta velocidade à medida que se perde peso. A Martin's está carregada de condicionadores de massa e tem mais sódio. Vamos passar esse combo.

comer isso não que salada de batata

Coma isso
Salada de batata com azeite e vinagre
Por 3/4 xícara (230 g): 181 calorias, 7 g de gordura (1 g de gordura saturada), 122 mg de sódio, 27 g de carboidratos (3 g de fibra, 4 g de açúcar), 4 g de proteína

Isso não!
Salada De Batata Com Mayo
Por 1 xícara (250 g): 358 calorias, 20,5 g de gordura (3,5 g saturados), 1,322 mg de sódio, 28 g de carboidratos (3 g de fibra, n / a g de açúcar), 6,7 g de proteína

Desfrutar de uma salada de batata vestida com vinagre é uma jogada inteligente. Comendo o tipo de mayo-spiked? Não muito. Optar pelo prato mais ácido não só poupa calorias, gordura e, possivelmente, uma viagem ao cardiologista, mas também aumenta o seu metabolismo. Caso contrário, uma xícara caseira pode variar e chegar a 350 calorias com 20 gramas de gordura. Faça com azeite e vinagre. De acordo com um estudo publicado em Diabetes Care, o vinagre aumenta a taxa em que o corpo queima carboidratos, tornando o prato mais ácido uma arma de perda de peso sólida! Além disso, o azeite de oliva leva a níveis mais altos de adiponectina no corpo, um hormônio que decompõe as gorduras no corpo.

coma isso não que batatas fritas

Coma isso
Batatas Fritas de Batata Assada, Original
Por 17 batatas fritas (28 g): 120 calorias, 3,5 g de gordura (0 g de gordura saturada), 160 mg de sódio, 22 g de carboidratos (1 g de fibra, 2 g de açúcar), 2 g de proteína

Isso não!
Batatas fritas de Lay, Classic
Por 15 chips (28 g): 160 calorias, 10 g de gordura (1,5 g de gordura saturada), 350 mg de sódio, 15 g de carboidratos (1 g de fibra, <1 g de açúcar), 2 g de proteína

As batatas fritas podem adicionar um pouco de açúcar desnecessário à sua receita, mas além disso, elas são pobres em calorias e sódio e têm uma lista simples de ingredientes. Outra vantagem: eles são assados, não fritos, então eles têm 65% menos gordura que uma batata frita clássica. A receita clássica do Lay, por outro lado, é tão salgada e oleosa, você encontrará um revestimento em ambos os dedos e língua depois de apenas um. Eles têm quase três vezes a gordura como sua contraparte mais magro também.

coma isso não que sorvete

Coma isso
Feijão de baunilha Halo Top
Por 1/2 xícara (64 g): 70 calorias, 2 g de gordura (1 g de gordura saturada), 110 mg de sódio, 14 g de carboidratos (3 g de fibra, 6 g de açúcar), 5 g de proteína

Isso não!
Feijão de baunilha azul coelho
Por 1/2 xícara (69 g): 150 calorias, 9 g de gordura (5 g de gordura saturada), 45 mg de sódio, 16 g de carboidratos (0 g de fibra, 15 g de açúcar), 3 g de proteína

Halo Top recebe um high-five para adicionar proteína e fibra prebiótica em seus sorvetes e manter o açúcar real ao mínimo (eles usam stevia natural e um toque de açúcar real para adicionar doçura). Então, pode-se esperar que todo esse esforço comprometa o gosto – não é. E nós sabemos porque provamos o material testado. E quando a versão magra saboreia naquela bom, parece que não vale a pena todas as calorias e açúcar extras em comprar a variedade de coelhos azuis.

coma isso não que picolé

Coma isso
Goodpop, Vermelho, Branco e Azul
Por 1 bar: 35 calorias, 0 g de gordura (0 g de gordura saturada), 0 mg de sódio, 8 g de carboidratos (1 g de fibra, 7 g de açúcar), 0 g de proteína

Isso não!
Picolé, Cereja
Por 1 dose: 40 calorias, 0 g de gordura (0 g de gordura saturada), 0 mg de sódio, 10 g de carboidratos (0 g de fibra, 7 g de açúcar), 0 g de proteína

Com apenas 35 calorias, vá em frente e entregue-se aos picolés do Goodpop sem culpa. Eles são feitos de sucos de uvas, limão, maçãs e cerejas e coloridos com espirulina. A opção de marca de picolé é feita principalmente de xarope de milho rico em frutose e corantes artificiais. Em outras palavras, é melhor ficar no cooler do que derretido em sua barriga.

comer isso não que macarrão

Coma isso
Penne do grão-de-bico de Banza
Por 2 oz: 190 calorias, 3,5 g de gordura (0 g de gordura saturada), 60 mg de sódio, 32 g de carboidratos (8 g de fibra, 5 g de açúcar), 14 g de proteína

Isso não!
Barilla Penne Rigate
Por 2 oz: 280 calorias, 1,5 g de gordura (0 g de gordura saturada), 30 mg de sódio, 56 g de carboidratos (2 g de fibra, 2 g de açúcar), 10 g de proteína

Se você está fazendo uma salada de macarrão para o seu próximo churrasco, considere usar Banza Chickpea Penne com ferro e proteína em vez de macarrão normal. O Barilla Penne Rigate e outras massas convencionais semelhantes não possuem nenhum nutriente digno de nota, e é por isso que sugerimos ignorá-los.

RELACIONADO: O jeito fácil de fazer comidas mais saudáveis.

coma isso não aquela cerveja

Beba isso
Bud Light
Por 12 fl oz: 110 calorias, 6,6 g de carboidratos, 4,2% ABV

Isso não!
Budweiser
por 12 oz: 145 calorias, 10,6 g de carboidratos, 5% ABV

Você pode ser tão patriótico quanto o próximo, mas se estiver tentando combater a gordura, passe o clássico para uma das opções mais leves da Bud para economizar 35 calorias.

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

Os melhores produtos CBD que você deve tentar agora

Se você ainda não o fez, está prestes a começar a ver produtos com infusão de CBD em todos os lugares. E em todos os lugares, queremos dizer em compras diárias como água, ursinhos de goma, mordidas de coco e até mesmo mel.

Por que todo o hype?

CBD, ou canabidiol, é um composto natural extraído de cânhamo industrial e plantas de cannabis. As pessoas usam o CBD para melhorar uma miríade de problemas relacionados à saúde que incluem ansiedade, dor, distúrbios do sono, inflamação e náusea, embora a maioria dos produtos alimentícios não comercialize essas alegações de saúde porque elas exigem evidências suficientes e aprovação legalmente exigida pela FDA. Ao contrário do seu notável primo, o THC (tetrahidrocanabinol), que é mais frequentemente associado aos produtos de cannabis, o CBD não é psicoactivo e não fará com que os utilizadores se sintam “elevados”.

Além disso, ao contrário do THC, o CDB encontrado em alimentos e bebidas é provavelmente derivado do cânhamo, em oposição à cannabis: “A cannabis é colhida para os botões da planta, que contêm maiores quantidades de THC”, explica Preet Marwaha, especialista em saúde e bem-estar. e fundador da Blue Sky Biologicals. “O cânhamo industrial contém maiores quantidades de CBD e não contém THC suficiente para criar quaisquer efeitos psicoativos”, acrescenta.

Enquanto as pessoas na indústria do bem-estar usaram o CBD durante anos para administrar os sintomas, o composto está prestes a se tornar popular depois que o 2018 Farm Bill permitiu ao governo federal reconhecer plenamente o cânhamo industrial como um produto agrícola legal.

Com dezenas de novos produtos infundidos com CBD chegando ao mercado todos os meses e o fato de que ainda não há muito controle de qualidade no mercado, não será fácil encontrar os melhores produtos de CBD que valem o dinheiro. (E, como você verá, alguns desses produtos da CBD são um grande investimento.) É por isso que criamos uma lista de produtos CBD aprovados pela Eat This! -Com a ajuda de especialistas do setor. Como notamos abaixo, porque o THC é apenas legalmente recreativo em 10 dos 50 estados, decidimos excluir qualquer produto com as quantidades vestigiais de THC aceitáveis ​​pelo FDA (menos de 0,3%) da nossa lista dos melhores produtos CBD .

O que procuramos nos melhores produtos CBD.

Como ainda há uma área cinzenta com a eficácia do CBD para aliviar muitos problemas de saúde, nos certificamos de que cada alimento, bebida, lanche e tintura com infusão de CBD listados abaixo ainda se encaixem em nossa alta (sem trocadilhos) Coma isso, não aquilo! padrões nutricionais, para que você possa se sentir confortável em saber que cada produto ainda será bom para você.

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

Encontre um produto da CBD (ou dois…) que funcione para você abaixo e, se quiser encontrar suas próprias escolhas, saiba mais sobre o que procurar ao comprar um produto da CBD.

Os tipos de extratos de óleo e cânhamo CBD adicionados a alimentos e bebidas.

“A maioria dos produtos da CBD contém um extrato feito das partes aéreas da planta”, explica Brandon Beatty, CEO e fundador da Bluebird Botanicals. Antena que significa as folhas e flores, mas não o caule. Aqui estão os diferentes tipos de extrato que você verá nos seus produtos CBD.

Extratos de espectro total: “Extratos de espectro total contêm toda a matriz de mais de 80 canabinóides, incluindo o CBD”, diz Beatty. A menos que explicitamente indicado no rótulo, Beatty nos diz que a maioria dos extratos de cânhamo de espectro total no mercado terá algum THC, mas será inferior a 0,3% THC, por diretrizes federais. Os fabricantes de alimentos optam por um extrato de espectro total por causa de algo conhecido como “efeito de entourage”, que é o que acontece quando o CBD e o THC trabalham juntos. “Em essência”, começa Beatty, “toda a planta de cannabis é maior do que a soma de suas partes, então usar extratos de cânhamo de espectro total é a melhor maneira de maximizar os benefícios de saúde da CBD”. em 10 dos 50 estados, decidimos excluir qualquer produto com quantidades vestigiais de THC da nossa lista dos melhores produtos CBD.

Extratos de espectro total isentos de THCSe você está procurando evitar uma pequena quantidade de THC, você pode optar por este extrato de espectro completo sem THC. Embora você não consiga o “efeito entourage”, Beatty acrescenta que “o CBD ainda é eficaz por si só e muitos o preferem aos extratos de espectro total por uma variedade de razões”. Neste caso, o extrato da planta resulta em matriz de canabinóides e terpenos e, em seguida, THC é removido do extrato. Observe que a dosagem em miligramas que você vê em um rótulo não equivale diretamente a CBD. Por exemplo, 12,5 miligramas de extrato orgânico de cânhamo de espectro completo podem ter apenas 10 miligramas de CBD.

Extratos de amplo espectro: Isso é essencialmente a mesma coisa é extratos de espectro completo sem THC. Os óleos de cânhamo de amplo espectro são frequentemente extratos de plantas completas que contêm uma variedade de canabinóides (incluindo, mas não se limitando a CBD), mas absolutamente zero de THC com base em testes de laboratório de fabricantes ou de terceiros. Em alguns casos, o espectro amplo pode ser um isolado de CBD com adição de canabinóides e terpenos adicionais.

Isolados de CBD / óleo de CBD / óleo de cânhamo de alta potência: “Os produtos isolados usam um extrato de espectro total e retiram os componentes adicionais para deixar um canabinoide puro e isolado”, explica Beatty. A rotulagem fica um pouco confusa porque atualmente não há regulamentação para termos de CBD. Marwaha explica que um “óleo CBD” também pode se referir a uma “formulação à base de óleo que contém no mínimo CBD e às vezes pode conter outros fitocanabinóides.” Você terá que procurar rótulos como 99 por cento CBD se você quiser um alto – Óleo de CO2. “Óleos transportadores comuns usados ​​no óleo CBD incluem óleo de coco, óleo MCT, óleo de girassol e óleo de cânhamo.”

Uma nota sobre “óleo de cânhamo”: Você pode ter ouvido falar de óleo de semente de cânhamo ou óleo de cânhamo antes, mas saiba que isso não é o mesmo que o óleo CBD ou óleo de cânhamo de alta potência. O óleo de cânhamo “é o produto de sementes de cânhamo industrial prensadas que são cultivadas para conter vestígios de fitocanabinóides”, explica Marwaha. Ele acrescenta que o óleo de cânhamo terá pouco ou nenhum phytocannabinoids, incluindo CBD; no entanto, contém ácidos graxos ômega-3 e ômega-6.

Com que frequência você deve consumir produtos CBD?

“Embora a Bluebird não faça alegações de saúde sobre CBD ou cânhamo, você pode esperar que todos os produtos da CBD, incluindo a CBD, ajudem a promover e manter a homeostase dentro do corpo”, compartilha Beatty.

“Para garantir que você aproveite ao máximo seu produto, a consistência é fundamental. Todo mundo reage de maneira diferente ao CBD, por isso recomendamos fortemente que você tome a mesma quantia mais ou menos na mesma hora todos os dias durante várias semanas para avaliar adequadamente os efeitos em seu bem-estar. ”

Qual dosagem você deve procurar ao escolher um produto CBD?

“Nosso mantra favorito para contar aos novos usuários da CBD é começar baixo e ir devagar”, adverte Beatty. “Você pode achar que você só precisa de algumas gotas todos os dias para alcançar os efeitos desejados”, acrescenta ele.

Os melhores produtos da CBD para experimentar…

Recesso gengibre pêssego pode - produto cbd

Dosagem por lata: 10 mg de óleo de cânhamo de espectro total

Nutrição (por 12 fl oz): 15 calorias, 4 g de açúcar

A Recess sabe que os dias da semana podem ser difíceis, e é por isso que a marca de estilo de vida lançou a primeira água espumante com infusão de adaptogênio e CBD. O Recess vem em três sabores deliciosos – Peach Ginger, Blackberry Chai e Romã Hibiscus – que ajudarão a reduzir o vício da soda ao meio-fio. Além de CBD indutor de zen, cada lata de cor pastel é enriquecida com Schisandra berry, um adaptogen que reduz a inflamação e possui propriedades de alívio de estresse; ginseng, um adaptogen que ajuda você a se concentrar; e L-theanine, um aminoácido que promove o relaxamento sem sonolência, um estudo na revista Bebidas encontrado.

COMPRAR RECESSE AGORA

b resfriado óleo de cânhamo de mel cru - produto cbd

Dosagem por stick: 20 mg de óleo de cânhamo de alta potência

Nutrição: 23 calorias, 0 g de gordura, 0 g de sódio, 6 g de carboidratos (0 g de fibra, 6 g de açúcar), 0 g de proteína

O Beekeeper’s Naturals produz uma tonelada de produtos à base de abelhas nutritivas, desde o mel cru até o pólen de abelha e até mesmo um elixir cerebral enriquecido com geléia real – para que você saiba que o mel com infusão de CBD é um divisor de águas. O mel B.Chill é formulado com óleo de cânhamo de alta potência, que tem mais de 99% de CBD (e não se preocupa com outros fitocanabinóides), bem como MCTs para aumentar a biodisponibilidade. A marca diz que escolheu um extrato de cânhamo com alto teor de CBD “especificamente para os efeitos sinérgicos do CBD e do mel cru”. Além disso, a embalagem livre de BPA quebra na luz do sol, então você pode se sentir bem em apreciar este lanche ecológico.

COMECE OS NATURALIS DOS APICULTORES AGORA

não pum cbd gummies produtos

Dosagem por urso gummy: 10 mg de CBD

Não só a Not Pot garante que suas gomas são isentas de THC em seu nome, mas também revela que sua tecnologia proprietária preserva todos os fitocanabinóides enquanto elimina o THC em seu CBD derivado de cânhamo de espectro total. Como a linha vegan do Sunday Scaries, o Not Pot é 100% vegano. A marca dubla seu produto como um “abraço diário com sabor de morango para o seu sistema endocanabinóide”, para que você tenha uma pitada de doçura frutada com sua dose diária de frio.

LOJA NÃO POT

As pessoas da planta ficam cápsulas afiadas
Cortesia de pessoas de plantas

Dosagem por 1 cápsula: 15 mg de CBD de cânhamo orgânico

Embora os óleos das plantas tenham níveis de THC aprovados pelo FDA (menos de 0,3%), suas cápsulas são isentas de THC. Além do CBD, você encontrará 525 miligramas de uma mistura proprietária de ervas nessas cápsulas da Stay Sharp, que incluem “força clínica, ervas adaptogênicas e nootrópicos que suportam função cognitiva, memória, foco e saúde geral”.

LOJA DE PLANTA PESSOAS AGORA

produtos da bebida do cbd do mint matcha do plnt

Dosagem por frasco: 15 mg de espectro completo phytocannabinoid rico (PCR) cânhamo CBD

Nutrição (10 fl oz bottle): 60 calorias, 0 g de gordura (0 g de gordura saturada), 25 mg de sódio, 14 g de carboidratos (1 g de fibra, 10 g de açúcar), 1 g de proteína

Além de fornecer 15 miligramas de CBD por garrafa, a PLNT Blend oferece superalimentos adicionais, como chá matcha recheado com antioxidantes e extrato de menta com gosto de esmagamento. Você encontrará bebidas PLNT em dois outros sabores, incluindo abacaxi + camomila e açafrão + gengibre. As bebidas embalam em nove a 10 gramas de açúcar por garrafa, para que você possa saboreá-las sem culpa. Nós gostamos do sabor de hortelã + matcha porque também tem a quantidade certa de cafeína para despertar seu foco.

SHOP PLNT BLEND NOW

produtos de chocolate de leite gron cbd

Dosagem por quadrado: 10 mg de CBD

Nutrição (1 quadrado): 30 calorias, 2 g de gordura (1,2 g de gordura saturada), 0 mg de sódio, 2 g de carboidratos (0 g de fibra, 2 g de açúcar), 0 g de proteína

A Grӧn adquire o cacau de comércio justo por sua barra de chocolate com leite de 38%, suave e indulgente. Cada pequeno quadrado é embalado com 10 miligramas de CBD, por isso, se o canabidiol não lhe esfriar, o aveludado dessa barra de chocolate certamente ficará. Se você não é fã de chocolate ao leite e prefere o sabor forte do escuro, o Grӧn faz um bar de framboesa com chocolate amargo – e sua mais nova linha de praças artesanais apresenta uma deliciosa variedade de sabores, incluindo Texas Praline e Bourbon Vanilla.

COMPRAR GRÃ N AGORA

domingo scary vegan af gummies - produto cbd

Dosagem por urso gummy: 10 mg de CBD

Nutrição (1 gummy): 8,13 calorias, 0 g de gordura, 1,25 mg de sódio, 2 g de carboidratos (0 g de fibra, 1,38 g de açúcar), 0 g de proteína

A maioria dos gummies é feita com gelatina, então ficamos contentes em ver uma goma vegan de CBD no mercado. Cicatrizes de domingo A Vegan AF troca gelatina por xarope de milho em seus doces, que também apresenta o CBD de espectro completo, além de energizar a vitamina B12 e a vitamina D3, que estimula o sistema imunológico. O Sunday Scaries obtém seu CBD livre de pesticidas das fazendas americanas regulamentadas pela Farm Bill de 2018, considerando-o de alta qualidade. Fale sobre doces com benefícios!

SHOP DOMINGO SCARIES AGORA

highline premium cbd mastiga - produto cbd

Dosagem por urso gummy: 10 mg de óleo de cânhamo de espectro total

Nutrição (1 gummy): 11,5 calorias, 0 g de gordura, 12 mg de sódio, 2,7 g de carboidratos (0 g de fibra, 2,1 g de açúcar), 0,1 g de proteína[/nutrinfo-black]

O Highline Wellness continua super transparente sobre o seu produto CBD e divulga os resultados de testes de laboratórios de terceiros para garantir que você está comendo uma goma livre de THC de alta indução. Coloque um ou dois gummies antes de dormir para ter uma melhor noite de sono ou aproveite esses ursos coloridos antes da próxima reunião de trabalho.

COMPRAR BEM-ESTAR HIGHLINE

softgels cbdistillery softgels cbd - produto cbd

Dosagem por softgel: 30 mg CBD

Precisa de uma pílula fria? Se você não está procurando por algo saboroso e prefere estourar o CBD simples, os softgels da CBDistillery são para você. A CDB é proveniente de cânhamo industrial não cultivado nos Estados Unidos e é suspensa em óleo de coco e óleo de semente de cânhamo para garantir a máxima absorção. Assim como a Highline Wellness, a CBDistillery também divulga seus resultados de testes de laboratório, que indicam que as cápsulas de gel de silicone são totalmente livres de THC.

COMPRAR CBDISTILLERY

bluebird botanicals extrato de cânhamo thc free concentrada - cbd product

Dosagem por 0,5 ml (aprox. 15 gotas): 25+ mg de CBD

A Bluebird revela que, embora a maioria de seus produtos de espectro total contenha THC juntamente com CBD para promover o efeito entourage, essa tintura específica é livre de THC psicoativo.

COMPRAR BOTÂNICOS BLUEBIRD

soro de baunilha whey protein phytocannabinoids - produtos cbd

Dosagem por colher: 20 mg de extrato de óleo de cânhamo

Nutrição (1 colher): 140 calorias, 2 g de gordura (1,5 g de gordura saturada), 50 mg de sódio, 6 g de carboidratos (3 g de fibra, 2 g de açúcar), 20 g de proteína

O ReGenPCR combina uma mistura de proteína de soro de leite natural, com o óleo de cânhamo industrial mais avançado, de alta qualidade (rico em fitocanabinoide, também conhecido por PCR), contendo toda a entourage de Phytocannabinoids naturais, incluindo o Cannabidiol, originado no Colorado. Tentando abandonar laticínios? Não perca a nossa seleção das melhores proteínas veganas em pó.

LOJA WILLPOWER PRODUCTS AGORA

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

40 Foods Women Over 40 Need, de acordo com médicos

Os 40 anos de uma mulher podem ser um momento inesperadamente turbulento. Por um lado, seus hormônios estão enlouquecendo, de repente flutuando do jeito que fizeram em sua adolescência, e essa mudança aparentemente da noite para o dia pode levar seu corpo e sua mente a uma pirueta. Você pode notar os quilos subindo à medida que seu metabolismo começa a desacelerar, mais algumas dores ou dores aqui e ali, ou mudanças em seus padrões de sono que o deixam com um pouco menos de olhos brilhantes e rabo espesso. Infelizmente, este também é o momento da vida em que as mulheres podem experimentar seu primeiro contato com doenças crônicas – e perceber o quão importante sua saúde estará progredindo. E isso significa que as mulheres com mais de 40 anos precisam estar ainda mais atentas aos alimentos que estão comendo também.

Mas seus 40 anos não são todos desgraça e melancolia – eles exigem apenas um pequeno ajuste. Ao tomar conta de sua dieta e permanecer ativo, seus 40 anos podem ser uma das melhores décadas que existe – um momento para comemorar os avanços que você já fez em sua carreira, vida familiar, círculo de amigos e tudo mais que você já fez. edifício em seus 20 e 30 anos. Este é um ótimo momento para praticar um pouco de autocuidado extra também, começando com o modo como você nutre seu corpo.

É por isso que conversamos com sete médicos diferentes – incluindo especialistas em saúde da mulher, dermatologistas, obstetras / ginecologistas, urologistas e clínicos gerais – para levar até você os 40 principais alimentos que toda mulher com mais de 40 anos deveria estar comendo. sinta e olhe seu melhor absoluto.

Bon appetit, e aqui está a sua boa saúde!


Shutterstock

A maioria das pessoas pensa em doenças cardíacas como um problema de saúde dos homens, mas é notícia: é a principal causa de morte nos Estados Unidos para homens e mulheres. Dr. Hardik Soni, MD, um médico e diretor médico do Ethos Medical Spa, em Nova Jersey, recomenda que as mulheres incorporem peixes gordurosos ômega-3 em sua dieta para uma boa saúde do coração à medida que sua idade avança. Ele acrescenta que gorduras saudáveis ​​como as encontradas em salmão, arenque e cavala também ajudam a equilibrar os hormônios, que tendem a flutuar depois dos 40 anos em antecipação à menopausa.

Quinoa cozida
Shutterstock

A Dra. Sherry Ross, ou Dra. Sherry, como ela é mais conhecida, é uma especialista obstétrica e ginecologista premiada, e autora do livro. Sheology: Guia definitivo das mulheres para a saúde íntima. Período. Ao discutir seus principais alimentos para as mulheres, ela chamou a quinoa de “aquela que você gostaria de ter com você em uma ilha deserta”, devido aos seus benefícios nutricionais supercarregados. É muito maior em fibras do que a maioria dos outros grãos, rica em proteínas, contém todos os aminoácidos essenciais que seu corpo necessita e é rica em magnésio, ferro, ácido fólico e ácidos graxos ômega-3. Isso se traduz em um currículo impressionante de capacidades de prevenção de doenças, reduzindo o risco de pedras nos rins, doenças cardiovasculares, diabetes e até câncer.

Toranja
Shutterstock

A toranja não é apenas uma opção de café da manhã com alto teor nutritivo e baixo teor calórico, mas também uma das maneiras mais simples de obter o seu ácido fólico – um dos principais combatentes do estresse oxidativo. A Dra. Janette Nesheiwat, médica da família e de emergência e diretora médica do CityMD, recomenda adicioná-las à sua dieta, explicando que “elas são carregadas com vitamina C, potássio, vitamina B, zinco, manganês e muito mais. Eles também têm propriedades antioxidantes, que ajudam a combater a inflamação no corpo, podem ajudar a reduzir o colesterol e reduzir o risco de doenças cardíacas, câncer e demência ”. Eles também são amplamente considerados uma ferramenta útil para manter um metabolismo ativo à medida que você envelhece. .

Colher de manteiga de amendoim
Shutterstock

Procurando por um lanche rico em proteínas que irá mantê-lo cheio e dar-lhe um impulso de energia? A Dra. Janet Prystowsky, dermatologista de Nova York, recomenda comer amendoim e manteiga de amendoim se você for uma mulher com mais de 40 anos. “Fontes de proteína baseadas em plantas permitem diminuir o consumo de fontes de proteína animal, como carne vermelha. ,” ela diz. “Há evidências que sugerem que o consumo pesado de proteínas de origem animal aumentará o risco de câncer.” Apenas certifique-se de obter versões orgânicas sem adição de açúcares, para evitar as calorias extras, sem mencionar pesticidas e conservantes.

Torneira, enchendo, vidro água
Shutterstock

A hidratação é a chave à medida que envelhecemos, impactando todos os órgãos, células e tecidos de nossos corpos. É por isso que o Dr. Koushik Shaw, MD, que lidera a equipe do Austin Urology Institute, recomenda altamente a ingestão de 6 a 8 copos de água por dia, mais se você estiver malhando. “Você pode dizer se está obtendo o suficiente monitorando a cor da sua urina”, diz ele. “Deve ser amarelo claro. Amarelo escuro ou laranja é hiperconcentrado. Limpar significa que você está bebendo mais do que precisa e, basicamente, você está passando a água nesse ponto. Mas amarelo claro significa que você está adequadamente hidratado e seu corpo está recebendo o que precisa. “

suco de limão na tigela ao lado de limões em fatias
Shutterstock

Uma maneira de aumentar sua rotina de hidratação é adicionar suco de limão à sua água. Shaw explica que é uma adição simples, mas os benefícios para as mulheres com mais de 40 anos podem ser grandes. O suco de limão pode ajudar a quebrar os depósitos concentrados de cálcio, responsáveis ​​por cerca de 80% a 85% dos cálculos renais. Esta pode ser uma condição muito dolorosa, afetando todo o trato urinário, e o risco para as mulheres aumenta à medida que se aproximam dos 50 anos. Adquira o hábito agora para uma ótima saúde renal!

Brócolis em uma tábua de madeira
Shutterstock

O brócolis é um superalimento com uma série de benefícios para a sua saúde. Como explica o Dr. David Greuner, da NYC Surgical Associates, “As vitaminas e minerais nutritivos deste vegetal servem a muitos propósitos, incluindo defesa do sistema imunológico, redução dos sinais de envelhecimento relacionados ao estresse e menor risco de câncer nos seios, bexiga e estômago. ,” ele diz. Dr. Sherry concorda que é um alimento de primeira linha para mulheres na faixa dos 40 anos, notando que é rico em vitamina K e cálcio, ambos úteis para a saúde dos ossos das mulheres à medida que envelhecem.

verdes folhosos escuros de couve em peneira
Shutterstock

Verduras de folhas escuras como espinafre, couve, acelga e couve podem ser alguns dos alimentos mais nutritivos e potentes que as mulheres podem comer à medida que envelhecem. Esses vegetais são ricos em vitamina K, que ajuda a fortalecer os ossos e combater a osteoporose, fornecem antioxidantes que ajudam a prevenir o câncer e são ricos em vitamina C. Soni ressalta que além de suas contribuições mais amplas à boa saúde e à boa forma, as verduras também podem fornecer um benefício inesperado para muitas mulheres acima de 40 anos: “A vitamina C é essencial, pois pode ajudar o cérebro a formar dopamina”, explica ele. Isso ajuda a combater a depressão na perimenopausa, um sintoma comum que muitas mulheres enfrentam quando seus hormônios começam sua transição hormonal, a partir dos 40 anos.

Batata doce
Shutterstock

De acordo com Shaw, você pode encontrar em seus 40 anos que sua pele, cabelo e unhas precisam de um pouco de cuidado extra – e uma das melhores vitaminas para mantê-los fortes e saudáveis ​​é a vitamina B da biotina. O fígado é uma das poucas fontes de alimento com maior produção de biotina, mas também é uma venda mais difícil para muitas pessoas e, é claro, é fundamental comer alimentos de que você gosta para formar hábitos alimentares saudáveis ​​e sustentáveis. Batata-doce tem o benefício adicional de não apenas biotina, mas também ser rico em beta-caroteno (que tem importantes propriedades anti-inflamatórias), bem como vitamina C e magnésio.

Sementes de linho em uma colher de pau
Shutterstock

De acordo com a Dra. Cynthia Bailey, MD, uma dermatologista e CEO e fundadora da Dra. Cynthia Bailey Skin Care, as sementes de linho recém moídas são um superalimento antienvelhecimento que pode ter um efeito profundo em nossa pele e saúde em geral. Ela explica que eles devem seu sucesso a ter um dos maiores conteúdos de ômega-3 em qualquer alimento à base de plantas.

“Ácidos graxos ômega-3 foram mostrados para ajudar a manter a pele jovem, eliminando rugas, secura relacionada à idade e afinamento da pele. Eles também ajudam a pele a resistir aos danos causados ​​pelos raios UV ”, explica ela. E não é apenas a sua pele que se beneficia. “As sementes de linhaça são ricas em antioxidantes, vitaminas, minerais, fibras e lignanas vegetais necessárias para manter bactérias intestinais saudáveis ​​(microbioma). A quantidade de fibra no linho é significativa, ajudando com a regularidade também. Os ácidos graxos ômega-3 também ajudam a combater doenças cardíacas, inflamações e câncer. Eles são realmente um superalimento. ”

Chá verde em canecas
Shutterstock

O termo “radicais livres” pode parecer divertido, mas na verdade descreve moléculas instáveis ​​que danificam as células e podem levar ao estresse oxidativo. Um estudo sobre o tema explica que, como os radicais livres são um subproduto das funções normais do corpo, como a respiração, bem como fatores ambientais, “espera-se que as reações produzam mudanças adversas progressivas que se acumulam com a idade em todo o corpo”. como um complemento à sua rotina diária. “O chá verde tem muitos antioxidantes que podem ajudar a nos proteger dos radicais livres”, explica ele. “E se conseguirmos que os pacientes tomem chá verde em vez de café ou álcool, isso terá um efeito muito mais positivo”.

Bando de espargos
Shutterstock

De acordo com o Dr. Sherry, “sabemos que o desequilíbrio hormonal que acompanha a perimenopausa afeta o equilíbrio de nossos tratos gastrointestinais. À medida que envelhecemos, essa perturbação hormonal afeta o funcionamento dos intestinos. ”Por causa disso, ela explica, inchaço e inchaço não são incomuns em mulheres com mais de 40 anos.“ É semelhante à TPM, mas aumenta dez vezes quando chegamos à perimenopausa ”. ela diz. O Dr. Sherry recomenda a adição regular de espargos ao seu cardápio: sendo um diurético natural, pode ajudar a reverter esses sintomas desconfortáveis.

Abacate cortado ao meio
Charles Deluvio / Unsplash

Os abacates proporcionam uma série de benefícios à saúde à medida que você envelhece, e a Soni recomenda adicioná-los ao menu se você for uma mulher com mais de 40 anos. Comidos regularmente, estudos mostram que o abacate pode ajudar a regular os níveis de colesterol, melhorar a digestão, apoiar a saúde e a agilidade das articulações. promover a saúde ocular e boa visão, e manter um peso saudável. Não faz mal que eles também sejam ótimos para a sua pele, com antioxidantes que combatem os radicais livres que causam rugas e óleos que hidratam a pele de dentro para fora, proporcionando um brilho saudável.

Lentilhas
Shutterstock

Comer uma dieta rica em proteínas é uma ótima maneira de manter um peso saudável e massa muscular durante os 40 anos. Infelizmente, de acordo com Prystowsky, “há evidências que sugerem que o consumo pesado de proteínas de origem animal aumentará seu risco de câncer”. Sua solução? Comer mais lentilhas (assim como outras leguminosas e feijões) como uma alternativa rica em proteínas, baseada em vegetais, aos produtos de carne. Eles também fornecem o benefício de serem particularmente ricos em fibras e uma grande fonte de carboidratos complexos – ambos devem funcionar harmoniosamente com suas metas gerais de perda de peso ou manutenção de peso.

Par, elogios, vinho tinto
Shutterstock

Segundo Soni, beber vinho tinto pode elevar os níveis de estrogênio feminino, o que pode ajudar a equilibrar o declínio natural após os 40 anos. Estudos sugerem que esse benefício vem dos antioxidantes encontrados em sementes e peles de uva vermelha, e que beber um litro o vidro por dia pode ajudar a diminuir o risco de uma mulher desenvolver câncer de mama, em comparação com o consumo de vinho branco. Isso é uma ótima notícia, considerando que uma em cada oito mulheres vai combater o câncer de mama em sua vida.

Maçãs vermelhas maduras
Shutterstock

A diverticulite é rara em pessoas com menos de 40 anos, mas de acordo com a Harvard Health Publishing, um terço dos americanos desenvolvem a doença quando chegam aos 60 anos. Ela ocorre quando pequenas bolsas se formam dentro do trato digestivo de uma pessoa, tipicamente na parte inferior. parte do intestino grosso. O efeito no paciente? Desconforto abdominal e constipação. Shaw recomenda a ingestão de frutas como maçãs, que são ricas em fibras solúveis e pectina, o que pode amolecer as fezes para reduzir os desconfortáveis ​​surtos de diverticulite.

castanha-do-pará
Shutterstock

No topo da lista de alimentos saudáveis ​​da Soni para mulheres com mais de 40 anos, estão as nozes. Eles têm muitas gorduras poliinsaturadas e monoinsaturadas que podem ajudar a diminuir o LDL, ou “colesterol ruim”, que por sua vez pode ajudar a diminuir o risco de um ataque cardíaco. Embora um punhado de opções mais comuns, como nozes, amêndoas, pistaches ou castanhas de caju, produzam um lanche saudável e rico em proteínas, a Soni recomenda a castanha-do-brasil em particular. Estes contêm altos níveis de selênio antioxidante, o que pode ajudar na defesa contra doenças crônicas, incluindo doenças renais relacionadas à idade, doenças cardíacas e câncer.

Aveia com Amêndoas e Bagas
Shutterstock

À medida que as mulheres envelhecem, elas freqüentemente descobrem que as coisas que eles poderiam comer aos 20 e 30 anos de repente deixam-nas pesadas aos 40 anos. E muitas vezes, a reação automática é cortar todos os carboidratos em resposta. Shaw explica que, embora seja uma ótima idéia reduzir sua ingestão de carboidratos simples, os carboidratos complexos ainda são importantes para sua saúde e um componente sólido de um plano de emagrecimento na faixa dos 40 anos. A farinha de aveia rica em fibras é uma excelente fonte de hidratos de carbono complexos e de libertação lenta, para mantê-lo satisfeito durante mais tempo, evitando o inevitável choque de energia associado à ingestão de carbohidratos refinados ou à ausência de carboidratos.

Azeite de oliva em frasco de vidro
Shutterstock

O azeite de oliva surgiu muito enquanto conversava com os médicos sobre a dieta das mulheres após os 40 anos. “Todos nós usamos óleo para cozinhar, por isso deve ser óleo saudável sempre que possível”, diz o Dr. Sherry. “O azeite de oliva é antioxidante, probiótico e bom para o seu intestino.” Shaw concorda, acrescentando que o azeite de oliva era uma boa maneira de reduzir “as opções falsas e insalubres” como margarina e óleo vegetal. Ele observa que pode ser especialmente eficaz como parte de uma dieta de estilo mediterrâneo, que enfatiza alimentos à base de plantas, como frutas e legumes, nozes, legumes, gorduras saudáveis ​​e grãos integrais.

ovos marrons em meia caixa
Shutterstock

A sarcopenia é a condição de perder massa muscular à medida que envelhecemos, uma doença que deixa muitos idosos frágeis e vulneráveis ​​a lesões e desnutrição. Se você acha que 40 é jovem demais para se preocupar com essa condição, pense novamente: muitos de nós começam a perder massa muscular à medida que entramos em nossa quarta década, mas não percebem isso muito mais tarde, quando ela começa a afetar a qualidade de vida. Até lá, é difícil reverter os efeitos. É por isso que é essencial fazer exercícios regularmente e comer alimentos ricos em proteínas, como ovos, estudos esses que comprovadamente ajudam a construir músculos. Precisa de outro motivo para preparar sua omelete matinal? “Os ovos também são um alimento anti-rugas superior, contendo três aminoácidos pendentes: prolina, glicina e lisina”, diz Soni.

RELACIONADO: Seu guia para a dieta anti-inflamatória que cura seu intestino, retarda os sinais de envelhecimento e ajuda a perder peso.

Bulbos de alho e cravo
Shutterstock

É uma coisa boa que você pode jogar uma pitada de alho em praticamente qualquer refeição saborosa. De acordo com Greuner, “devido à reação química que tem sobre os glóbulos vermelhos, o alho é essencial para melhorar o fluxo sanguíneo e combater as infecções bacterianas e virais. Além disso, as vitaminas e os minerais do alho têm sido associados à redução da pressão arterial, do açúcar no sangue e do colesterol, tornando-se uma ferramenta ideal para a prevenção de doenças cardíacas quando chegam à meia-idade. ”Dr. Sherry afirma a recomendação, citando seus poderes como diurético natural. e sua capacidade subsequente de combater o inchaço e retenção de líquidos das mudanças hormonais selvagens dos seus 40 anos.

pele grelhada menos peitos de frango
Shutterstock

Comer peito de frango – idealmente sem a pele, por menos gordura saturada – é uma ótima maneira de aumentar o seu metabolismo e manter um peso saudável. “É uma queixa comum de pacientes do sexo feminino com mais de 40 anos que eles acham que ganham peso muito mais facilmente do que costumavam quando eram mais jovens”, compartilha Soni. “Esta é uma ocorrência natural, como os nossos músculos que carregam o metabolismo começam a perder peso após 30. O impulsionador do metabolismo número um disponível é proteína, mas as mulheres tendem a começar a comer menos do que a sua RDA de proteína à medida que envelhecem.” para incorporar peito de frango grelhado em praticamente qualquer refeição saborosa, dando-lhe a proteína magra impulsionar seu metabolismo precisa.

Vagem
Shutterstock

De acordo com Nesheiwat, uma das melhores maneiras de manter a boa saúde com a idade é comer montes de vegetais verdes. “Eles dizem que você é o que você come, e definitivamente há alguma verdade nisso”, diz ela. “Obtemos vitaminas e minerais essenciais através da nossa dieta – especialmente através de frutas e legumes.” Enquanto ela sugeria saladas folhosas, brócolis e muito mais, os feijões verdes estavam no topo da lista, explicando que eles são uma ótima comida para prevenir o cólon. Câncer. Isso é uma ótima notícia, considerando que os cânceres colorretais são a segunda principal causa de morte relacionada ao câncer nos Estados Unidos.

Sementes de Chia
Shutterstock

As sementes de chia são consideradas um “superalimento” com uma lista de benefícios para a saúde de uma milha, principalmente aqueles derivados de seu alto teor de ácidos graxos linoleicos ômega-3, cálcio, fibras, antioxidantes e proteínas. Eles embalam um soco nutricional importante sem serem densos em termos calóricos, ajudando os idosos a manter a densidade óssea, a função dos órgãos e a massa muscular, enquanto mantêm um peso saudável. Soni acrescenta que as mulheres com mais de 40 anos também podem perceber que as sementes de chia podem ajudar os sintomas da menopausa, incluindo um efeito estabilizador nas oscilações de humor!

Peru assado esculpido
Shutterstock

Como Shaw ressalta, as mulheres com mais de 40 anos podem começar a notar mudanças em seus hábitos de sono, registrando menos horas de descanso à medida que envelhecem. O triptofano encontrado na Turquia é um aminoácido que ajuda a formar a niacina da vitamina B e gera a serotonina. De acordo com a Fundação Nacional do Sono, isso pode contribuir para uma melhor noite de sono, especialmente se você unir seu peru com carboidratos complexos, que ajudam o triptofano a alcançar seu cérebro absorvendo outros aminoácidos do sangue.

soja não processada
Shutterstock

A soja está no centro da controvérsia nutricional há algum tempo. Detratores argumentam que, como as isoflavonas contidas na soja imitam o estrogênio, elas poderiam contribuir de maneira viável para o desenvolvimento do câncer de mama. Mas estudos sugerem que essas mesmas isoflavonas realmente retardam o crescimento de células de câncer de mama quando as mulheres consomem soja com moderação. Dr. Sherry recomenda comer soja não processada, incluindo soja e tempeh, explicando, “tudo depende do tipo de soja que você está consumindo. A soja não processada tem muito mais benefícios do que a soja processada: ela contém ácidos graxos ômega-3, proteína e fibra. Em sua forma natural, é uma boa ferramenta para a prevenção dietética do câncer de mama. ”Então, do que você deve ficar longe? “Leite de soja, queijo de soja e iogurte de soja seriam menos úteis – talvez até contraproducentes naquela forma processada”, diz ela.

Requeijão com pêssegos
Shutterstock

O requeijão é conhecido por ser uma excelente fonte de proteína e cálcio com baixo teor de gordura. Mas também oferece alguns benefícios menos conhecidos: é rico em selênio para reduzir o estresse oxidativo, riboflavina para quebrar os nutrientes em sua comida, fósforo para a saúde dos ossos e vitamina B12 para um sistema nervoso e circulatório saudável. Soni acrescenta que o queijo cottage também pode ser uma boa fonte de triptofano para um sono melhor, se você quiser reduzir os produtos de carne e pular o peru.

Smoothie de Berry
Shutterstock

Bagas – especialmente bagas escuras como amoras e mirtilos – são alguns dos melhores lanches anti-envelhecimento ao redor. Eles são embalados com flavonóis e antocianinas, que ajudam a proteger suas células e afastar doenças. Eles também estão cheios de antioxidantes, que estudos mostram que podem ajudar a retardar o processo de envelhecimento. Shaw recomenda a adição de bagas de goji, que têm o benefício adicional de reduzir o risco de doenças oculares relacionadas à idade, como o glaucoma. Se as bagas não fizerem parte de sua dieta regular, é hora de ativar o liquidificador.

pão integral de cereais
Shutterstock

Se você já descartou massa da sua dieta pós-40 por medo de ganhar peso, é hora de reconsiderar. O truque é apenas comprar o tipo certo e comê-lo com moderação. De acordo com a Greuner, as massas e cereais integrais podem ser uma parte muito eficaz do regime de perda de peso ou de manutenção do peso de uma mulher, e tem alguns benefícios adicionais para a nossa digestão. “À medida que envelhecemos, a saúde digestiva e os movimentos intestinais regulares se tornam cada vez mais relevantes, já que os idosos tendem a experimentar a constipação com mais frequência”, diz ele. “A ingestão de grãos ricos em fibras é crucial para evitar a constipação, bem como reduzir o ganho de peso e inchaço.”

variedade de carnes orgânicas
Shutterstock

Como Shaw ressalta, o que você não come causa tanto impacto na sua saúde quanto o que você come. Nós todos sabemos que a carne orgânica é melhor para você do que sua contraparte processada – e Shaw argumenta que é uma das áreas mais importantes para fazer uma escolha criteriosa de dieta. “Eu gostaria de ver pessoas comendo carnes mais limpas, se optassem por comer carne”, diz ele. “Carnes processadas não são apenas não orgânicas, elas usam antibióticos que alteram a flora intestinal, assim como hormônios de crescimento que são perigosos para o consumo.” Fornecedores também enchem carnes com conservantes de fosfato para mantê-las nas prateleiras por mais tempo, o que foi mostrado contribuir para várias doenças relacionadas à idade, incluindo doença renal, osteoporose e doenças cardíacas.

Chucrute
Shutterstock

Você sabia que apenas algumas mordidas diárias de chucrute poderiam mudar completamente sua saúde intestinal à medida que você envelhece? Acontece que ele está repleto de lactobacilos, uma bactéria saudável normalmente encontrada em seus tratos digestivo, genital e urinário. OK, então talvez isso não faça com que você queira adicioná-lo ao seu cardápio, mas de acordo com o Dr. Sherry, esse potencial probiótico vale bem a pena, com efeitos impressionantes em sua digestão. Essas bactérias “boas” ajudam a equilibrar os maus, e um intestino equilibrado é mais capaz de filtrar toxinas e resíduos. Chucrute não é sua coisa? Dr. Sherry recomenda tentar kimchi, pepino em conserva ou kefir como alternativas probióticas – especialmente se você estiver com mais de 40 doenças comuns, como a síndrome do intestino irritável ou colite.

Iogurte grego em tigela com colher
Shutterstock

A osteoporose é uma condição caracterizada por uma perda de densidade óssea ao longo do tempo, e deixa aqueles que sofrem com ela vulneráveis ​​à deterioração óssea e fraturas. Mas o que muitas mulheres não percebem é que elas são afetadas pela osteoporose em quatro vezes a taxa de homens, que tendem a ter uma densidade óssea maior para começar e cuja densidade óssea atinge um pico em uma idade mais avançada. É por isso que depois dos seus 30 anos quando ultrapassa a sua densidade máxima, torna-se de importância vital que as mulheres obtenham cálcio suficiente. Shaw recomenda o iogurte grego como uma grande fonte de cálcio, observando que também é rico em proteínas.

Chocolate escuro
Charisse Kenion / Unsplash

O material verde é importante, mas a boa saúde é mais do que apenas saladas de couve e brócolis. O chocolate escuro pode parecer um desperdício ou engano, mas na verdade tem uma série de benefícios para o nosso corpo – em particular, para o envelhecimento da nossa pele. De acordo com Greuner, “o chocolate amargo contém altos níveis de um composto chamado flavanol para ajudar a pele a parecer jovem. Este composto ajuda a pele não apenas a parecer mais suave e hidratada, mas também a proteger a pele dos danos causados ​​pelo sol. ”Mas antes de chegar ao corredor dos doces, certifique-se de fazer a seleção certa. “É importante escolher chocolate amargo com pelo menos 70% de cacau para garantir que os níveis de flavanol sejam altos o suficiente para experimentar seus benefícios”, explica ele.

Ervilhas com vagens
Shutterstock

Sua mãe sempre lhe disse para comer suas ervilhas – e, como de costume, sua mãe estava certa. Dr. Sherry nos diz que comer ervilhas verdes, bem como ervilhas ou sopa de ervilha, é uma ótima maneira de ficar regular passado 40, devido ao seu teor de fibras surpreendentemente alto: 7 gramas por xícara! “Não é apenas sentir-se confortável todos os dias (embora isso também seja importante)”, explica ela. “Comer ervilhas de alta fibra também pode reduzir o risco de câncer de cólon.” Um grande feito para um vegetal tão pequeno!

Cenouras de bebê no prato da bacia do serviço
Shutterstock

Procurando uma ótima maneira de manter sua pele saudável e bonita após 40 anos? De acordo com Bailey, as cenouras são sua melhor aposta – e a comida número um que ela recomenda para seus pacientes. “O betacaroteno é um precursor da vitamina A”, diz ela, “um nutriente crítico para a saúde da pele que também retarda o envelhecimento da pele. As propriedades antioxidantes do betacaroteno ajudam a defender a pele contra os danos dos radicais livres da exposição aos raios UV, estressores ambientais e radicais livres produzidos na pele devido ao funcionamento normal da pele. Em altas doses, o betacaroteno também fornece alguma fotoproteção (proteção solar) para a pele, mas não o suficiente para pular o protetor solar. ”E se é um brilho jovem que você procura, o Dr. Bailey nos garante que você não ficará desapontado. “Você recebe um bônus adicional de beta-caroteno porque aquece sua pele com um brilho saudável em poucos dias, e todos nós podemos usar isso. Este tom de pele de beta-caroteno quente tem sido cientificamente comprovado como mais atraente do que um bronzeado. ”

bok choy
Shutterstock

Bok choy é uma das verduras mais saudáveis ​​que você pode obter em suas mãos, especialmente à medida que envelhece. É uma das verduras mais ricas em cálcio, junto com sua prima, o repolho chinês – e, felizmente, ambas fazem deliciosas adições a um saudável leguminoso vegetariano. Dr. Sherry recomenda torná-los uma parte regular de sua dieta, observando que eles são bem conhecidos por apoiar a boa saúde óssea e cardiovascular.

forma de planta de grama de trigo tiro
Shutterstock

Procurando uma maneira saudável de começar o dia? De acordo com Greuner, o wheatgrass pode ser uma maneira livre de problemas para obter uma alta concentração de nutrientes de uma só vez – especialmente para mulheres acima de 40. “Esta bebida saudável contém vitaminas A, C e E para regular o açúcar no sangue adequadamente , que para muitas mulheres é a resposta a dores de cabeça, problemas de visão e infecções de pele ”, ele compartilha. “Além disso, esta adição dietética fácil demonstrou manter seus bebedores se sentindo jovens, protegendo contra artrite e inflamação relacionada das articulações.” Não sentir o sabor? Tente adicionar um tiro de wheatgrass a um smoothie com frutas como maçãs, peras ou abacaxis para um toque mais palatável.

Tomates da herança
Shutterstock

Se você pensa em tomates como o topper sanduíche, mole e fatiado servido em sua delicatessen local, você está perdendo a beleza (e se beneficiando) de comer tomates realmente ótimos. Não só os tomates da herança são tão ricos em sabor que você pode se inspirar para comê-los por conta própria com apenas uma pitada de sal – eles também vêm com uma série de benefícios para mulheres com mais de 40 anos. propriedades anti-inflamatórias, devido ao seu alto teor de licopeno antioxidante. Eles também podem fornecer vitamina C, fibra, potássio, beta-caroteno e biotina – tudo isso se traduz em melhor saúde do coração, resistência a danos na pele relacionados à idade e menor risco de câncer.

Nozes
Shutterstock

Precisa de um novo lanche para um rápido aumento de energia? Nozes oferecem uma opção de alta proteína que você pode facilmente levar com você em movimento. Dr. Sherry diz que os polifenóis encontrados nas nozes combatem a inflamação, uma condição que está na raiz de muitas doenças relacionadas à idade que afetam as mulheres, incluindo doenças cardíacas, Alzheimer, diabetes tipo 2 e câncer.

Mamão cortado ao meio
Shutterstock

Os mamões têm uma arma secreta pouco conhecida quando se trata da saúde das mulheres. De acordo com Greuner, que os recomenda, “os frutos de mamão são especialmente benéficos para as mulheres na faixa dos 40 anos ou mais. Suas vitaminas ajudam a estimular a produção de estrogênio, regulando o ciclo menstrual e reduzindo a dor das câimbras nas mulheres ”. Isso é particularmente útil em nossos 40 anos, já que os ciclos podem se tornar erráticos em antecipação à menopausa. “Semelhante a muitas outras frutas”, continua ele, “mamão também ajuda a pele a parecer jovem e reduzir a dor da artrite, mantendo a saúde das articulações.” Disse o suficiente, certo? Passe o mamão – e essas 39 outras comidas, mulheres com mais de 40 anos precisam estar comendo, por favor e obrigada!

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.

39 alimentos que a idade que você mulheres acima de 40 devem evitar

Depois de acertar o grande 4-0, não é apenas o número de velas no seu bolo que significa que está a envelhecer, mas também a sensação de dor nas articulações e a incapacidade de cortar os últimos cinco quilos do enquadramento. Embora o envelhecimento ao contrário seja um milagre que todos gostaríamos de participar, há alguns ajustes que você pode fazer em sua dieta para ajudar a retardar o processo, como a eliminação de determinados alimentos que envelhecem.

Abaixo, reunimos os piores alimentos para comer se você tiver mais de 40 anos. Esses culpados sorrateiros são encontrados em muitos lares americanos e são responsáveis ​​pelas quantidades desnecessárias de açúcar, gordura saturada e sódio que consumimos diariamente.


Shutterstock

O material em pó que se dissolve em seu copo de Joe e o transforma de sombrio em cremoso contém alguns ingredientes inesperados. O aluminossilicato de sódio, que é adicionado ao creme como um agente antiaglomerante, também é encontrado em detergente e foi encontrado para causar irritações da pele, dos olhos e das vias respiratórias. Além disso, o Coffee Mate’s Original também contém óleo vegetal hidrogenado, que aumenta o teor de gordura saturada que prejudica o coração. Se você não é avessa a laticínios, é melhor obter gorduras saudáveis ​​com um pouco de creme de leite ou até mesmo optar por leite de nozes.

Café gelado
Cortesia da Shutterstock

A frase-chave aqui é “demais”. Enquanto nós gostamos de café por todos os seus benefícios antioxidantes, beber seis xícaras por dia é uma receita para o nervosismo e comprometimento da qualidade do sono. “À medida que envelhecemos, nossos ritmos circadianos mudam, assim como nossos hormônios, que podem nos tornar mais sensíveis à cafeína e afetar nossa capacidade de dormir profundamente”, diz Isabel Smith, RD.

Copo de refrigerante
Shutterstock

Todos nós sabemos que escolher refrigerante em vez de H2O é uma má decisão quando se trata de manter a saúde, mas por que o clássico é tão ruim? Estudos ligam o consumo regular de bebidas açucaradas a doenças cardíacas, e se isso não é alarmante o suficiente: Um estudo longitudinal acompanhou 80.000 mulheres ao longo de 22 anos e descobriu que aqueles que consumiam um dia de bebida açucarada (como Coca-Cola ou Pepsi) teve um risco 75% maior de desenvolver gota do que mulheres que raramente bebiam.

Barra de proteína de chocolate
Shutterstock

“Enquanto as pessoas mais jovens podem se safar pulando o café da manhã ou simplesmente comendo um cereal ou barra de amido, a pesquisa sugere que a ingestão de 20 a 30 gramas de proteína em cada refeição é ideal – especialmente à medida que envelhecemos”, disse Chris Mohr. nutricionista para o Cincinnati Bengals nos diz. Além disso, muitos desses bares comerciais esgueiram-se em uma tonelada de ingredientes desnecessários, como açúcares artificiais e óleo de palma inflamatório.

Cocktail de margarita de morango
Shutterstock

“É cada vez mais difícil conseguir uma boa noite de sono com álcool no seu sistema. Embora você tenha conseguido escapar com o mínimo de sono em seus 20 anos, esse não é o caso dos seus 30 anos ou mais. As noites sem dormir levam ao consumo de carboidratos e açúcar no dia seguinte, o que pode contribuir para um ganho de peso ainda maior ”, explica Martha McKittrick, RD.

Mulher derramando suco de laranja em um liquidificador
Shutterstock

À medida que envelhece, pode ser mais difícil perder os últimos quilos irritantes. Se você tem bebido o café da manhã com o seu café da manhã ou adicionando o material aos smoothies, o seu 40º pode ser o momento de largar o hábito no meio-fio. A frutose, o principal açúcar encontrado no suco de frutas, tem sido associada à gordura abdominal – o tipo perigoso de gordura que pode causar doenças metabólicas.

Muffin de farelo
Shutterstock

A menos que você esteja usando seus produtos caseiros com vegetais escondidos e trocando açúcar por stevia, evite ativamente esses doces. Bolinhos e bolinhos comprados em lojas fazem nossa lista de alimentos que envelhecem, porque eles podem conter um dia inteiro de açúcar adicionado – e os efeitos do doce no envelhecimento são bastante amargos. Um relatório em Clínicas em Dermatologia afirma que a glicose e a frutose podem comprometer o colágeno e a elastina que sustentam a elasticidade da sua pele, portanto, evitar assados ​​com adição de açúcares é uma maneira infalível de manter as rugas sob controle.

Salsicha e cachorro-quente na grelha
Shutterstock

Eles podem ser embalados com proteína e keto-friendly, mas carnes processadas podem causar estragos em sua saúde. Deli carnes, bacon e cachorro-quente geralmente contêm nitratos e nitritos causadores de câncer, bem como embalar em quantidades elevadas de sódio-spiking de pressão arterial. Um estudo de 2013 publicado na revista Rede europeia de citocinas descobriram que o nitrato de sódio aumenta o estresse oxidativo, que pode danificar o colágeno e a elastina que promovem a pele jovem.

manteiga alimentada com capim
Shutterstock

À medida que envelhece, aumenta o risco de doenças cardíacas. E enquanto espalhar uma colher de chá de manteiga salgada sobre torradas integrais de uma só vez não é prejudicial à saúde, carregar as receitas de frango com manteiga e passar manteiga nas panelas diariamente. Manteiga contém sete gramas de gordura saturada por colher de sopa e usando apenas duas colheres pode colocá-lo sobre seu limite diário de gordura.

Frango grelhado em frigideira de ferro fundido
Ivana Cajina / Unsplash

As carnes grelhadas são um item essencial no verão, mas você não deve fazer um churrasco semanal se estiver preocupado com sua saúde. Bifes escaldantes e outras proteínas em alta temperatura sobre uma chama aberta podem produzir aminas heterocíclicas (HCAs) e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAHs). Estes produtos químicos foram encontrados para alterar o DNA e aumentar o risco de câncer.

Leite de soja
Shutterstock

À medida que envelhecemos, aumenta o risco de osteoporose, dando-lhe ainda mais motivos para cavar alimentos ricos em cálcio. Uma grande fonte do nutriente que fortalece os ossos é o leite e, se você optar pela variedade de amêndoas em relação aos laticínios, poderá estar se beneficiando dos benefícios reais do leite. Apenas um copo de leite de dois por cento contém cerca de 30% do seu valor diário de cálcio. Se você está evitando produtos lácteos, opte por um leite à base de amêndoa que seja enriquecido, como o Silk Almond e o Nutmilk Protein Caju.

Molho de soja de frango
Shutterstock

Claro, o teor alto de sódio no prato do General Tso é uma razão sólida para ficar longe da comida chinesa, o glutamato monossódico (MSG) deve estar no topo da sua lista. O aditivo alimentar intensificador de sabor tem sido associado a uma série de efeitos colaterais, incluindo dores de cabeça, rubor, formigamento ou queimação, dor no peito, náusea e fraqueza.

Doritos
Shutterstock

O que Doritos e takeout têm em comum? Ambos contêm MSG. Não só isso, mas os chips triangulares são coloridos com corantes artificiais, como Red 40 e Yellow 6, que foram ligados ao câncer. Ainda por cima, o favorito da lista também lista sabores artificiais em sua lista de ingredientes, mas não especifica quais.

pão branco
Shutterstock

Os grãos refinados foram despojados de fibra e outros nutrientes, a fim de tornar a cor branca e a textura do travesseiro. O pão Wonder é conhecido. No entanto, os grãos refinados e processados ​​também têm alto índice glicêmico, o que significa que eles causam um rápido aumento no açúcar no sangue – e, portanto, o consumo excessivo desses alimentos refinados pode levar a doenças metabólicas, como diabetes e obesidade. Para atender à sua ingestão diária de fibras saudáveis ​​para o intestino e nutrir seu corpo com os nutrientes de que precisa, pule os espaguete e os pãezinhos brancos e opte por preparar carboidratos como a massa de grão-de-bico Banza e o pão germinado.

Em n fora hambúrguer e batatas fritas
Ashley Green / Unsplash

As suas junções fast-food conseguem obter batatas fritas perfeitamente crocantes ao fritar as batatas em óleo que foi reutilizado repetidas vezes. Um estudo no Revista Canadense de Prática Dietética e Pesquisa descobriram que aquecer o óleo até o ponto de fumar durante a fritura pode diminuir a quantidade de ácidos graxos poliinsaturados por causa da degradação oxidativa. Essas são as gorduras saudáveis ​​para o coração que nutrem a pele e as articulações. Em vez de pegar um saco de batatas fritas no drive-thru, opte por assar o seu próprio em casa com um pincel de azeite e ervas frescas.

Rolo Califórnia
Shutterstock

O abacate e o pepino são bastante inócuos, mas a imitação de caranguejo do rolo californiano não é a proteína que você quer carregar. Imitação de caranguejo, ou krab, não é um crustáceo: o pseudo-marisco é na verdade uma mistura de peixe branco moído e outros enchimentos como trigo, clara de ovo e transglutaminase (também conhecida como cola de carne). Também contém frequentemente corantes alimentares nocivos que imitam o tom rosado do caranguejo real.

Iogurte com sabor
Shutterstock

Se você é um ávido leitor de Eat This, Not That! Você provavelmente sabe que os alimentos com baixo teor de gordura não são os melhores nem para sua cintura nem para sua saúde. Muitos alimentos aparentemente isentos de dieta que são rotulados com baixo teor de gordura esgueiram-se em açúcares adicionados para compensar a falta de sabor que resulta da remoção da gordura. E quando se trata de iogurte, que já contém açúcar natural na forma de lactose, você definitivamente não quer o doce extra adicionado. Para não mencionar, as gorduras encontradas em laticínios foram mostradas para mantê-lo satisfeito e emagrecer seu intestino.

Microondas
Shutterstock

O corredor do congelador é abastecido com jantares congelados apetitosos que tornam as jantares movimentados das noites da semana uma brisa, mas estes alimentos convenientes e baratos podem custar-lhe a sua saúde a longo prazo. Muitas dessas refeições são recheadas com sódio e conservantes e são desprovidas de fibra suficiente, o que ajudará a mantê-lo completo e menos propenso a fome da meia-noite.

RELACIONADO: Mais de 150 ideias de receitas que te deixam enxuto para a vida toda.

Panquecas e calda
Shutterstock

Preparar um lote de panquecas fofas para o café da manhã é um dos prazeres simples da vida, mas a calda que você escolhe para regar os seus hotcakes pode ser um problema de ortografia para sua barriga. Xaropes com sabor de bordo como Log Cabin e Aunt Jemima são feitos com xarope de milho rico em frutose, um açúcar que tem sido associado à síndrome metabólica, incluindo ganho de peso anormal, aumento de triglicérides e aumento da gordura visceral ao redor do intestino, descobriram os pesquisadores. Em vez disso, fique com xarope de bordo real, que contém minerais.

Bagas de creme chantilly
Shutterstock

Estamos olhando para você, Cool Whip! Como esses produtos não contêm creme como o ingrediente principal, as regulamentações governamentais proíbem as marcas de rotulá-las como chantilly. A próxima melhor coisa? “Cobertura chicoteada.” Esses impostores estão cheios de ingredientes incompletos, como óleo vegetal parcialmente hidrogenado e xarope de milho rico em frutose – dois culpados que sua dieta definitivamente poderia dispensar.

Queijo mergulho e tortilla chips
Twenty20

Por que ir para o material falso quando o queijo real é tão acessível? O queijo americano é um produto de queijo (geralmente conhecido como pasta de queijo processado pasteurizado) que é recheado com aditivos – como fosfatos e corantes – a ponto de conter menos de 51% do queijo real. E, se você der uma olhada no molho Suave e Cheesy de Tostito, verá que está escrito “queijo com sabor” no frasco. Estranho, certo? Da próxima vez que você pegar o sanduíche, considere trocá-lo por uma fatia de queijo de cabra, que demonstrou aumentar a absorção de ferro, melhorar a formação óssea e aumentar a biodisponibilidade de certos minerais mais eficientemente do que o leite de vaca. Journal of Dairy Science estudo encontrado.

Café com leite
Tim Wright / Unsplash

Desculpe os freqüentadores da Starbucks, mas aquele latte de baunilha magra diário pode ser a razão pela qual seus jeans skinny não estão escorregando confortavelmente. O xarope de baunilha sem açúcar da Sbux que bombeia para o café com leite magro é adoçado com sucralose, um açúcar artificial que aumentou o risco de desenvolver inflamação tecidual ao romper a microbiota intestinal, um estudo realizado Fronteiras na fisiologia revista descobriu, acrescentando que esta inflamação crônica pode causar obesidade e diabetes.

Sopa enlatada
Shutterstock

Uma boa parte das sopas enlatadas que se encontram nas prateleiras dos supermercados pode incluir meia-dia de sódio, além de aditivos, como o MSG, que aumenta o apetite. Em vez disso, opte por preparar sua própria sopa em casa com caldo de osso alimentado com capim e guarde as sobras para facilitar o uso. “Quando ingerimos caldo de osso, ele age como um Band-Aid intestinal, protegendo e curando o revestimento do trato digestivo que ajuda na digestão e nos ajuda a absorver nutrientes extras dos alimentos que ingerimos”, diz a nutricionista Lauren Slayton, MS, RD. . Para não mencionar, o caldo de osso é repleto de colágeno, o que ajuda a voltar o relógio em nossa pele.

Molho Jarred
Shutterstock

Para esclarecer, não estamos apostando que todas as marinaras no corredor de massas devem ser evitadas como a praga – apenas algumas. Molhos de massas processadas podem conter tomate ou pasta de tomate como o primeiro ingrediente, mas muitas vezes, esses sabotadores sorrateiros também contêm cargas de óleos inflamatórios, adição de açúcar e sal. E o molho alfredo não é exceção: o material branco cremoso pode conter cerca de 20 gramas de gordura por porção de meia xícara – uma quantidade excessiva para ingerir de uma só vez.

Maçãs e manteiga de amendoim
Shutterstock

Mães indiferentes não devem escolher Jif – se você está entrando no frasco ou espalhando-o no PB & J do seu filho. Além do amendoim, o pote vermelho contém melaço, óleos vegetais totalmente hidrogenados e mono e diglicerídeos – que adicionam mais gordura à propagação. A manteiga de amendoim pode ser uma propagação saudável e saciante se você escolher a certa. Nós gostamos da Maranatha e da Smucker’s Natural porque contêm dois ingredientes simples: amendoins embalados em proteínas e uma pitada de sal marinho.

Milkshake
Shutterstock

Derrubar um Milkshake de Massa de Biscoito de Chocolate de Baskin-Robbins e você devorará 42 Chips Ahoy cookies no valor de açúcar e quase meio quilo de calorias. Em vez disso, você pode fazer um shake de proteína em casa com suplementos saudáveis, como tâmaras, nibs de cacau e um rico pó de proteína que pode ajudá-lo a se sentir saciado sem acrescentar peso à sua cintura.

Mac n chese
Shutterstock

Mac e queijo provavelmente tem sido seu prazer culpado desde que você era uma criança, mas isso não significa que você deva continuar a se entregar. Muitas caixas comerciais contêm até 30 por cento de sua ingestão diária recomendada de sódio, bem como carboidratos vazios de açúcar no sangue provenientes das cascas brancas.

Café engarrafado
Shutterstock

Enquanto o java pode aumentar o seu metabolismo e dar-lhe a sacudida que você precisa para o ginásio, muitas variedades engarrafadas podem fazer exatamente o oposto. Tome sabores de caramelos frios com caramelo de amêndoa e amêndoa salgada do Gold Peak. Ambos contêm 270 calorias e 53 gramas de açúcar – o dobro da quantidade diária recomendada! O excesso de açúcar pode aumentar o risco de diabetes, causar estragos em seus hormônios e diminuir o colágeno.

Torradeira waffle
Shutterstock

Você pode tê-los desfrutado no café da manhã quando criança, mas não há razão para você colocar alguns Eggos ou tiras na torradeira a partir dos 40 anos. As refeições desprovidas de nutrientes quase não contêm qualquer fibra ou proteína de manutenção muscular para mantê-lo. cheio. Então, se você optar por se dedicar a eles para o café da manhã, você vai encontrar lanches para o escritório mais cedo do que pensa.

Mulher, bebendo, dieta, coque
Sean Locke fotografia / Shutterstock

Como regra geral, qualquer coisa que pareça boa demais para ser verdade provavelmente é. E o caso permanece para os adoçantes artificiais com zero caloria encontrados em bebidas sem açúcar, como Diet Coke e Diet Snapple. Pesquisadores da Universidade de Yale descobriram uma ligação entre o açúcar falso e um aumento do risco de obesidade e excesso de gordura na barriga. “Se bebidas com adoçantes artificiais são essenciais na sua dieta, é melhor largar o vício para manter a saúde e prevenir doenças durante o processo de envelhecimento”, diz a nutricionista Lisa Moskovitz.

Alimentos sem glúten
Shutterstock

A menos que você tenha sensibilidade ao glúten ou sofra de doença celíaca, não há razão para eliminar os produtos de trigo da sua dieta. Muitos grãos integrais contêm fibras, o que ajuda a eliminar toxinas, nivelar o nível de açúcar no sangue e mantê-lo regular. Esses grãos também contêm magnésio, o que ajuda a prevenir a osteoporose.

Filé de salmão selvagem
Caroline Attwood / Unsplash

Ao contrário dos peixes capturados na natureza, os peixes contêm níveis mais altos de ácidos graxos ômega-6 inflamatórios. Além disso, o salmão selvagem é naturalmente vermelho graças ao krill rico em astaxantina e ao camarão que eles alimentam. Como os salmões de criação não se alimentam desse composto que previne o câncer e o envelhecimento, os fabricantes são forçados a tingir o peixe artificialmente para comercializá-lo. Da próxima vez que você estiver no corredor de frutos do mar, opte pelo uso de produtos silvestres em detrimento da agricultura para obter benefícios anti-inflamatórios e outros benefícios saudáveis.

Shake proteico
Shutterstock

Claro, eles estão cheios de proteína e prometem mantê-lo satisfeito entre as refeições. No entanto, muitas garrafas estão cheias de aditivos artificiais, adição de açúcar, óleos hidrogenados, conservantes e mais calorias do que você normalmente come em uma refeição. Em outras palavras, esta combinação uma receita para ganho de peso.

Receba 5 brindes quando você se inscrever!

Veja, sinta e viva muito enquanto entra no caminho para uma saúde melhor com o novo Eat This, Not That! Revista.